Mensagem do Superior Geral Padre Michael Brehl

Mensagem do Superior Geral Padre Michael Brehl na Jornada Afonsiana

Queridos jovens!
1.            Em nome do Governo Geral da Congregação dos Redentoristas, eu trago um abraço caloroso a cada um de vocês que se encontra aqui em Aparecida nesta Jornada Afonsiana. A Jornada Mundial da Juventude nos aguarda no Rio de Janeiro, mas o Papa Francisco vai fazer como nós estamos fazendo: ele virá primeiro à Aparecida, depois de amanhã, para ser abençoado pela Padroeira do Brasil e depois vai voltar ao Rio para realizar os encontros mais importantes desse evento maravilhoso que está mobilizando jovens do mundo inteiro. Esse gesto do Papa nos honra muito pois a Igreja confiou aos redentoristas, há mais de 100 anos, o cuidado pastoral desse Santuário. E, desse modo, nossa família religiosa participa diretamente dessa festa e se renova na alegria do encontro com nossos jovens vindos de todas as unidades da Congregação espalhadas por esse país lindo e imenso. Além disso, temos a honra de receber jovens redentoristas de outros países que estão aqui no Brasil para participar da Jornada Mundial.
2.            Santo Afonso de Ligório foi um jovem inquieto como vocês, interessado em viver plenamente como vocês! Um jovem que viveu a fé e se deixou tocar pelo encontro profundo com Jesus Redentor do mesmo modo como vocês hoje também realizam suas vidas na companhia de Cristo! Santo Afonso, o fundador da nossa Congregação, portanto, com o seu exemplo de vida, é a nossa mais bonita e poderosa mensagem para esse encontro de hoje! Sua história pessoal nós já conhecemos, a história de nossa Congregação também é bem conhecida entre nós, mas hoje, podemos fazer um caminho breve para reencontrarmos Santo Afonso e nos unirmos aos redentoristas que atuam em 78 unidades presentes nos 5 continentes da Terra. Esse caminho nos aponta para os valores do jovem Afonso que nos são reapresentados nessa jornada. Os valores do jovem Afonso são os valores que brotam da experiência cotidiana com Jesus, nosso Redentor.
3.            Eu sei que a Igreja no Brasil, em sua mensagem constante aos jovens, tem insistido nesses mesmos valores da vida com o Redentor que Santo Afonso tanto procurou viver e pregar. E é da orientação da Igreja no Brasil que busco uma primeira inspiração para o primeiro passo do nosso caminho: sejam missionários do Redentor! Não se conformem com a vivencia íntima da fé que anima nossa esperança. Saiam de si mesmos e procurem o irmão que está abandonado. Não alimentem a vocês mesmos e a seus amigos mais próximos, arrisquem em ir ao encontro dos pobres e dos solitários, dos doentes e dos infelizes. Sejam missionários do Redentor! Jamais se entreguem à acomodação, mas procurem dar testemunho da fé nas escolas que vocês estudam, nas rodas de amigos que vocês frequentam, nas festas e em todos os lugares onde vocês gostam de estar e de celebrar a vida.
4.            Santo Afonso foi um jovem apaixonado por Deus, pela vida e pelos irmãos. Em toda a sua vida, nos mais pequenos detalhes, ele demonstrou essa paixão que consumia seus dias. Uma paixão tão bela e tão profunda que ele não admitia perder tempo. Vocês estão aqui hoje movidos por uma paixão semelhante porque foram capazes de mobilizar suas comunidades, fazerem uma longa preparação, tomar uma condução e vir para a Aparecida. Essa mesma paixão está sustentando a alegria de encontrar outros jovens, os romeiros de Nossa Senhora e os missionários redentoristas que estão aqui no dia de hoje. Eu peço a vocês, de todo o meu coração: não deixem que essa paixão diminua! Permitam que esse fogo continue a aquecer seus corações e garanta a vocês uma vida de muita felicidade. Conservem essa paixão por meio da oração constante e pela fidelidade à vida em comunidade. Podem estar certos: a graça de Deus não vai faltar! E a paixão que envolve o trabalho de todo redentorista tem uma fonte inesgotável que nós não podemos deixar de ir a ela para buscar sempre ânimo e força. Essa fonte é o coração do nosso Redentor. Sejam frequentadores do coração de Jesus e encontrem nele sustento do fogo da paixão que sustenta nossa vida de missionários!
