Publicações Diversas

NOVA GERAÇÃO REDENTORISTA
Em uma mensagem, que se veiculou por aqui outro dia, foi escrito :
"O cristianismo carece de mais "comblin's". " (Refere-se ao falecido Pe.José Comblin, teólogo da libertação)
Hoje, dia 30 de março, no programa BEM-VINDO ROMEIRO da TV-APARECIDA acompanhei uma cena que, sobre ter-me emocionado, trouxe-me a seguinte dúvida: Será?
Padre Evaldo César de Souza, o apresentador do programa e mineiro de Bom Repouso, como já foi noticiado, faz hoje 34 anos de vida.
Vi, então uma festinha singela, mas muito emocionante, para este sacerdote que vem despontando na grei alfonsiana, levando para nossas antenas, um programa diário entre 10:00h e 11:45 dedicado à Mãe Aparecida e ao seu santuário na forma bastante acessível ao público cristão/católico e demais, inserindo com muita dedicação em seu contexto a propagação autêntica do Evangelho.
É um jovem de 34 anos.... Segue com o Padre César Moreira CSsR, diretor da TV, os mesmos caminhos do servo de Deus, Padre Vitor Coelho de Almeida, do Padre Ruben Leme Galvão CSsR e tantos outros que militaram nas sagradas ondas da Rádio Aparecida.
Há uma geração que vem despontando para a missão sagrada, fazendo crescer os pastores do cristianismo, ainda que com pouca idade, mas com muito Cristo, ele que viveu aqui 33 anos, difundindo da melhor forma como ser LUZ, FERMENTO E SAL.
Quando menciono apenas esse padre jovem, logo nossa mente vai atingir a tantos outros que estão em pleno trabalho nos santuários, nas missões e nos conventos e que passam, como é desejo da regra de Santo Afonso, desapercebidos de todos, quando indivíduos.
Mas ele está em foco porque há um anseio do povo para que isso ocorra.
Entretanto, os demais, ora em seminários, ora em conventos, praticam encontros e orações constantes nas horas do breviário que conhecíamos em nossos tempos de seminário e hoje o sabemos como a Liturgia das Horas.
Portanto, há sim hoje bons missionários como os padres mais antigos já mencionados e ainda os padres Sotillo, Siqueira (Dom Camilo), Oscar Chagas, João Batista, Pelágio Sauter, Antão Jorge, Nogueira, Antônio Penteado, Miguel Poce, Sônego, Veira (Costa), Negri, Brandão e tantos outros....
Encerro pois com esta afirmação segura:
SIM, NÓS TEMOS HOJE EXCELENTES PASTORES QUE NOS CONDUZEM NA FORMA DO EVANGELHO, PARA DEUS!
Neste dia, em que nosso papa Bento XVI nos traz as lições do doutor da Igreja, Santo Afonso Maria de Ligório!
Antônio Ierárdi Neto
"Fortes na fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração," SANTO AFONSO - (Constituição 20)
Lista de Comentarios

Comentario : DO ANIVERSARIANTE DO DIA, PADRE EVALDO Nossa, que boas palavras! Tenho tido um dia diferente hoje, um aniversario com muitas sensações... fiquei feliz com o email... que Santo Afonso nos abençoe sempre!
Data : 30/03/2011-20:20:24
 
 
RETIRO NA PEDRINHA EM 2011 ( O ÚLTIMO DO PADRE LIBÁRDI(+))
 
Foi ontem....Neste momento todos já estamos em nossos afazeres de sempre....
Que falar sobre esse encontro?
A princípio uma viagem tranquila de São Paulo a Aparecida e ali, na sexta-feira, às 9h, vimos a missa no santuário nacional, celebrada pelo Padre José Inácio de Medeiros CSsR, até janeiro na Rádio Aparecida e agora diretamente lotado no santuário basílica nova.
Fizemos a visita indispensável à imagem original encontrada no Rio Paraíba e, com as bênçãos da Mãe Aparecida, fomos colher outras, com os Padres Furlani, Camilo, Pasquoto, Ulisses , Desidério(Toninho) e nosso estimado Padre Brandão CSsR. O padre Pasquoto, que apressadamente se dirigia ao altar para a celebração da Consagração à Nossa Senhora, nos cumprimentou radiante e informou que iria anunciar lá, o que foi naturalmente a para o ar pela rádio e tv Aparecida, o nosso retiro que se iniciaria às 17h daquela sexta-feira.
Em seguida, outra visita agradável com as bênçãos de outros padres da congregação. Luís Carlos, Elias e Magalhães. Este último foi nosso cicerone na apresentação do novo auditório do SRSA que fora inaugurado na noite do dia anterior.
 
Isso realizado, partimos para a Pedrinha em direção Casa que nos abrigou e ainda hoje nos recebe, rememorando grandes lembranças.
Mas o ambiente tranquilo e bucólico, inspira um encontro mais piedoso e sugere ali o retiro de todos os anos nesta época.
Lá estava o Padre Anchieta CSsR, agora missionário em Araraquara com o nosso diretor espiritual perene, Padre Libárdi CSsR, para pregar o seu primeiro retiro espiritual, fazendo-se e a nós felizes “cobaias” nesse mister.
 
E vieram as pregações e os pontos para guardar:
-GRÃO DE AREIA: Ruim no sapato, ruim no olho, bom no coração!
-A GRATUIDADE  vem da GRAÇA!
-Na convivência a dois, deixar voar, não amarrar as pernas da águia no falcão.
-Quanto mais alto a GRITARIA, maior a distância  entre os corações.
-Se alguém deve GANHAR a discussão, que seja o outro.
-Não pegar de volta a OPINIÃO que já deu.
-ADMITIR UM ERRO, sinal de grandeza.
-A colheita do SILÊNCIO é abundante.
-CASAR todo o dia com a mesma mulher e com o mesmo marido.
-A VIDA é uma escola!
-Ser LIVRO ABERTO não é fácil.
Entremeando palavras faladas com canções de sua autoria e de conhecidos sucessos como os de Roberto Carlos e outras boas e saudáveis canções populares, seguiu-se o retiro, partindo sempre , no plenário, graças ao pregador,  do respeito ao horário impecável.
E como nos demais encontros, muita comida, bem distribuída entre salgados, feijoada, farofa, leitão, bem como doces, paçocas, balas, bolos , gelatinas e outros...
 
