UNESER - União Nacional dos Ex- Seminaristas Redentoristas
Uma Vez Redentorista, Sempre Redentorista!

A UNESER SOMOS TODOS NÓS!

COMUNICADO FINANCEIRO UNESER - LANÇAMENTO DA CAMPANHA DE ARRECADAÇÃO

Caro ex-seminarista redentorista,

Caro/a amigo/a da UNESER

A UNESER (União Nacional dos Ex-Seminaristas Redentoristas), organizada há mais de 25 anos, tem entre seus objetivos, aproximar, reunir e congregar ex-seminaristas redentoristas de todas as regiões do Brasil, promovendo encontros nacionais, apoiando a realização de encontros regionais, divulgando notícias da família redentorista, colaborando na vivência do carisma de Afonso de Ligório e incentivando a inserção das pessoas na construção do Reino de Deus.

Para realização destas tarefas e para cumprimento de outros objetivos estatutários também importantes, contamos somente com a contribuição financeira individual dos ex-seminaristas e de suas esposas, bem como de pessoas amigas que passaram a integrar nosso grupo.

Sabemos da grande dificuldade pela qual o mundo inteiro atravessa, em função da pandemia causada pela Covid-19, mas apostamos na generosidade de quem acredita na seriedade de nosso trabalho ao longo de tantos anos.

Assim, lançamos a Campanha de apoio financeiro 2020/2021 para a UNESER, composta das seguintes iniciativas no momento:

  • Contribuição individual dos associados; (Enviaremos um comunicado específico)
  • Realização da "Ação entre Amigos", com sorteio de prêmios pela Loteria Federal, mediante venda de números de 0000 a 0999, com utilização das mídias sociais;
  • Criação da "Loja UNESER Virtual", com a disponibilidade de produtos: brindes, camisetas, livros e outros objetos personalizados e exclusivos.

Para cada ação será efetuado um processo, com as devidas informações. Contamos com sua generosidade, participando e colaborando de acordo com suas possibilidades. A UNESER depende dessas contribuições para desenvolver suas atividades. Esta campanha merece e carece de muito cuidado e dedicação. Então criamos uma Comissão de Arrecadação, composta pelas seguintes pessoas: Antônio Cláudio Ferreira, Dalva Foltran, Henrique Bernardo, José Roberto Staliano, Luiz Silvério Silva, Mali A. Moura, Sônia Farinelli Staliano, Vânia Manzan e Vicente de Paula Alves.

Antecipadamente agradecemos seu esforço e sua doação.

UNESER - DIRETORIA - Outubro de 2020 -

Comissão de Arrecadação

UMA VEZ REDENTORISTA, SEMPRE REDENTORISTA!

Nessa obra, o Missionário Redentorista Pe. José Marques apresenta uma reflexão na perspectiva da fé cristã sobre o fenômeno provocado pela pandemia. O autor apresenta ao leitor 12 pontos inspirados nos ensinamentos da Igreja e na palavra do Papa Francisco, ajudando-nos a fortalecer nossa esperança.



Em antecipação à encíclica da fraternidade e da amizade social

Roma, 25 de setembro de 2020

Caros Confrades, Irmãs, Missionários Leigos, Associados e amigos,

Próximo sábado, 3 de outubro, o Papa Francisco vai assinar a nova Encíclica "Fratelli tutti" sobre a fraternidade e amizade social. Esta encíclica será, então, promulgada no próximo domingo, 4 de outubro, na Festa de São Francisco de Assis. A promulgação de uma encíclica é sempre um acontecimento importante na vida da Igreja. Este ano, à medida que continuamos a experimentar os efeitos da pandemia COVID 19, creio que esta Encíclica terá especial relevância para todos nós.

O título da nova Encíclica evoca o Documento sobre a Fraternidade Humana para a Paz Mundial e a Viver Juntos, assinado e promulgado pelo Papa Francisco e o Grande Imam de Al-Azhar, Ahmad Al-Tayyeb, em 4 de fevereiro de 2019. Juntos, o Santo Padre e o Grande Imam chamaram todos os crentes a viver e se esforçar por uma fraternidade humana autêntica e profética entre todos os povos, que nos fortaleceria para enfrentar os grandes desafios que a humanidade e, na verdade, o mundo, que é nossa casa comum. Este documento foi publicado um ano antes da atual pandemia e é mais relevante do que nunca na atual crise que confronta a humanidade e todo o nosso mundo.

Esperamos que a nova Encíclica continue e desenvolva ainda mais este chamado a todos os crentes. Enquanto aguardamos a promulgação do próximo fim de semana do " Fratelli tutti" sobre a fraternidade e a amizade social, convido todos vocês, irmãos e irmãs no Redentor, a se unirem na expectativa orante para que Deus nos prepare e a todos os povos para receber a mensagem do Papa Francisco de coração aberto. Como parte desta preparação orante, encorajo-vos a ler mais uma vez o Documento sobre a Fraternidade Humana para a Paz Mundial e a Convivência, que acompanha esta breve mensagem.

Que Deus nos abençoe com a profunda convicção de que realmente somos todos irmãos e irmãs, filhos de Deus em nosso irmão e Redentor, Jesus Cristo. Que sejam vividas como testemunhas proféticas e autênticas do Redentor em nosso mundo ferido.

Seu irmão em Jesus nosso Redentor,

Michael Brehl, C.Ss.R.


Documento: A Fraternidade Humana

VATICAN NEWS

ESPÍRITO ASSIS

04.02.2020

VIAGEM APOSTÓLICA DO PAPA FRANCISCO
AOS EMIRADOS ÁRABES UNIDOS
3-5 DE FEVEREIRO DE 2019

DOCUMENTO SOBRE
A FRATERNIDADE HUMANA
EM PROL DA PAZ MUNDIAL E DA CONVIVÊNCIA COMUM

PREFÁCIO

A fé leva o crente a ver no outro um irmão que se deve apoiar e amar. Da fé em Deus, que criou o universo, as criaturas e todos os seres humanos - iguais pela Sua Misericórdia -, o crente é chamado a expressar esta fraternidade humana, salvaguardando a criação e todo o universo e apoiando todas as pessoas, especialmente as mais necessitadas e pobres.