5.            Sob o fogo dessa paixão afonsinana, lembremos que as condições indispensáveis para a nossa missão são a integridade pessoal e unidade com os irmãos. Jamais conseguiremos anunciar verdadeiramente o Redentor se não O temos como o Senhor de nossas vidas. Antes de tudo, meus queridos jovens, é preciso que aprofundemos a nossa amizade com Jesus e dele aprendamos tudo o que é necessário para assumir a tarefa de proclamar a vontade do Pai, amparados e iluminados pela força do Espírito Santo. Essa experiência nos deixa inteiros, íntegros diante do mundo e dos irmãos. E essa integridade pessoal nos habilita para, juntos com os irmãos, construir a unidade. A Igreja é o nosso ambiente de comunhão. Ela nos capacita para permanecer íntegros e unidos aos irmãos.
6.            Na Igreja, a comunidade dos filhos de Santo Afonso recebe do Evangelho a orientação de que é preciso frequentar a escola de Maria para aprendermos a ser humildes. A humildade que nos coloca no lugar certo na vida: nem maiores, nem menores do somos. Vocês devem ouvir todos os dias e de todos os lados que devem se grandes, vencedores. Que devem brilhar, ganhar muita fama, se destacar dos demais e construir carreiras excepcionais. Vocês devem ouvir que a vida só vale a pena com muita abundância de bens e exercendo muitos poderes. Esse cenário que se apresenta de forma constante para vocês e para todos nós no mundo de hoje está em profundo contraste com o que aprendemos na escola de Maria. Se observarmos bem o que ela nos ensina, vamos entender que ser grande, vencedor e para brilhar nessa vida só há um caminho válido que é o caminho da humildade: “O Senhor fez em mim maravilhas, Santo é o seu nome”(Lc 1,49).
7.            Santo Afonso frequentou essa escola. Era um grande devoto de Maria. E a humildade santa que se tornou lição permanente em sua vida o levou a conhecer a estudar a ciência da justiça e a encontrar o mundo dos miseráveis, dos pobres e dos doentes. Ele contemplava a vida da Mãe do Belo Amor e se jogava, com toda coragem, em direção dos abandonados do mundo. Pode-se dizer até que o zelo pela justiça tomava conta dos seus dias pelo empenho que sempre demonstrou em fazer o que é certo, o que é justo, o que é da vontade de Deus. Ele não assistia a tudo sem se mover. Ele saia do seu ambiente de conforto, da sua casa, da sua cidade e foi para as montanhas na Costa Amalfitana. Lá no alto, ele conheceu o abandono dos cabreiros e, também lá, ele resolveu redirecionar sua vida em Deus realizando uma consagração especial a serviço desses abandonas. Esse zelo de Santo Afonso é o motivo de um grande apelo que faço nessa jornada: jovens do Brasil e do mundo, sejam zelosos, busquem praticar a justiça e nunca se esqueçam os pobres!
8.            Jovens: realizem essa missão com entusiasmo, com alegria no rosto e com a força da fé. Mantenham viva essa chama acendida por nosso fundador. Honrem o que nossos missionários fizeram nesses quase 300 anos de história da nossa Congregação. Vocês são a nossa força e o nosso rosto nos dias atuais. Os jovens seminaristas, os jovens vocacionados à vida consagrada e ao sacerdócio e, claro, os jovens chamados a outras vocações na Igreja e que fazem parte de nossas comunidades paroquiais. Vocês representam a vitalidade de nossa ação missionária. Vocês não são meros aprendizes dos velhos redentoristas, mas vocês são também mestres e nos ensinam a não desanimar, não calar a voz a não ter medo desse mundo tão complexo pela avanço tecnológico e pela profusão de ideias sociais e econômicas que tanto causam impactos em nossas culturas. Repito: vocês, jovens, são a expressão da nossa vitalidade!