Não faltaram os saraus de sexta-feira e sábado à noite, completando com lembranças e bolos de aniversariantes do mês.
 
No sábado recebemos boas visitas , Dom Joércio CSsR, Padre Darci e nosso pregador do retiro de 2008, Padre Desdério CSsR (Toninho)
Após o almoço do domingo, as despedidas cordiais de sempre e o desejo de novo encontro na primeira oportunidade, que poderá ser já em maio, no Regional de Tietê, e com certeza nos dias 29, 30 e 31 do próximo julho.
 
ATÉ LÁ PARA TODOS!
Antônio Ierárdi Neto
"Fortes na fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração," SANTO AFONSO - (Constituição 20) 
 
O PAPEL DOS EX-SEMINARISTAS NA IGREJA
Pe. J. B. Libanio, sj
 
As experiências passadas desempenham papel extremamente ambivalente na vida das pessoas. Umas servem de alento, de força vital, de incentivo para caminhar, crescer, abrir-se ao mundo. Outras paralisam, bloqueiam, inferiorizam as pessoas. É difícil entender por onde passa o divisor de águas. Tal constatação vale para os ex-seminaristas. Entre eles existem desde ateus e revoltados contra a Igreja, carregando escuras manchas do tempo de seminário, até pessoas que se comovem às lágrimas quando pensam nos idos da vida clerical.
Esse numeroso contingente de homens, hoje espalhado pelo país e fora dele, por profissões e atividades bem diversas, merece atenção pastoral especial. Além das habilidades que adquiriram depois da saída do seminário, muitos conservam excelente formação religiosa e teológica que prestaria valiosa contribuição para a comunidade eclesial.
Durante o encontro dos antigos seminaristas na Pedrinha em 11/13 pp. foi lido o texto do Padre Libânio, publicado da revista da Paulus janeiro-fevereiro, VIDA PASTORAL.
Todas as atenções e até chateações surgiram quando neste artigo foi sugerido o cadastramento de ex-seminaristas e ainda a criação de sites para maiores contatos e empuxo na evangelização por parte destes que hoje são leigos.
Nossos blogs http://uneserinterativa.blogspot.com fez um esclarecimento maior da existência da UNESER, entidade, site e blogs desde, pelo menos 17 anos (1994).
Iniciei a mensagem pelo início do artigo e agora transcrevo outra sugestão muito importante:
Certas pessoas dispõem de potencial incalculável, que, entretanto, não rende frutos por falta de ocasião ou de algum empurrãozinho inicial. Talvez nem lhes tenha ocorrido que, com a formação recebida no seminário diocesano ou religioso, contribuiriam altamente para o enriquecimento da vida da Igreja. A catequese, a pastoral da juventude, o ministério da escuta, a ajuda em campos específicos – psicológicos, jurídicos, técnicos e outros – encontrariam inúmeras pessoas disponíveis que, além dos talentos profissionais, trazem experiências espirituais de valor.
Os seminários e a vida religiosa já viram passar por seus muros multidões inumeráveis de jovens que guardam recordações positivas e gratidão pelo que receberam. Falta acordar sua memória e impulsionar-lhes o desejo de pôr em prática sonhos um dia acalentados.
Mesmo em relação aos que sofreram traumas ou saíram marcados negativamente, há espaço para a reconciliação. Os antigos já nos semearam a memória com ditos segundo os quais o tempo é ótimo juiz das coisas, cura as feridas, lapida as pedras, abranda o ódio, muda a si e a nós com ele. Apostando no futuro, faz-se possível a dupla pastoral com os ex-seminaristas: de valorização de seu cabedal de riqueza espiritual, intelectual e humana e de “purificação da memória”.
A colocação que ora faço é a seguinte : Nós, ex-seminaristas redentoristas, associados da UNESER, o que estamos fazendo pelo Evangelho?
Três vezes ao ano nos reunimos e rezamos muito.....E que mais?!?
Leiam com muito vagar e atenção o trecho logo acima que encerra a mensagem do Padre Libânio....
potencial incalculável....
empurrãozinho inicial....
formação rica da vida da Igreja....
experiências espirituais de valor...
recordações positivas e gratidão...
espaço para reconciliação...
tempo cura feridas, lapida as pedras, abranda o ódio, muda a si e a nós com ele...
valorização de seu cabedal de riqueza espiritual, intelectual e humana e de "purificação da memória"...
Vamos refletir e debater sobre tudo isso também?
Um abraço a todos!
Antônio Ierárdi Neto
"Fortes na fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração," SANTO AFONSO - (Constituição 20)
PS- Essa mensagem é destinada a todos os ANTIGOS SEMINARISTAS, inclusive Padres e Irmãos.....
Lista de Comentarios
Nome : gilberto dos santos
E-mail : juoseph@yahoo.com.br
Comentario : pela internet, reservada, orei muito pelo nosso lider espiritual, pe. helio libardi. agradeço s Deus pela sua recupareção e pela sua volta logo ao nosso convívio. Que nesta pascoa do senhor possmos nos encontrar-mos na paz de Tiete, junto ao diacono Ari e companhia,espero o calendário. Abraçod, ns psz do redentor; Gileberto, turma de 1978/2000. Fiquem com Deus.
Data : 11/04/2011-12:50:58
----------------------------------------------------------
Nome : gilberto dos santos
E-mail : juoseph@yahoo.com.br
Comentario : 
Data : 11/04/2011-12:51:23
----------------------------------------------------------
Nome : LUIZ GONZAGA GRANDO
E-mail : lgonzaga@fasternet.com.br
Comentario : Como é bom saber que alguns padres dão valor aos que passaram pelo seminário, embora a gente sinta alguma repulsa por parte de alguns, da mesma forma que sentem pelos diáconos, talvez por medo de certas cobranças. E o nosso PAIZÃO, rezemos para que ele esteja atuando novamente com sua energia, estamos rezando por ele.
Data : 16/05/2011-20:23:06
Criado por: Antonio Alves de Castro | E-Mail: norix@brturbo.com.br
Insira seu texto
'Congratulações pelo seu cinqüentenário de sagração sacerdotal. Minha alegria tambem pelos 50 anos do Pe. Messias. Você não lembra, mas eu sim, quando íamos para a casa de férias e você me falava sobre meu dom para poesia, porque meu nome era semelhante ao de Castro Alves. Íamos nós dois, mochila nas costas, amassando a estrada de macadame. Eu, hoje, como aposentado, me dedico mais tempo a poesia em língua portuguesa e latina e faço textos de crítica pedindo ao governo soluções para os problemas do país que tanto amamos. Depois de idas e vindas, agora estou mais me dedicando à religião católica, freqüentando as missas regularmente. Sinto uma imensa saudade de todos os momentos que passei no Seminário de Santo Afonso. Abraços do Antonio Alves de Castro-vulgo Piá. 
Criado por: Nelson Alves Nunes | E-Mail: art.card@itelefonica.com.br
Nesta semana - 7 a 12/03 - os missionários redentoristas realizam no CERESP, Seminário Sto. Afonso em Aparecida, a 1ª Assembléia da América Latina e do Caribe, cujo objetivo é organizar as unidades redentoristas dessa porção continental para a missão da Evangelização segundo o carisma de Sto. Afonso.
Sabendo da presença do Superior Geral da Congregação Pe. Michael Brehl, Ir. Jeremias Chappo, animador do grupo de cooperadores leigos redentoristas de Aparecida e região agendou com ele uma reunião na noite de 9/03, tendo também convidado a UNESER para dela participar.
Pela pouca familiaridade do Pe. Geral com a língua portuguesa, Pe. Enrique Lopez, conselheiro geral e vigário geral da CSSR, fez ao grupo uma explanação sobre os objetivos da assembléia, destacando, em especial, o papel e função do leigo redentorista na missão evangelizadora. Em seguida Pe. Brehl, valendo-se de tradução do Pe. Enrique Lopez, complementou o tema e deixou a todos sua mensagem.
Ao final, todos os presentes puderam trocar algumas palavras com ambos os padres, cumprimentá-los num clima de muita fraternidade e amizade.
Presentes, da UNESER, Manuel Hildegardo(Mané), Paulo de Oliveira(Paulinho), Nelson e Damião.
Agradecemos ao Ir. Jeremias pela iniciativa  e ao Pe. Brehl e ao Pe. Henrique Lopes pela gentileza de sua  atenção.
Nota: Pe. Enrique Lopez, paraguaio, há tempos integra o governo geral da CSSR. Pe. Michael Brehl, canadense, é o 17º sucessor de Sto. Afonso, tendo sido eleito superior geral há pouco mais de um ano.
Obs. Texto Paulo de Oliveira - 
 