Partindo deste valor transcendente, em vários encontros dominados por uma atmosfera de fraternidade e amizade, compartilhamos as alegrias, as tristezas e os problemas do mundo contemporâneo, a nível do progresso científico e técnico, das conquistas terapêuticas, da era digital, dos mass-media, das comunicações; a nível da pobreza, das guerras e das aflições de tantos irmãos e irmãs em diferentes partes do mundo, por causa da corrida às armas, das injustiças sociais, da corrupção, das desigualdades, da degradação moral, do terrorismo, da discriminação, do extremismo e de muitos outros motivos.

De tais fraternas e sinceras acareações que tivemos e do encontro cheio de esperança num futuro luminoso para todos os seres humanos, nasceu a ideia deste «Documento sobre a Fraternidade Humana». Um documento pensado com sinceridade e seriedade para ser uma declaração conjunta de boas e leais vontades, capaz de convidar todas as pessoas, que trazem no coração a fé em Deus e a fé na fraternidade humana, a unir-se e trabalhar em conjunto, de modo que tal documento se torne para as novas gerações um guia rumo à cultura do respeito mútuo, na compreensão da grande graça divina que torna irmãos todos os seres humanos.

DOCUMENTO

Em nome de Deus, que criou todos os seres humanos iguais nos direitos, nos deveres e na dignidade e os chamou a conviver entre si como irmãos, a povoar a terra e a espalhar sobre ela os valores do bem, da caridade e da paz.

Em nome da alma humana inocente que Deus proibiu de matar, afirmando que qualquer um que mate uma pessoa é como se tivesse morto toda a humanidade e quem quer que salve uma pessoa é como se tivesse salvo toda a humanidade.

Em nome dos pobres, dos miseráveis, dos necessitados e dos marginalizados, a quem Deus ordenou socorrer como um dever exigido a todos os homens e de modo particular às pessoas facultosas e abastadas.

Em nome dos órfãos, das viúvas, dos refugiados e dos exilados das suas casas e dos seus países; de todas as vítimas das guerras, das perseguições e das injustiças; dos fracos, de quantos vivem no medo, dos prisioneiros de guerra e dos torturados em qualquer parte do mundo, sem distinção alguma.

Em nome dos povos que perderam a segurança, a paz e a convivência comum, tornando-se vítimas das destruições, das ruínas e das guerras.

Em nome da «fraternidade humana», que abraça todos os homens, une-os e torna-os iguais.

Em nome desta fraternidade dilacerada pelas políticas de integralismo e divisão e pelos sistemas de lucro desmesurado e pelas tendências ideológicas odiosas, que manipulam as ações e os destinos dos homens.

Em nome da liberdade, que Deus deu a todos os seres humanos, criando-os livres e enobrecendo-os com ela.

Em nome da justiça e da misericórdia, fundamentos da prosperidade e pilares da fé.

Em nome de todas as pessoas de boa vontade, presentes em todos os cantos da terra.

Em nome de Deus e de tudo isto, Al-Azhar al-Sharif - com os muçulmanos do Oriente e do Ocidente - juntamente com a Igreja Católica - com os católicos do Oriente e do Ocidente - declaramos adotar a cultura do diálogo como caminho; a colaboração comum como conduta; o conhecimento mútuo como método e critério.

Nós - crentes em Deus, no encontro final com Ele e no Seu Julgamento -, a partir da nossa responsabilidade religiosa e moral e através deste Documento, rogamos a nós mesmos e aos líderes do mundo inteiro, aos artífices da política internacional e da economia mundial, para se comprometer seriamente na difusão da tolerância, da convivência e da paz; para intervir, o mais breve possível, a fim de se impedir o derramamento de sangue inocente e acabar com as guerras, os conflitos, a degradação ambiental e o declínio cultural e moral que o mundo vive atualmente.

Dirigimo-nos aos intelectuais, aos filósofos, aos homens de religião, aos artistas, aos operadores dos mass-media e aos homens de cultura em todo o mundo, para que redescubram os valores da paz, da justiça, do bem, da beleza, da fraternidade humana e da convivência comum, para confirmar a importância destes valores como âncora de salvação para todos e procurar difundi-los por toda a parte.

Partindo duma reflexão profunda sobre a nossa realidade contemporânea, apreciando os seus êxitos e vivendo as suas dores, os seus dramas e calamidades, esta Declaração acredita firmemente que, entre as causas mais importantes da crise do mundo moderno, se contam uma consciência humana anestesiada e o afastamento dos valores religiosos, bem como o predomínio do individualismo e das filosofias materialistas que divinizam o homem e colocam os valores mundanos e materiais no lugar dos princípios supremos e transcendentes.

Nós, embora reconhecendo os passos positivos que a nossa civilização moderna tem feito nos campos da ciência, da tecnologia, da medicina, da indústria e do bem-estar, particularmente nos países desenvolvidos, ressaltamos que, juntamente com tais progressos históricos, grandes e apreciados, se verifica uma deterioração da ética, que condiciona a atividade internacional, e um enfraquecimento dos valores espirituais e do sentido de responsabilidade. Tudo isto contribui para disseminar uma sensação geral de frustração, solidão e desespero, levando muitos a cair na voragem do extremismo ateu e agnóstico ou então no integralismo religioso, no extremismo e no fundamentalismo cego, arrastando assim outras pessoas a render-se a formas de dependência e autodestruição individual e coletiva.

A história afirma que o extremismo religioso e nacional e a intolerância geraram no mundo, quer no Ocidente quer no Oriente, aquilo que se poderia chamar os sinais duma «terceira guerra mundial aos pedaços»; sinais que, em várias partes do mundo e em diferentes condições trágicas, começaram a mostrar o seu rosto cruel; situações de que não se sabe exatamente quantas vítimas, viúvas e órfãos produziram. Além disso, existem outras áreas que se preparam a tornar-se palco de novos conflitos, onde nascem focos de tensão e se acumulam armas e munições, numa situação mundial dominada pela incerteza, pela deceção e pelo medo do futuro e controlada por míopes interesses económicos.