9.            Daqui a muito pouco tempo vamos acompanhar os movimentos da Jornada Mundial da Juventude e nela veremos o fervor dos jovens do mundo inteiro em proclamar sua fé no Redentor. Vocês sabem bem: a Igreja no Brasil, de forma inspirada, preparou essa Jornada promovendo em todas as dioceses de onde vocês vieram uma Semana Missionária. Como foi bom saber dessa iniciativa da Igreja! Como foi bonito ver essa movimentação dos jovens dentro de um ambiente tão conhecido dos redentoristas. Em várias paroquias foram realizadas atividades que lembram, perfeitamente, nossas missões populares. Vocês viram de que modo maravilhoso as famílias e as comunidades participaram desse Semana Missionária. E, certamente, vocês participaram de tudo isso. Desse modo, o dia de hoje, o dia da Jornada Afonsiana, se torna o dia de renovarmos um compromisso bem redentorista. O compromisso de participarmos dessas jornadas e voltarmos para nossas comunidades para seguir em nossa ação missionária explicita, corajosa e criativa! Esse dia de hoje, então, é um dia de profundo e profético otimismo para a Congregação. É o dia de olharmos para frente com esperança e alegria contando com todos vocês em nossa obra missionária.
10.          Santo Afonso, vocês abem, ficou muito conhecido na Igreja como um verdadeiro apóstolo da reconciliação pela obra teológica que desenvolveu no campo da Moral e pelo fulgurante testemunho que nos deixou como confessor. Por causa disso, não podemos deixar de destacar que o trabalho missionário de todos os redentoristas, especialmente, dos jovens padres, consagrados e leigos deve ser marcado pela misericórdia. Santo Afonso se preocupava com as consciências e deixou-nos uma grande contribuição espiritual que pode nos ajudar a formar as nossas consciências na retidão e na misericórdia. Para um redentorista, a bem-aventurança da misericórdia é uma lei de ouro. Vocês sabem, queridos jovens, que a tirania e o moralismo estão nos tentando o tempo todo a ficarmos apontando o dedo para os erros uns dos outros. Não podemos ceder. Para todo cristão, mas particularmente para nós redentoristas, o anúncio e o testemunho da misericórdia é de fundamental importância: “Sejam misericordiosos, como também o Pai de vocês é misericordioso”(Lc 6,36).
11.          Jovens: vocês estão em nosso coração! Podem estar certos de que de um canto ao outro mundo, nossas comunidades redentoristas estão em sintonia conosco aqui em Aparecida. Os confrades de longe e de perto se alegram com esse nosso encontro. Juntos, como irmãos, renovamos o amor que nos faz sempre abertos para receber de Cristo, seu maior dom: a copiosa redenção. O amor que une os redentoristas neste dia é o amor do Redentor. Lá no Rio de Janeiro, no alto do Monte do Corcovado, servindo de sinal de identificação daquela cidade linda no mundo inteiro está uma belíssima e gigantesca do Redentor. E Ele olha para a cidade de braços abertos. Essa imagem já correu o mundo e se tornou uma marca da cidade. Vejam vocês: o Redentor é a marca do Rio. O Redentor de braços e coração abertos para receber a humanidade inteira num abraço de redenção. Essa particularidade dá aos redentoristas um sinal bonito da nossa participação na Jornada Mundial da Juventude. Eu desejo que todos que lá para o Rio de Janeiro vão viajar que se deixem abraçar pelo Redentor! Sintam a força, o conforto e o amor daqueles braços e daquele coração.
12.          Minha última palavra é um pedido: perseverem! Não deixem que essa alegria do dia de hoje se perca no horizonte de vocês! Lembrem-se de Santo Afonso. Lembrem-se dos amigos que vocês fizeram nessa Jornada Afonsiana. Lembrem-se dos redentoristas que encontraram aqui. E, claro, lembrem-se de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Ela disse aos serventes daquelas bodas de Caná, na Galiléia: “Façam o que Ele mandar” (Jo 2, 5). Ela nos diz, hoje, a mesma coisa. Sigamos essa sua santa orientação e vamos participar com todo o nosso vigor da Jornada Mundial da Juventude indo ao Rio ou acompanhando o Papa Francisco os milhões de jovens que estarão lá a partir de amanhã com nossas orações. Rezem pelos redentoristas do mundo inteiro. E, quando voltarem às suas casas, levem um abraço meu aos seus pais e irmãos. Um abraço especial. Digam no ouvido deles: “este abraço é do Pe. Michael, o Padre Geral dos Redentoristas que eu trouxe para você!”.
 
Pe. Michael Brehl
Superior Geral