 
        UMA VEZ REDENTORISTA, SEMPRE REDENTORISTA!
 
Nosso Blog!
Nosso Blog está criado.
Precisamos torná-lo bem dinâmico, com artigos, comentários, fotos, sugestões e tudo mais.
Não haverá censura quanto aos pontos de vista contrários, em relação às atividades da UNESER, de forma que você pode fazer sua crítica e expor seus pontos de vista e sugestões.
Na medida do possível a Uneser analisará as sugestões e críticas e se viáveis, as adotará.
Você que tem fotos antigas do Seminário, publique-as para termos um álbum comum.
Foi dada a partida! Visite o blog constantemente.(José Roberto Staliano)
Em 10 de fevereiro de 2009, há dois anos passados, nosso colega Staliano fez a primeira postagem deste blog:  http://uneserinterativa.blogspot.com  precisamente às 07:56h PM.
Estava surgindo assim o grande instrumento de comunicação dentro de nossa sociedade de antigos seminaristas redentoristas a UNESER.
Pela publicação de já quase 5.950 postagens nestes dois anos, acompanhamos as lembranças tão felizes de nossos tempos de Seminário em Aparecida e na Pedrinha. Transcrevemos  orações diárias, homilias e artigos evangelizadores de diversos padres redentoristas, notícias de nossos colegas e amigos em todas as esferas e os vídeos e fotos dos nossos eventos.
Há também uma rememoração da vida daqueles que por aqui passaram, estiveram na congregação redentorista, como padres, irmãos e seminaristas e hoje gozam os tempos felizes eternos.
Todos os dias este blog repassa votos de felicidades a todas as pessoas de nosso meio redentorista, considerando as datas de aniversários e de celebrações jubilares.
Enfim, este blog continua constante e periódico, desde  sua criação, todos os dias trouxe alguma postagem sem algum hiato de continuidade.
Há ainda um cuidado muito especial na sua apresentação, considerando as imagens,  alinhamento e português correto, bem como a precisão nas informações.
Assim vamos seguir e toda mudança será sempre para melhor, no sentido de proporcionar  a todos os interessados alguns minutos no dia para reflexão e informação.
PARABÉNS BLOG: HTTP://UNESERINTERATIVA.BLOGSPOT.COM  , e neste terceiro ano que iniciamos, se fosse casamento seriam as Bodas de Couro, esperamos poder manter nossa perseverança e, cada vez mais, melhor interesse na comunicação fraterna.
Antônio Ierárdi Neto
O importante é o que nos une e não o que nos separa.(João XXIII)
Visite o blog:

http://uneserinterativa.blogspot.com
Morreu,  em 06/11/2010 , meu irmão Orlando Geraldo Menezes. Ele era amigo  dos  redentoristas, em cuja comunidade  de Aparecida foi criado e teve toda a sua formação religiosa.  Ali  nasceu e foi batisado na basílica velha, tendo como padrinho São Geraldo, de quem levou o nome. Ali também foi congregado mariano e cantor do coro. Ingressou na Escola Militar do Barro Branco e se aposentou como coronel PM. Compareceu a vários encontros da Uneser, sempre trazia cerveja preta para o padre Libardi. Foi seminarista dos padres capuchinhos em Piracicaba, em cujo seminário permaneceu por três anos. Orlando deixou-nos uma vasta obra de crônicas e poesias, era fã incondicional de Monteiro Lobato. Transcrevo aqui uma de suas poesias que muito me toca, pois fala dos sinos da basílica velha que nós, em nossa infância,  tínhamos como parte de nosso  dia a dia no bairro de Santa Rita. Éramos  netos de italianos e tivemos uma forte formação católica e costumes que reportavam sempre a fé trazida  de Treviso, no Veneto, terra de nosso antepassados.
OS SINOS DE MINHA TERRA
"Bença mãe, bença vó, bença tia" !
Naqueles tempos de outrora
Naquela sagrada hora
Singelo e devoto grito
Que da alma inocente saia
Como num instintivo rito
E co'o badalar confundia
Dos sinos de Aparecida
Os sinos de minha vida.
 
Sempre naquela hora
Saudosos tempos de outrora
Os sinos de Nossa Senhora
 
Recordando hoje, e quanto !
Que ao badalar de meus sinos
Co'a alma cheia de encantos
Todos nós inda meninos
Numa infantil louvação:
"Bença mãe, bença vó, bença tia" !
Os sinos do meio dia
Meiga e piedosa oração.
 
Agora, saudade dorida !
Sentindo um vazio na vida
Restando em cinzas meus sonhos
Por mais que eu queira clamar
Vou compreendendo tristonho
Por mais que eu queira rogar
Que não mais ninguém responde
Na lembrança a dor se esconde
A mesma fé inda existe
O badalar inda insiste
Pois que inda tocam os meus sinos
Mas não existem os meninos.
ALEXANDRE DUMAS PASIN
Em 22 de novembro comemora-se o dia de Santa Cecília, a padroeira da música e do canto sacro!