Afirmamos igualmente que as graves crises políticas, a injustiça e a falta duma distribuição equitativa dos recursos naturais - dos quais beneficia apenas uma minoria de ricos, em detrimento da maioria dos povos da terra - geraram, e continuam a fazê-lo, enormes quantidades de doentes, necessitados e mortos, causando crises letais de que são vítimas vários países, não obstante as riquezas naturais e os recursos das gerações jovens que os caraterizam. A respeito de tais crises que fazem morrer à fome milhões de crianças, já reduzidas a esqueletos humanos por causa da pobreza e da fome, reina um inaceitável silêncio internacional.

A propósito, é evidente quão essencial seja a família, como núcleo fundamental da sociedade e da humanidade, para dar à luz filhos, criá-los, educá-los, proporcionar-lhes uma moral sólida e a proteção familiar. Atacar a instituição familiar, desprezando-a ou duvidando da importância de seu papel, constitui um dos males mais perigosos do nosso tempo.

Atestamos também a importância do despertar do sentido religioso e da necessidade de o reanimar nos corações das novas gerações, através duma educação sadia e da adesão aos valores morais e aos justos ensinamentos religiosos, para enfrentarem as tendências individualistas, egoístas, conflituais, o radicalismo e o extremismo cego em todas as suas formas e manifestações.

O primeiro e mais importante objetivo das religiões é o de crer em Deus, honrá-Lo e chamar todos os homens a acreditarem que este universo depende de um Deus que o governa: é o Criador que nos moldou com a Sua Sabedoria divina e nos concedeu o dom da vida para o guardarmos. Um dom que ninguém tem o direito de tirar, ameaçar ou manipular a seu bel-prazer; pelo contrário, todos devem preservar este dom da vida desde o seu início até à sua morte natural. Por isso, condenamos todas as práticas que ameaçam a vida, como os genocídios, os atos terroristas, os deslocamentos forçados, o tráfico de órgãos humanos, o aborto e a eutanásia e as políticas que apoiam tudo isto.

De igual modo declaramos - firmemente - que as religiões nunca incitam à guerra e não solicitam sentimentos de ódio, hostilidade, extremismo nem convidam à violência ou ao derramamento de sangue. Estas calamidades são fruto de desvio dos ensinamentos religiosos, do uso político das religiões e também das interpretações de grupos de homens de religião que abusaram - nalgumas fases da história - da influência do sentimento religioso sobre os corações dos homens para os levar à realização daquilo que não tem nada a ver com a verdade da religião, para alcançar fins políticos e económicos mundanos e míopes. Por isso, pedimos a todos que cessem de instrumentalizar as religiões para incitar ao ódio, à violência, ao extremismo e ao fanatismo cego e deixem de usar o nome de Deus para justificar atos de homicídio, de exílio, de terrorismo e de opressão. Pedimo-lo pela nossa fé comum em Deus, que não criou os homens para ser assassinados ou lutar uns com os outros, nem para ser torturados ou humilhados na sua vida e na sua existência. Com efeito Deus, o Todo-Poderoso, não precisa de ser defendido por ninguém e não quer que o Seu nome seja usado para aterrorizar as pessoas.

Este Documento, de acordo com os Documentos Internacionais anteriores que destacaram a importância do papel das religiões na construção da paz mundial, atesta quanto segue:

• A forte convicção de que os verdadeiros ensinamentos das religiões convidam a permanecer ancorados aos valores da paz; apoiar os valores do conhecimento mútuo, da fraternidade humana e da convivência comum; restabelecer a sabedoria, a justiça e a caridade e despertar o sentido da religiosidade entre os jovens, para defender as novas gerações a partir do domínio do pensamento materialista, do perigo das políticas da avidez do lucro desmesurado e da indiferença baseadas na lei da força e não na força da lei.

• A liberdade é um direito de toda a pessoa: cada um goza da liberdade de credo, de pensamento, de expressão e de ação. O pluralismo e as diversidades de religião, de cor, de sexo, de raça e de língua fazem parte daquele sábio desígnio divino com que Deus criou os seres humanos. Esta Sabedoria divina é a origem donde deriva o direito à liberdade de credo e à liberdade de ser diferente. Por isso, condena-se o facto de forçar as pessoas a aderir a uma determinada religião ou a uma certa cultura, bem como de impor um estilo de civilização que os outros não aceitam.

• A justiça baseada na misericórdia é o caminho a percorrer para se alcançar uma vida digna, a que tem direito todo o ser humano.

• O diálogo, a compreensão, a difusão da cultura da tolerância, da aceitação do outro e da convivência entre os seres humanos contribuiriam significativamente para a redução de muitos problemas económicos, sociais, políticos e ambientais que afligem grande parte do género humano.

• O diálogo entre crentes significa encontrar-se no espaço enorme dos valores espirituais, humanos e sociais comuns, e investir isto na propagação das mais altas virtudes morais que as religiões solicitam; significa também evitar as discussões inúteis.

• A proteção dos locais de culto - templos, igrejas e mesquitas - é um dever garantido pelas religiões, pelos valores humanos, pelas leis e pelas convenções internacionais. Qualquer tentativa de atacar locais de culto ou de os ameaçar através de atentados, explosões ou demolições é um desvio dos ensinamentos das religiões, bem como uma clara violação do direito internacional.

• O terrorismo execrável que ameaça a segurança das pessoas, tanto no Oriente como no Ocidente, tanto no Norte como no Sul, espalhando pânico, terror e pessimismo não se deve à religião - embora os terroristas a instrumentalizem - mas tem origem no cúmulo de interpretações erradas dos textos religiosos, nas políticas de fome, de pobreza, de injustiça, de opressão, de arrogância; por isso, é necessário interromper o apoio aos movimentos terroristas através do fornecimento de dinheiro, de armas, de planos ou justificações e também a cobertura mediática, e considerar tudo isto como crimes internacionais que ameaçam a segurança e a paz mundial. É preciso condenar tal terrorismo em todas as suas formas e manifestações.

• O conceito de cidadania baseia-se na igualdade dos direitos e dos deveres, sob cuja sombra todos gozam da justiça. Por isso, é necessário empenhar-se por estabelecer nas nossas sociedades o conceito de cidadania plena e renunciar ao uso discriminatório do termo minorias, que traz consigo as sementes de se sentir isolado e da inferioridade; isto prepara o terreno para as hostilidades e a discórdia e subtrai as conquistas e os direitos religiosos e civis de alguns cidadãos, discriminando-os.