“A sua vida foi música pura, cuja letra se tornou uma tradição cristã e cujos mistérios até hoje elevam os sentimentos de nossa alma a Deus.” (Dom Evaristo Arns)
Quando passei pelo seminário de Santo Afonso em Aparecida, tive a oportunidade feliz de desenvolver esse sentido musical, que todos temos, e aprender muito dessa matéria que é curriculum vitae do zero ao cem anos.
Tocava inicialmente violino...
Assim, ao lado do Joaquim, o “Florentino”, que dedilha maravilhosamente os teclados de um órgão, ou harmônio, ou piano ou até sanfona, tínhamos muito sucesso em dupla ao fazermos soarem as belas notas musicais de “O VIOLINO CIGANO!”
Outro sonho que me envolvia era, às 18h de cada dia da semana, correr pelos corredores das salas de aula em busca de um harmônio livre ...
Daí surge uma pessoa carismática, sisuda, até meio nervosa, mas com um sensível e afinado veio musical: 
PADRE DÉLCIO VIESSE CSsR(+)...
Ele era o professor, o arranjador, o compositor, o maestro!
Mostrava-nos com atitudes de verdadeiro músico os caminhos desta cultura tão rica de inspirações.
Regia o coral de sopranos, eu era um deles inicialmente, altos, contraltos, tenores e baixos.
E lá surgia, para encantamento geral, a MISSA GAUDIOSA, de Franco Vittadini e o histórico em latim da PAIXÃO DE CRISTO, no coro da igreja matriz de Aparecida:
” et dixerunt: Hic dixit: Possum destruere templum Dei, et post triduum reædificare illud.”...
“Reus , reus est mortis”....
“Et tu cum Jesu Galilaeo eras.”....
“Et hic erat cum Jesu Nazareno.”
E ele montou a bandinha do seminário...
A princípio comecei na marcação do triângulo, depois a harmonia do sax-trompa e finalmente a melodia do pistão.
Vejo sempre na presença daquele bom padre, a imagem sublime de Santa Cecília...
Faço sempre uma analogia entre ambos....e um ponto de convergência: a boa música!
Antônio Ierárdi Neto
Tampinha
Arcebispo de Aparecida narra sua trajetória
Por Alexandre Ribeiro
APARECIDA, quinta-feira, 18 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – A biografia de Dom Raymundo Damasceno Assis surpreende. Cardeal nomeado por Bento XVI para o consistório de 20 de novembro, o arcebispo de Aparecida, hoje com 73 anos, viu sua trajetória se entrelaçar com momentos marcantes da vida da Igreja e da sociedade nas últimas décadas.
Único latino-americano em atividade nomeado cardeal por Bento XVI nesta ocasião, o atual presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano) cursou teologia em Roma nos anos do Concílio Vaticano II, foi jovem padre em Brasília no período mais repressivo da ditadura militar, ajudou a coordenar os trabalhos da Conferência de Santo Domingo e hospedou a Conferência de Aparecida.
Dom Damasceno recebeu ZENIT em sua residência, em Aparecida, na manhã do dia 8 de novembro, para contar um pouco de sua trajetória. Confira a seguir.
ZENIT: Hoje cardeal nomeado. Mas tudo começou em Capela Nova, em Minas Gerais. Como foi sua infância e o despertar da vocação sacerdotal?
Dom Damasceno: Capela Nova é uma cidadezinha de 5 mil habitantes, que já deu quase 30 padres. Uma cidade pequena, numa região de pequenos proprietários rurais. É muito religiosa e com suas tradições religiosas muito fortes. Eu nasci em uma chácara, uma pequena propriedade a 2 km da cidade, onde meu pai criou toda a família. Éramos dez filhos. Ele tinha seu pequeno gado e cultivava o suficiente para nos mantermos. Vivíamos muito modestamente, mas sem passar necessidade. Desde cedo, comecei a frequentar o catecismo, ajudar como acólito. A partir daí, desse ambiente religioso na família e na cidade, e muito próximo da igreja, através da ajuda nas missas, tive esse gosto de ajudar na Igreja.
Foi quando passou por lá, em 1948, um irmão marista, cuja função era recrutar vocações. Ele passou por nossa escola dando um pouco de aula de catequese, fazendo perguntas às crianças. Eu estava muito interessado no que ele perguntava, respondia e me manifestava. Num determinado momento ele perguntou quem queria ir com ele. Imediatamente eu levantei a mão, sem saber exatamente o que isso significava, ou suas consequências. Eu tinha entre 10 e 11 anos. Creio que o irmão não acreditou muito quando eu levantei a mão. Ele me disse que iria a uma cidade vizinha buscar um candidato e que no retorno passaria pela estação de trem, em Carandaí. Se eu estivesse lá, me levaria. Mas sem nenhum compromisso caso eu não aparecesse. Acho que ele acreditou que eu desistiria da ideia, que tinha sido apenas um momento de entusiasmo. Eu falei com meus pais que eu queria ir. Realmente no dia e na hora que ele marcou eu estava lá.
Chegamos ao Juvenato São José, na cidade de Mendes, no Estado do Rio de Janeiro, uma fazenda na mata atlântica, que hoje se transformou em hotel fazenda. Nos dois primeiros dias fiquei chorando para voltar a casa. Então os amigos chegam, chamam para jogar bola. Com alguns dias a gente se enturma, e o esporte, os estudos e a vida de comunidade vão ocupando o tempo e a saudade vai passando.
Ali eu terminei o ensino primário e o fundamental [15 anos de idade] e fui discernindo que minha vocação não era para ser irmão. Aparecia para mim de uma maneira mais clara que o meu caminho seria o sacerdócio ordenado. Conversei com meu diretor e saí dos Irmãos Maristas. Voltei para casa em Conselheiro Lafaiete, pra onde minha família tinha se mudado, na mesma arquidiocese, de Mariana. Nessa cidade eu conversei com o bispo auxiliar de Mariana, pedindo a ele que me encaminhasse para o seminário, pois o meu desejo era ser padre. Ele facilitou minha entrada no seminário de Mariana, onde completei o ensino médio [18 anos de idade]. Depois eu passei para o seminário maior, onde fiz o curso de filosofia.