• O relacionamento entre Ocidente e Oriente é uma necessidade mútua indiscutível, que não pode ser comutada nem transcurada, para que ambos se possam enriquecer mutuamente com a civilização do outro através da troca e do diálogo das culturas. O Ocidente poderia encontrar na civilização do Oriente remédios para algumas das suas doenças espirituais e religiosas causadas pelo domínio do materialismo. E o Oriente poderia encontrar na civilização do Ocidente tantos elementos que o podem ajudar a salvar-se da fragilidade, da divisão, do conflito e do declínio científico, técnico e cultural. É importante prestar atenção às diferenças religiosas, culturais e históricas que são uma componente essencial na formação da personalidade, da cultura e da civilização oriental; e é importante consolidar os direitos humanos gerais e comuns, para ajudar a garantir uma vida digna para todos os homens no Oriente e no Ocidente, evitando o uso da política de duas medidas.

• É uma necessidade indispensável reconhecer o direito da mulher à instrução, ao trabalho, ao exercício dos seus direitos políticos. Além disso, deve-se trabalhar para libertá-la das pressões históricas e sociais contrárias aos princípios da própria fé e da própria dignidade. Também é necessário protegê-la da exploração sexual e de a tratar como mercadoria ou meio de prazer ou de ganho económico. Por isso, devem-se interromper todas as práticas desumanas e os costumes triviais que humilham a dignidade da mulher e trabalhar para modificar as leis que impedem as mulheres de gozarem plenamente dos seus direitos.

• A tutela dos direitos fundamentais das crianças a crescer num ambiente familiar, à alimentação, à educação e à assistência é um dever da família e da sociedade. Tais direitos devem ser garantidos e tutelados para que não faltem e não sejam negados a nenhuma criança em nenhuma parte do mundo. É preciso condenar qualquer prática que viole a dignidade das crianças ou os seus direitos. Igualmente importante é velar contra os perigos a que estão expostas - especialmente no ambiente digital - e considerar como crime o tráfico da sua inocência e qualquer violação da sua infância.

• A proteção dos direitos dos idosos, dos vulneráveis, dos portadores de deficiência e dos oprimidos é uma exigência religiosa e social que deve ser garantida e protegida através de legislações rigorosas e da aplicação das convenções internacionais a este respeito.

Por fim, através da cooperação conjunta, a Igreja Católica e a al-Azhar anunciam e prometem levar este Documento às Autoridades, aos Líderes influentes, aos homens de religião do mundo inteiro, às organizações regionais e internacionais competentes, às organizações da sociedade civil, às instituições religiosas e aos líderes do pensamento; e empenhar-se na divulgação dos princípios desta Declaração em todos os níveis regionais e internacionais, solicitando que se traduzam em políticas, decisões, textos legislativos, programas de estudo e materiais de comunicação.

Al-Azhar e a Igreja Católica pedem que este Documento se torne objeto de pesquisa e reflexão em todas as escolas, nas universidades e nos institutos de educação e formação, a fim de contribuir para criar novas gerações que levem o bem e a paz e defendam por todo o lado o direito dos oprimidos e dos marginalizados.

Ao concluir, almejamos que esta Declaração:

seja um convite à reconciliação e à fraternidade entre todos os crentes, mais ainda, entre os crentes e os não-crentes, e entre todas as pessoas de boa vontade;

seja um apelo a toda a consciência viva, que repudia a violência aberrante e o extremismo cego; um apelo a quem ama os valores da tolerância e da fraternidade, promovidos e encorajados pelas religiões;

seja um testemunho da grandeza da fé em Deus, que une os corações divididos e eleva a alma humana;

seja um símbolo do abraço entre o Oriente e o Ocidente, entre o Norte e o Sul e entre todos aqueles que acreditam que Deus nos criou para nos conhecermos, cooperarmos entre nós e vivermos como irmãos que se amam.

Isto é o que esperamos e tentaremos realizar a fim de alcançar uma paz universal de que gozem todos os homens nesta vida.

Abu Dabhi, 4 de fevereiro de 2019.

Sua Santidade
Papa Francisco

Grão Imame de Al-Azhar
Ahmad Al-Tayyeb


CHEGOU SETEMBRO... E COM NOVIDADES NA UNESER!

A partir deste mês teremos em todos os segundos sábados do mês uma videoconferência com temas diversos!

Aconteceu neste dia 12 às 19h mais um sucesso virtual, a videoconferência com o tema:

"O CARISMA REDENTORISTA: FONTE DE INSPIRAÇÃO PARA A MISSÃO EM TERRITÓRIOS EDUCATIVOS."

Palestrantes: DITO SÉRGIO, EDVALDO BORTOLETO (BEPO) e ARIOVALDO FRANCISCO (VARGINHA)

Em breve aqui as gravações das palestras!

Já disponíveis:

BeneDITO SÉRGIO: drive.google.com/file/d/1kWwMW2jFtqYL-4sbRwKQENi30wanLYdc/view?usp=sharing

ARIOVALDO FRANCISCO: https://www.youtube.com/watch?v=5DrIto3Jzas&feature=youtu.be

"Uma vez Redentorista, sempre Redentorista!"


51ª SEMANA VOCACIONAL

Há muitas vozes ressoando

Qual voz quero ouvir?

"Saudações da Equipe do Secretariado Vocacional.

Estamos nos aproximando da "51ª semana Vocacional" que será transmitida pelos meios de comunicação - Rádio Aparecida/TV, Portal A12.com e Santuário Nacional.

- A abertura será no dia 23/08 às 18h 00 na missa, no Santuário Nacional/TV Aparecida.

- De Segunda a Sexta, Santuário Nacional/TV Aparecida, missa às 9h 00.

-Dia 29/08 - sábado, Santuário Nacional/TV Aparecida, missa às 18h 00.

-Dia 30/08 - domingo, Santuário Nacional/ TV Aparecida, missa de encerramento às 18h 00.

Além disso, acompanhe toda a programação da Rádio Aparecida, do Portal A12.com, e outros momentos na TV Aparecida.

Confira os anexos: Carta Convite e Conteúdo de reflexão para cada dia.

Com um abraço fraternal,

Equipe do Secretariado Vocacional" 

Baixe a programação abaixo


REUNIÃO DE AVALIAÇÃO UNESER VIRTUAL

17 a 19 de Julho de 2020

Em reunião, realizada em 15/08/2020, de avaliação do ENESER VIRTUAL pela Equipe de Comunicação idealizada e constituída pela Diretoria de UNESER para o fim a que se propôs e bem conduziu os assuntos tocantes ao evento. Após aproximadamente 50 dias de reuniões da programação do encontro onde vários assuntos foram discutidos, exauridamente todas as possibilidades de insucessos e surpresas indesejáveis, realizamos com muita alegria e empolgação o Encontro Nacional dos Ex-Seminaristas Redentoristas de forma VIRTUAL. 

Com as presenças de ex-seminaristas dos mais variados rincões do Brasil e países da América Latina, o sonho de nacionalizar a UNESER foi alcançado e ultrapassado em seus objetivos.

Foi sem dúvida um encontro de amigos positivo em todos os seus aspectos, acima das expectativas. Participativo e descontraído. Nem por isso deixou de ser um encontro rico em espiritualidade e robusto nas participações, que contou com uma mensagem pontual e de alto cunho apostólico do Superior Geral da CSsR, Pe Michael Brehl, que de Roma nos incitou e incentivou a continuarmos o Carisma Redentorista, nosso legado de Santo Afonso. Também importante a mensagem do Superior da Província de São Paulo, Pe Marlos Aurélio da Silva. Fomos igualmente brindados com mensagens profundas e saudosas de vários bispos, padres, ex-padres, amigos contemporâneos de todos nós. 

Durante o encontro, desde sua abertura na sexta-feira até o encerramento no domingo na prestação de contas da Diretoria da UNESER, a alegria que se respirava nas conversas de áudios e vídeos nos grupos ativos era latente. Amigos que jamais haviam participado de um encontro presencial, devido a várias circunstâncias, viram no Encontro Virtual a inédita oportunidade de reencontrar velhos e sempre novos amigos que não viam ou ouviam a décadas. Há que se ressaltar que os Encontros Virtuais Regionais de Sacramento e Tietê foram pilares imprescindíveis e referências positivas que pautaram a preparação, na execução e no sucesso do Encontro Nacional. Tanto que foi unânime entre todos os componentes da Equipe de Comunicação que os próximos encontros presenciais, regionais ou nacional, terão uma característica híbrida. Trabalharemos para conjugar concomitantemente a presença física e a virtual dos participantes que, por algum motivo estejam impedidos de estarem conosco pessoalmente 

Dois pontos positivos foram marcantes no encontro:

* O primeiro, a belíssima e riquíssima reflexão que nos brindou o amigo Roberto Malvezzi (Gogó) sobre o Sínodo da Amazônia, evento este que contou com sua efetiva participação junto ao Vaticano. Foram fortes e precisas suas colocações e explanações sobre o assunto que resultou em uma Sala Virtual de debates e pareceres diversos dos participantes da sala no mais alto nível. Gogó, com singular grandeza de conhecimentos, com humildade e clareza de sua missão apostólica nos trouxe a baila considerações que a todos impactou e contribuiu para um enriquecimento inestimável.

* O segundo ponto destacado e unanimemente considerado, foi a marcante e efetiva participação das mulheres durante o encontro. A assiduidade na Sala Virtual, também com uma palestra reflexiva e expressiva com um número considerável de mulheres, provou que tal interação ganhou vida própria e deverá ter com certeza, destaque nos próximos encontros.

A UNESER faz ressaltar um "agradecimento especial" ao Rangel, Stella, Dalva e Galvão pela ajuda na realização do encontro. Tomo a liberdade de, em meu nome e dos citados, agradecer o reconhecimento e deixando claro que consideramos ter sido uma dádiva a oportunidade oferecida o que nos permitiu termos sido úteis. "Somos uma família."

Sobre a avaliação das ferramentas utilizadas, conclui-se que tanto o Google, WhatsApp e demais ferramentas foram todas válidas. Caberá nos familiarizarmos cada vez mais com tais ferramentas para melhor usufruirmos num futuro próximo. Destaque para o que ainda o Google poderá nos oferecer ao ser mais explorado. Também frisou-se a importância em utilizar com mais disciplina e frequência do site da UNESER e tudo o que ele nos disponibiliza. Quanto ao G-Suite, apresenta-se com maior possibilidade de administrar participações nas salas virtuais, o que por sua vez o Zoom não oferece. Google Meet ainda parece ser a ferramenta mais apropriada. Em resumo, nossa primeira experiência em encontro virtual foi extremamente rica em fazer brotar inúmeras opções de interação, de comunicação, bem como novos desafios a serem investigados e somados ao já apreendido como conhecimentos. Para tanto, foi de senso comum que esse desbravamento de opções deverá pautar doravante toda iniciativa de interação na UNESER, através de promoções assíduas de tais ferramentas. Disponibilizar ao máximo as salas virtuais a toda iniciativa inclusive e também dentro do âmbito dos encontros regionais. Talvez a princípio trabalhoso com certeza, porém a assiduidade trará mais segurança e, toda nova iniciativa terá como consequência um novo aprendizado que tornará o próximo mais positivo. Palestras, debates, cursos e tantas outras iniciativas podem e devem povoar doravante as pautas, ora virtuais, de convivência entre os ex-seminaristas. 

Finalizando, Rangel disponibilizou os números referentes ao Encontro que reflete a efetiva participação e afluência positiva do ENESER VIRTUAL 2020.

* Vídeos recebidos e postados inteligentemente durante o Encontro pelo Rangel. Foi um total de 103 vídeos, sendo 12 vídeos artísticos; 25 de Bispos e Padres entre sábado e domingo; 69 vídeos de ex-seminaristas; 04 vídeos históricos.

* No domingo, na Sala da Missa, foram 102 conexões

* No WhatsApp, entre sexta, sábado e domingo, as postagens, considerando o Grupo da UNESER e o GRUPO DAS MULHERES, foi ultrapassado o número de mais de 1.300 postagens. 