No final dessa etapa, o arcebispo de Mariana, Dom Oscar de Oliveira, tinha prometido a Dom José Newton, arcebispo de Brasília, capital que acabava de ser inaugurada, em abril de 1960, mandar um seminarista maior para colaborar na nova arquidiocese. Meus superiores no seminário me disseram que o candidato seria eu. Eu aceitei. A partir de maio de 1960, eu passei a pertencer oficialmente à arquidiocese de Brasília. Terminado o curso de filosofia nesse ano, mas ainda em Mariana, Dom Newton me chamou a Brasília.
ZENIT: De Brasília o senhor já seguiu para Roma, justamente nos anos do Concílio Vaticano II. Como foi essa etapa?
Dom Damasceno: Dom Newton me perguntou se eu queria fazer o curso de teologia em Roma, pois Brasília ainda não tinha seminário maior. Eu aceitei. Fiz todo o curso de teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, morando no Colégio Pio Brasileiro. Esse meu curso de teologia coincidiu exatamente com a abertura do Concílio Vaticano II, pelo Papa João XXIII, e também a sua clausura, em 1965, pelo Papa Paulo VI. Foi um período muito rico. Tivemos a experiência de ver os pastores da Igreja reunidos em Roma, ao redor de Pedro, tratando de temas importantíssimos para toda Igreja. Tudo isso tinha uma incidência muito grande sobre nós, primeiramente porque éramos jovens. Tínhamos um idealismo como que fôssemos renovar a Igreja. Havia aquela ansiedade durante as aulas, uma inquietação, um certo desejo de aguardar o que o Concílio iria decidir, ao invés de só aceitar o que estava escrito nos livros ou o que era exposto pelo professor. “Será que o que ele está dizendo hoje vai mudar amanhã?”, pensávamos. Foi um momento muito especial, de muito contato com os grandes teólogos da época, o desejo de ouvi-los, de conhecê-los. Eram nomes citados nos livros e nas aulas que estavam ali em Roma.
Terminada a teologia em Roma fui para a Alemanha fazer um curso superior de catequese, em Munique. Era um curso aberto pela Conferência Episcopal Alemã, destinado sobretudo a formar catequetas nos países em vias de desenvolvimento. Foi outro período muito rico.
ZENIT: Quando o senhor retorna ao Brasil, chega no período mais repressivo da ditadura militar, como foi?
Dom Damasceno: Eu me ordenei em 1968, no período crítico do governo militar, quando se promulgou o Ato Institucional número 5, que endureceu muito mais o regime. Isso teve como consequência uma censura muito rigorosa aos meios de comunicação e um combate duro a todo tipo de oposição. Eu cheguei nesse contexto. Vindo do exterior, como padre novo, na capital federal, percebe-se que está sendo vigiado. Havia uma procura de querer informar sobre quem é você e quais as suas posições teológicas, políticas. Não tive nenhum problema direto, de confronto, mas sentia que havia um controle, seja das pregações ou das atuações. Havia, por exemplo, infiltração de elementos militares em organizações da Igreja, em movimentos jovens, em cursos para leigos, para reportar as informações aos oficiais. Nesse período havia palavras tabus, que você não podia usar. Por exemplo, a palavra “tortura”. Era praticamente proibido usar essa palavra. Na Universidade, quando fui professor na UnB, durante os anos 70 especialmente havia controle das aulas. Era um período em que havia vigilância, com os telefones grampeados, as pregações, dependendo da igreja e do padre, eram gravadas.
Em Brasília, fui coordenador da catequese, colaborador direto do arcebispo na Cúria, depois pároco por seis anos, e finalmente fui encarregado de enviado para fundar o Seminário Maior de Brasília, que ainda não existia até 1976. Permaneci no Seminário e na Universidade durante 14 anos, como professor, administrador do Seminário, até ser eleito bispo auxiliar de Brasília, em 1986. Um pouco depois, em 1991, fui eleito secretário geral do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano). A partir desse ano, fui viver em Bogotá. O cardeal Dom Freire Falcão, de Brasília, permitiu que eu vivesse em Bogotá, dispensando-me dos serviços de bispo auxiliar da arquidiocese.
ZENIT: Nesse momento o senhor assumiu um difícil trabalho às vésperas da Conferência de Santo Domingo (1992), em torno da qual houve muita polêmica, não?
Dom Damasceno: Eu morei quatro anos em Bogotá. Quase os dois primeiros foram praticamente dedicados à preparação da Quarta Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, a Conferência de Santo Domingo. Foi uma conferência muito difícil. Primeiramente porque, quando eu cheguei, a preparação já estava pela metade. E ao mesmo tempo, uma preparação que não estava agradando muito às Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe. Então nós tivemos de continuar os trabalhos, mas quase que reiniciá-los. Tivemos de retomar os trabalhos de uma maneira diferente. Nós tivemos de fazer um histórico do processo de preparação até aquele momento, publicar esse histórico, para que os bispos tomassem consciência do que estava acontecendo ou do que tinha acontecido até aquele momento. Tivemos de retomar todos os relatórios das 22 Conferências Episcopais, recolher tudo que havia nesses informes, publicar um síntese desse material, para a partir desses informes iniciar o processo de preparação mais imediato da Quarta Conferência. Isto é, a partir daí elaborar o chamado Documento de Trabalho. Então nós fizemos isso com um grupo de teólogos de diversas partes da América Latina. Nos recolhemos dois meses fechados no CELAM em Bogotá. Preparamos esse Documento de Trabalho, que foi muito bem acolhido pelas Conferências Episcopais e despertou realmente um ânimo muito positivo. Além do mais, publicamos os informes de todas as Conferências Episcopais e os divulgamos. Pois havia uma desconfiança quanto à preparação no sentido de que não se estavam seguindo os informes das Conferências Episcopais.
 