Passaram pelo encontro 300 pessoas. Houve uma procura inesperada (isso foi positivo) de amigos desejosos de se integrarem ao Grupo da UNESER no WhatsApp. Desconhecíamos que tal aplicativo tinha um limite de participantes que é de 257. De 60 participantes que encontravam-se cadastrados no Grupo dias antes do encontro, numa velocidade ímpar, pulou para 240/250. Porém, para nossa surpresa, o aplicativo não permitia número maior de participantes até seu limite estabelecido. Tivemos e agradecemos demais alguns amigos e esposas de ex-seminaristas já cadastradas, que abriram mão de suas inscrições para permitir que novos amigos pudessem participar do evento. No caso das esposas, estavam também linkadas no Grupo das Mulheres e, ao mesmo tempo também poderiam participar no Grupo da UNESER juntamente com seus maridos. Porém, o gesto de compreensão e desprendimento deve e merece ser destacado. 

Cumprida a pauta e não havendo mais o que ser discutido e explanado, nosso amigo Paim, obedecendo um ritual que em nossas reuniões nos brinda, e amparado pelo Manto de Nossa Senhora Aparecida, fez uma oração de encerramento. 

Em nome da Equipe de Comunicações, a pedido de nosso Moderador da Sala, Côrtes, anotei e redigi o conteúdo da reunião.

Pela Equipe, Côrtes, Staliano, Henrique, Vicente Alves, Vicente Naves, Luiz Cássio, Paim e Rangel - Galvão


NOSSO ENESER - 2020 FOI UM VIRTUAL SUCESSO!


Estatística do Encontro Virtual

DIA 17 DAS 17:11H ÀS 22H DURAÇÃO: 4H 49MIN NA SALA (icc-vdpe-hna) SANTO AFONSO = 126 PARTICIPANTES

DIA 18 DAS 08:35H ÀS 22:20H DURAÇÃO: 13H 45MIN NA SALA (icc-vdpe-hna) SANTO AFONSO = 125 PARTICIPANTES

DIA 18 DAS 08:41H ÀS 13:49H 

DURAÇÃO: 5H 08MIN NA SALA (xrf-djyt-uje) MADRE CROSTAROSA = 27 PARTICIPANTES

DIA 19 DAS 08:24H ÀS 12:19H DURAÇÃO: 3H 55MIN NA SALA (icc-vdpe-hna) SANTO AFONSO = 96 

PARTICIPANTES MÉDIA DIÁRIA NA SALA SANTO AFONSO = 116 PARTICIPANTES



CAMPANHA UNESER

NÃO SE ESQUEÇA DE DEPOSITAR SUA CONTRIBUIÇÃO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
AGÊNCIA 4158
CONTA CORRENTE 0001792-8
OPERAÇÃO 003 - (Pessoa Jurídica)
CNPJ 20.773.657/0001-07


"ONDE HÁ AMOR E SABEDORIA, NÃO TEM TEMOR E NEM IGNORÂNCIA"

Santo Afonso


EDITAL ELEITORAL 2020

UNESER (UNIÃO NACIONAL DOS EX-SEMINARISTAS REDENTORISTAS) 

Comunicamos aos sócios da UNESER a realização da eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal, que seguirá os critérios estatutários e o calendário aqui definido.

Data da eleição: 19 de julho de 2020
Prazo para inscrição das chapas: de 06 de junho até 04 de julho de 2020.
Endereço para envio da inscrição da chapa em envelope lacrado com identificação "CHAPA 2020": Praça da Sé, 371-Sala 405, CEP 01001-000, São Paulo, SP.
Condições: Preenchimento de ficha, conforme modelo disponível no site da UNESER, no campo "Eleição Nova Diretoria - 2020 -2023". (www.uneser.com.br)
Elegíveis: sócios ingressos até 19 de janeiro de 2020
Eleitores: sócios ingressos até 19 de abril de 2020
Inscrição da chapa: Indicação de 12 nomes em seus respectivos cargos, com envio da ficha em envelope lacrado. Cargos: Presidente, Vice-Presidente, 1º Secretário, 2º Secretário, Diretor Financeiro, Diretor de Comunicação, Diretor Social, Diretor de Liturgia e quatro membros para o Conselho Fiscal, sendo dois titulares e dois suplentes, conforme modelo anexo.
Dúvidas e esclarecimentos: enviar para Comissão Eleitoral, por meio do site da UNESER, no campo "Fale Conosco", ou para o endereço da sede da UNESER
São Paulo, 03 de março de 2020 
José Vicente Naves
José Bonifácio Ferreira de Lima (Zequinha)
Antônio João Thozzi


FICHA DE INSCRIÇÃO (MODELO)

Cada chapa inscrita deve apresentar, dentro dos prazos e nas condições descritas e estabelecidas no Estatuto e Regimento das Eleições , os nomes completos para todos os cargos da Diretoria Executiva previstos no Estatuto, e para o Conselho Fiscal, caso contrário, não será aceita a inscrição da mesma;

CHAPA PARA ELEIÇÃO 2020/2023
DIRETORIA EXECUTIVA

PRESIDENTE :
VICE-PRESIDENTE:
1º SECRETÁRIO:
2º SECRETÁRIO:
DIRETOR FINANCEIRO:
DIRETOR SOCIAL:
DIRETOR DE COMUNICAÇÃO:
DIRETOR DE LITURGIA:
CONSELHO FISCAL:
1º CONSELHEIRO:
2º CONSELHEIRO:
1º SUPLENTE:
2º SUPLENTE: 



EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O presidente desta Associação, vem por este meio, de acordo com os Estatutos da UNESER (UNIÃO NACIONAL DOS EX-SEMINARISTAS REDENTORISTAS), convocar uma Assembleia Geral Ordinária para o próximo dia 19 de julho de 2020, às 9h, nas instalações da Casa de Hospedagem Seminário Santo Afonso, localizada à Rua Padre Claro Monteiro, 152, Cidade de Aparecida, SP, com a seguinte pauta:

1- Apresentação e avaliação das Contas do ano de 2019;

2- Apresentação e avaliação do Orçamento do ano de 2020;

3- Eleição da nova diretoria para o triênio 2020 - 2023

4- Informes.

Essa publicação ocorre de acordo com as normas estatutárias (circular, meios eletrônicos e no site da UNESER).

São Paulo, 28 de fevereiro de 2020.
Antônio Cláudio Ferreira - Presidente




COMISSÃO ELEITORAL 2020

São Paulo, 28 de fevereiro de 2020

Assunto: Formação da Comissão Eleitoral

De acordo do o artigo 1º do Regimento das Eleições da UNESER, União Nacional dos Ex-Seminaristas Redentoristas que diz "A Diretoria Executiva nomeará a Comissão Eleitoral, formada por no mínimo três pessoas, no mês de fevereiro do ano em que ocorrer o processo eleitoral", fica nomeada a Comissão Eleitoral com as seguintes pessoas:

JOSÉ VICENTE NAVES 
JOSÉ BONIFÁCIO FERREIRA DE LIMA (ZEQUINHA)
ANTÔNIO JOÃO THOZZI

Esta comissão desempenhará suas atribuições de acordo com o referido Regimento e as normas estatutárias que se encontram neste site na página DOCUMENTAÇÃO.

Diretoria Executiva da UNESER




CAMPANHA UNESER

  NÃO SE ESQUEÇA DE DEPOSITAR SUA CONTRIBUIÇÃO

               CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
               AGÊNCIA 4158
               CONTA CORRENTE 0001792-8
               OPERAÇÃO 003 - (Pessoa Jurídica)
               CNPJ 20.773.657/0001-07


Catequese com Santo Afonso: Teologia Moral para o povo

Viver segundo a proposta do evangelho não é fácil. Nossos dias apresentam desafios cada vez mais complexos, para os quais não existem respostas prontas e acabadas.

Com a nova série do A12, vamos percorrer alguns temas importantes de nosso tempo e buscar em Santo Afonso, o fundador da Congregação Redentorista, autor da grande obra Teologia Moral, as luzes para o nosso discernimento cristão.

A apresentação é do missionário redentorista Padre Anísio Tavares. Assista o primeiro episódio: Teologia Moral para o povo.

Ao longo da história, muitos intelectuais buscaram oferecer o seu ponto de vista e suas orientações, especialmente nos momentos de grandes mudanças de época. Um deles, foi Santo Afonso Maria de Ligório, que viveu no século XVIII, no sul da Itália, mais precisamente no então Reino de Nápoles.

Proveniente de família nobre, Afonso teve excelente formação acadêmica, artística e cultural. Aos 16 anos conseguiu o título de advogado do direito civil e canônico, ficando cada vez mais famoso por suas brilhantes defesas no tribunal napolitano.

Ao se decepcionar com a corrupção do meio jurídico, o jovem advogado deixa os tribunais para consagrar a vida como padre. Dedicou-se totalmente à evangelização dos pobres que viviam nas periferias de Nápoles.

Indo para as montanhas em busca de descanso, encontra os cuidadores de cabras, que viviam no mais profundo abandono da Igreja. Afonso, inconformado, busca meios para levar o Evangelho àquela gente pobre de Deus e, portanto, pobre de tudo.

Ouvindo o chamado de Deus, fundou a Congregação Redentorista, a fim de levar a todos a o amor infinito de Deus, cuja misericórdia alcança todas as pessoas e a pessoa toda.

Afonso dedicou-se com esmero para formar bem seus missionários a partir de princípios morais que ajudassem o povo a crescer na vida cristã. Sua obra magna, a Teologia Moral, não estava voltada somente para os debates universitários e para o atendimento das confissões, como era costume naquela época. Sua preocupação era fazer com que o povo simples pudesse ter acesso a suas reflexões. Para isso, toda a densa reflexão esquemática da "teologia moral" tornou-se acessível a todos por meio de seus livros espirituais, pinturas e canções.

Santo Afonso não traz receitas prontas para os desafios que enfrentamos hoje, mas nos ensina a rever nossas atitudes a partir do profundo de nossa consciência. Ele nos ensina que não é a obediência cega a Leis e Normas que mudará nossas atitudes, mas sim os valores assimilados e assumidos em consciência.

A SÉRIE

A nova série do A12, 'Catequese com Santo Afonso', vai trazer luzes sobre os valores essenciais para vida em família, comunidade e sociedade. Gravada em São Paulo, a série de sete episódios vai lançar um novo vídeo a cada semana.

Acompanhe! 


Acesse o link para assistir:  https://www.youtube.com/watch?v=yUcA5oxLTqY


Dia 27 de junho: Celebração de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Saiba como rezar a Novena do Perpétuo Socorro


Junho é o seu mês; 27 de junho, dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

 A Novena Perpétua, uma das práticas de fé intrinsecamente ligadas à devoção à Mãe do Perpétuo Socorro, é outra forma de fazer o anúncio da redenção, do amor de Deus, através da mensagem do ícone.

A denominação "novena perpétua" vem do fato de que as orações que fazem parte dessa devoção são rezadas num determinado dia da semana, mas em todas as semanas do ano, ininterruptamente. Em alguns lugares, a novena acontece na terça-feira, em outros lugares, na quarta-feira.

A tradição de celebrar a novena tem mais de oitenta anos. Começou em 1922, na Província Redentorista de São Luis, nos Estados Unidos. Com o passar do tempo, essa devoção propagou-se pelo mundo todo. Vale lembrar que o Papa Pio IX entregou o ícone aos cuidados dos Missionários Redentoristas em 1866. E os missionários começaram a divulgar a devoção em suas paróquias, nas missões populares e, enfim, 61 ano depois de receberem a missão especial dada pelo Papa, os missionários começaram as novenas perpétuas nos Estados Unidos, e a celebração se espalhou pelo mundo inteiro. Hoje, não apenas nos santuários, mas em milhares de capelas e outras localidades, a novena é celebrada. 

Saiba mais lendo em: https://www.a12.com/redentoristas/noticias/conheca-o-significado-e-saiba-como-rezar-a-novena-do-perpetuo-socorro?fbclid=IwAR2jB1Vvy144ASSg2Pegglp0LDf5sJXE_hC3Az1PVwAys5NISORvRNU3uBs 


ERESER TIETÊ - REENTURMA 2019

No final de semana, de 24 a 26 de maio, aconteceu o IX Encontro Regional dos Ex-Seminaristas Redentoristas na cidade de Tietê - SP - Seminário Santa Teresinha.