Por Alexandre Ribeiro
APARECIDA, sexta-feira, 19 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – Cardeal nomeado por Bento XVI para o consistório de 20 de novembro, Dom Raymundo Damasceno Assis, 73 anos, arcebispo de Aparecida e presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano), viu sua trajetória se entrelaçar com momentos marcantes da vida da Igreja e da sociedade nas últimas décadas.
Nesta segunda parte da entrevista a ZENIT, ele fala das Conferências de Santo Domingo e de Aparecida, de como acolheu a nomeação para o cardinalato e da ação da providência divina em sua vida.
ZENIT: Para se chegar a um documento final da Conferência de Santo Domingo também foi difícil, não?
Dom Damasceno: Sim. Em relação à Quarta Conferência, o que se discutia muito e criou vários problemas foi a questão da metodologia. Aí foi muito difícil, porque nós propúnhamos o método “ver, julgar e agir”, que era o tradicional das outras conferências, mas havia uma certa resistência por parte de alguns. Ou seja, alguns nem queriam um documento, que a Quarta Conferência não deveria produzir um documento. Havia um certo receio quanto à primeira parte, a análise da realidade, porque se partia do pressuposto de que a conclusão dependia dessa análise. É que os bispos ao fazer a análise da realidade, não a fazem como sociólogos, como economistas, como políticos, mas com olhos de pastores. E sempre à luz da Palavra de Deus, do Magistério da Igreja. Então se tem uma visão muito mais ampla dessa realidade. E a partir daí vão-se buscar também as respostas para os grandes desafios pastorais da Igreja no mundo atual e no nosso continente.
Isso tudo impediu a Conferência de avançar o mais rapidamente possível, de talvez fazer um trabalho muito mais frutuoso, fecundo, se de fato não houvesse uma certa resistência, uma certa indecisão quanto ao método e até mesmo quanto ao Documento de Trabalho. Não por parte do CELAM, que tinha clareza quanto ao método, pois a conferência tinha sido preparada dentro dessa metodologia, mas que encontrou uma certa resistência por parte de alguns. E por parte de alguns que tinham uma responsabilidade maior na condução da conferência. Isso atrasou os trabalhos. Perdemos dois dias, mais ou menos, nessa discussão estéril. No final, acabou-se voltando novamente à mesma metodologia. Ao se analisar o documento de Santo Domingo, vai-se encontrar, primeiro, uma grande reprodução do Documento de Trabalho. Segundo, vai-se encontrar também alguma contradição. De um lado, houve algo querendo evitar a metodologia do “ver, julgar e agir”, mas como era uma tradição nossa de trabalhar dentro dessa metodologia, não se conseguiu evitar totalmente isso. E você também vai encontrar números em Santo Domingo que fazem uma apologia do método. No fundo, o documento volta a esse método, apenas com algum acréscimo inicial de um texto do Magistério da Igreja ou da Sagrada Escritura e começa com uma profissão de fé cristológica. De qualquer maneira, o documento de Santo Domingo ainda é muito citado, foi citado inclusive pelo Documento de Aparecida. E tem inovações, por exemplo, a questão da inculturação do Evangelho. Quem lê hoje o Documento de Santo Domingo vê um texto muito rico, que reafirmou as conferências anteriores, inclusive a opção preferencial pelos pobres, não exclusiva nem excludente. E insistiu muito no trabalho da Igreja no campo da promoção humana.
Aquele foi um contexto muito diferente, por exemplo, da Conferência de Aparecida. Havia muito mais tensão na Conferência de Santo Domingo, além do mais pela própria situação da cidade, que nos oferecia hospedagens muito confortáveis, mas a estrutura para a realização dos trabalhos era um pouco deficiente. E sobretudo pelo contexto em que a conferência estava sendo celebrada, dentro dos 500 anos do descobrimento da América. Trata-se de um fato histórico muito analisado desde os mais diferentes aspectos e avaliado de maneira muito diferente. Positivamente por uns, muito negativamente por outros. Nesse contexto se situava a Quarta Conferência, embora a preocupação não fosse o acontecimento histórico em si do descobrimento da América, mas o trabalho evangelizador da Igreja, com suas luzes e sombras, realizado no período de 500 anos.
ZENIT: Depois de trabalhar ativamente na Quarta Conferência do Episcopado Latino-Americano, o senhor hospedou a Quinta, a Conferência de Aparecida, em 2007. Como foi?
Dom Damasceno: A Conferência de Aparecida realizou-se dentro de um clima muito tranquilo, de grande comunhão dos bispos, de muita espiritualidade, por ter sido realizada no Santuário, com a presença de tantos romeiros. Pela primeira vez, uma conferência se realiza num Santuário Nacional, um lugar com muita visitação de romeiros, de peregrinos. É uma situação nova. Os bispos tendo contato com o povo, sobretudo nos sábados e domingos, onde a presença dos romeiros é marcante. As missas eram todas abertas no Santuário e transmitidas pelos meios de comunicação social. Foi um contexto muito diferente das outras, que eram realizadas no interior de uma instituição, de um seminário. Em Santo Domingo, foi na Casa São Paulo, que era a casa dos cursilhistas; em Medellín, era o Seminário Maior; em Puebla, era também o Seminário Maior, portanto, lugares isolados, fechados. Ao passo que em Aparecida a conferência se realiza num Santuário, com suas celebrações abertas ao público, todas transmitidas. Tudo isso criou um ambiente espiritual, de muita piedade, de muita oração, sem nenhum contratempo.
A Conferência de Aparecida foi um verdadeiro acontecimento, um Pentecostes para a Igreja na América Latina. Os bispos vieram e não havia nem documento de trabalho. Era chamado de Documento de Preparação. Chegou-se sem nenhuma decisão de fazer ou não um documento. Mas o texto foi sendo gestado durante a conferência, com a participação de todos. Depois chegamos à conclusão com esse documento belíssimo, inspirador, muito pastoral, dentro da nossa realidade, e com um cunho missionário muito forte. E com um tema belíssimo, atual e válido para toda Igreja e todo cristão: discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que n’Ele todos tenham vida, e vida em abundância. Não houve um senão na Quinta Conferência. Nós criamos uma estrutura que facilitou os trabalhos. O Santo Padre foi acolhido calorosamente, afetuosamente, alegremente por todos os peregrinos em Aparecida. Foi acolhido aqui no Seminário Maior Bom Jesus com a sua comitiva, hospedado de uma maneira digna, porém simples, sóbria, que agradou a todos. De modo que não houve um senão na Quinta Conferência, seja em sua preparação, seja em sua realização.
ZENIT: Como o senhor acolheu a nomeação para o cardinalato por Bento XVI?
Dom Damasceno: Vejo nessa nomeação do Papa primeiro uma atenção, um apreço pela Igreja da América Latina, sendo eu o presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano). É um apreço ao Brasil também, ao Santuário, a Aparecida, porque Aparecida é representativa dentro do contexto religioso do Brasil. Embora pequena, é insigne e muito querida pelos brasileiros, por estar aí o Santuário de sua padroeira.
Bento XVI é um Papa que está buscando o diálogo com o mundo moderno, diálogo da fé com a razão. Nós não devemos ter medo e nos voltar para o interior da Igreja. Pelo contrário, temos de dialogar com esse mundo atual, em todos os ambientes, e dar nossa contribuição, anunciando e testemunhando os valores humanos e cristãos, na sociedade de hoje, e assumindo com espírito critico o que há de positivo nas culturas modernas. Mostrar que a fé não é algo irracional, absurdo; mas a fé, além de ser dom de Deus, evidentemente se fundamenta na racionalidade do homem. O homem crê porque é razoável acreditar, isso corresponde também a sua estrutura intelectual e a sua abertura à transcendência.
ZENIT: Ao rever a sua trajetória, como o senhor vê a mão da Providência em sua vida?
Dom Damasceno: A Providência sempre nos surpreende. Primeiro porque a gente não conhece o futuro. Da minha parte, eu confio na providência de Deus. Ele sempre nos conduz, tem seus planos em relação a cada um de nós, para a humanidade. Corresponde a nós aceitar aquilo que acontece, no espírito de fé, sabendo que Ele nos dirige. Ao se apresentar uma missão, que não buscamos nem procuramos, mas que é fruto do desígnio de Deus e de sua providência, nós temos de confiar na sua graça e ajuda. Ele vai nos ajudar a realizar a tarefa para a qual nos chama. Deus não escolhe a pessoa em função da sua preparação, qualificação. Ele pode se servir evidentemente disso. Mas quando tem seus projetos, Ele chama gratuitamente. E dá as graças para que a pessoa realize esta missão. Assim sempre foi na história da salvação, com os profetas e na história da Igreja. O importante é a gente estar aberto, disponível para aceitar seus projetos e desígnios. Procurar discernir qual é a sua vontade, confiar nele, aceitar. E buscar fazer da melhor maneira possível o que Deus pede de nós na missão que nos confia. É com esse espírito que eu encaro esta nomeação. Com muita humildade. Não por méritos próprios, mas vendo que Deus tem os seus caminhos. Se o Papa chama, então também Deus fala, através das mediações humanas, daqueles que Ele colocou à frente de sua Igreja. Uma vez que a gente se dispôs a servir a Deus, a servir à Igreja, desde a ordenação sacerdotal, não há como voltar atrás. É olhar sempre para frente e procurar servir da melhor maneira possível.