Veja algumas fotos aqui no site: Eventos/Regional Tietê



  • AÇÃO ENTRE AMIGOS

Colabore com a Uneser acessando o link:

https://www.uneser.com.br/acao-entre-amigos/



Conheça a nova formação da CNBB eleita em Assembleia de 2019 que define a nova presidência, os presidentes das Comissões Episcopais Pastorais e os represenantes da CNBB no CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano)

"Nosso olhar deve permanecer voltado para os mais pobres, fortalecendo nossas ações no exercício da caridade, do amor, na busca da justiça, imprescindível para a construção da paz" - com essas palavras, o Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, recebeu o comunicado de sua eleição para a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), nos próximos quatro anos, durante a realização da 57ª Assembleia, em Aparecida (SP).

:: Como é feita a eleição da CNBB?

Dom Walmor sucede ao Arcebispo de Brasília (DF), Cardeal Sérgio da Rocha. A cerimônia de posse acontece na manhã da próxima sexta-feira, 10 de maio.

Vice - Presidente

O arcebispo de Porto Alegre (RS), Dom Jaime Spengler, foi eleito como primeiro vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ele foi escolhido no terceiro escrutínio por maioria absoluta do total de 301 votantes.

Ao aceitar o cargo Dom Jaime disse: "Com temor e tremor, acolho". Dom Jaime substitui Dom Murilo Krieger, Arcebispo Primaz do Brasil, da Arquidiocese de Salvador (BA).

2º Vice-Presidente

O segundo vice presidente é o Bispo de Roraima, Dom Mário Antônio da Silva. Ele afirma aceitar a indicação com confiança e em nome do povo da Amazônia.

Em breve serão anunciados os novos eleitos para compor a presidência da conferência. Você acompanha a atualização no quadro que preparamos abaixo.


VOCÊ JÁ LEU O NOVO INFORMATIVO DA UNESER ???

Acesse o link: https://www.uneser.com.br/informativos-uneser/


ATENÇÃO

NESTE NOVO LAY-OUT DO SITE VOCÊ DEVE COLOCAR O MOUSE NO MENU ACIMA E SOBRE AS OPÇÕES DE PÁGINAS QUE SÃO APRESENTADAS.

EM DETERMINADOS ASSUNTOS APARECERÃO SUB-PÁGINAS QUE TAMBÉM PODERÃO SER VISITADAS.

QUANDO HOUVER O SINAL > APÓS A PALAVRA, CLIQUE SOBRE ESTE SINAL QUE APARECERÃO OUTRAS SUB-PÁGINAS A SEREM CONSULTADAS CLICANDO TAMBÉM SOBRE ELAS.

NO FINAL DO MENU VOCÊ ENCONTRA A OPÇÃO "MAIS" COM MUITAS OPÇÕES DE CONSULTAS.


"Fortes na fé, alegres na esperança, ardentes na caridade, inflamados pelo zelo, humildes e sempre dados à oração."

Constituição dos Redentoristas nº 20


HINO DA UNESER

LETRA E MÚSICA DO PADRE JOSÉ DE ANCHIETA TAVARES, CSSR

Acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=R-9NMsELjw8

Produção: CortezVídeo


O papel dos ex-seminaristas na Igreja

Por Pe. J. B. Libanio, sj

As experiências passadas desempenham papel extremamente ambivalente na vida das pessoas. Umas servem de alento, de força vital, de incentivo para caminhar, crescer, abrir-se ao mundo. Outras paralisam, bloqueiam, inferiorizam as pessoas. É difícil entender por onde passa o divisor de águas. Tal constatação vale para os ex-seminaristas. Entre eles existem desde ateus e revoltados contra a Igreja, carregando escuras manchas do tempo de seminário, até pessoas que se comovem às lágrimas quando pensam nos idos da vida clerical.

Esse numeroso contingente de homens, hoje espalhado pelo país e fora dele, por profissões e atividades bem diversas, merece atenção pastoral especial. Além das habilidades que adquiriram depois da saída do seminário, muitos conservam excelente formação religiosa e teológica que prestaria valiosa contribuição para a comunidade eclesial.

Não temos a mínima ideia da riqueza humana e religiosa que os ex-seminaristas significam. Um primeiro passo para tomar pé nesse enorme oceano humano consiste em levantar-lhes os nomes e dados mínimos sobre a dupla experiência do tempo de seminário e depois dela. Acrescentar-se-ia a esse primeiro levantamento uma coluna de sugestões e de disponibilidade pastoral que oferecem.

Que tal se alguma cúria ou secretariado de pastoral criasse um site de ex-seminaristas e aí se conversasse com a finalidade de agrupá-los, pô-los em relação entre si e com alguém que os coordenasse? Quanta proposta maravilhosa surgiria!

Certas pessoas dispõem de potencial incalculável que, entretanto, não rendem frutos por falta de ocasião ou de algum empurrãozinho inicial. Talvez nem lhes tenha ocorrido que, com a formação recebida no seminário diocesano ou religioso, contribuiriam altamente para o enriquecimento da vida da Igreja. A catequese, a pastoral da juventude, o ministério da escuta, a ajuda em campos específicos - psicológicos, jurídicos, técnicos e outros - encontrariam inúmeras pessoas disponíveis que, além dos talentos profissionais, trazem experiências espirituais de valor.

Os seminários e a vida religiosa já viram passar por seus muros multidões inumeráveis de jovens que guardam recordações positivas e gratidão pelo que receberam. Falta acordar sua memória e impulsionar-lhes o desejo de pôr em prática sonhos um dia acalentados.

Mesmo em relação aos que sofreram traumas ou saíram marcados negativamente, há espaço para a reconciliação. Os antigos já nos semearam a memória com ditos segundo os quais o tempo é ótimo juiz das coisas, cura as feridas, lapida as pedras, abranda o ódio, muda a si e a nós com ele. Apostando no futuro, faz-se possível a dupla pastoral com os ex-seminaristas: de valorização de seu cabedal de riqueza espiritual, intelectual e humana e de "purificação da memória".

* Doutor em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma. Há mais de três décadas vem se dedicando ao magistério e à pesquisa teológica. Tem vários livros publicados no Brasil e no exterior. É vigário da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes em Vespasiano, na Grande Belo Horizonte-MG.

Pe. J. B. Libanio, sj