Carta de Dom Clemente Isnard sobre as peripécias da publicação do seu livro


Quem tem medo da verdade?
Quem quer calar os Profetas?
Quem quer zerar o Concílio Vaticano II
e voltar para a Igreja-Poder e para a centralização vaticana?
(João Tavares)

No dia oito de julho do ano passado, completei noventa anos e, a convite de um grande amigo, pe. José Romero Rodrigues de Freitas, vim a Recife para festejar a data com os amigos daqui.
Celebrei a Missa na Igreja das Fronteiras, onde está bem viva a lembrança de nosso inesquecível Dom Hélder Câmara, com muitos concelebrantes e mais duas centenas de amigos. No meu sermão terminei, depois de narrar os quatro períodos de minha longa vida, aludindo a um projeto de futuro. Que ousadia era fazer projetos aos noventa anos! E dizia: reatando com a mocidade, lutar pelo Movimento Litúrgico, pelo Concílio Vaticano II, por uma Igreja sem Núncio Apostólico e sem Cúria Romana (entenda-se sem a Cúria Hiperatrofiada de hoje).
Ouviu esse sermão o grande teólogo José Comblin, que me animou a escrever. No segundo semestre de 2007 escrevi um livrinho com o título de "O que o Concílio não fez" e pedi ao padre Comblin para ler antes da publicação e escrever o Prefácio. O que ele fez, sugerindo uma mudança de título para "Reflexões de Um Bispo sobre as Instituições Eclesiásticas".
Em dezembro de 2007 procurei a Editora Paulus para publicar o livro. Aceitou a incumbência e conversei com muitas pessoas sobre o conteúdo do livro. Em fevereiro fui surpreendido por um telefonema da Paulus dizendo que o livro estava pronto para publicação, mas que não poderiam editar por terem recebido uma proibição do Núncio Apostólico, Dom Lourenzo Baldisseri. Não procurei diálogo com essa autoridade eclesiástica que não me procurou diretamente, mas se dirigiu por cima de minha cabeça à Editora.
No mês de março, estando em Recife, recebi uma atenciosa carta do Regional Leste 1, assinada por todos os bispos do mesmo Regional. Nessa carta pediam que eu não publicasse o livro.
Evidentemente, a opinião unânime dos bispos da região me confundiu, mas não me convenceu. Respondi a cada um dos companheiros uma carta do mesmo teor, em que estranhava que tivessem condenado o livro sem o ter lido (não sei qual dos bispos o teria lido) desprezando a opinião de um teólogo que já publicou mais de 50 obras e que tinha corrigido o livro e redigido o Prefácio, Padre José Comblin. Como sou teimoso, consegui uma editora que se interessou pelo assunto do livro e se ofereceu para publicá-lo.
A Igreja tem um organismo em Roma encarregado de examinar a doutrina dos livros que se publicam no mundo inteiro. Mas o meu livro nada tem contra a doutrina da Igreja. É um livro não de doutrina, mas de disciplina da Igreja que tem variado incessantemente nesses dois mil anos de vida, e ainda recentemente teve um Concílio Ecumênico de Reforma, o Vaticano II.
O Concílio Vaticano II foi elogiado pelo Papa Paulo VI, que o presidiu depois de João XXIII, como um dos maiores e melhores Concílios da História da Igreja pelo número de participantes, pelo número de documentos promulgados, e pela extensão de sua preocupação também com a vida da humanidade.  No Concílio eu me habituei com as lutas internas da Igreja, que não terminaram. Há muitas coisas nas Instituições Eclesiásticas que deveriam ter sido corrigidas. Coisas grandes e pequenas. O Concílio fez muito, mas não pôde fazer tudo. Será que João XXIII teria presidido melhor que Paulo VI ?  Agora é preciso abordar os temas que foram tocados pelo Concílio, mas não concluídos, para que sejam resolvidos por quem de direito.
São grandes os problemas da Igreja hoje:  A nomeação dos Bispos, os Bispos Auxiliares e os Eméritos, o Celibato Sacerdotal e a Exclusão das mulheres do Sacramento da Ordem. Desses cinco assuntos é que trata o livro que será lançado no dia 13/06/2008, às 19:00hs, na Igreja das Fronteiras em Recife.
Os que se interessarem por esses problemas da Igreja devem procurar companheiros e organizar grupos de estudo, para aprofundamento dos assuntos e procura de soluções.
Dom Clemente Isnard
Bispo Emérito de Nova Friburgo, Rio de Janeiro

 

 

Leia a Reportagem e entrevista publicadas pelo Diário de Pernambuco, em 12 de junho de 2008.

Bispo lança livro e desafia leis da Igreja

Por Jailson da Paz, Diário de Pernambuco
Há temas que quase toda pessoa, seja católica ou não, gosta de se posicionar. Alimentar discussões e polêmicas. Entre eles o celibato sacerdotal e o direito das mulheres celebrarem missas. Já o Vaticano costuma tratar os assuntos com certo cuidado. E poucas vozes da Igreja, nas últimas décadas, ousaram contribuir com o debate fora das paredes dos seminários e das cúrias. O bispo emérito da Diocese de Nova Friburgo (Rio de Janeiro), dom Clemente Isnard, resolveu derrubar tais barreiras. Aos 90 anos e reconhecido internacionalmente por seu trabalho no campo litúrgico, ele lança hoje o livro - Reflexões de um bispo sobre as instituições eclesiásticas atuais - que promete jogar lenha na fogueira. E não fala apenas do celibato e das mulheres, trata de um dos pontos quase intocável no Vaticano: a participação dos leigos na escolha dos bispos. Um sinal de reconhecimento ao trabalho feito por dom Hélder Câmara.
"Fala-se tanto na falta de sacerdotes, nas paróquias sem padres, nos padres que se secularizaram deixando o ministério. E não se pensa nos padres de valor e que se casaram e que poderiam ter continuado no ministério se a Igreja lhes tivesse concedido matrimônio", argumentou o bispo emérito. Dom Isnard encontra justificativa para seu posicionamento na experiência. Foram mais de 30 anos à frente da Diocese Nova Friburgo. E também no conhecimento histórico. Ele lembra que a exigência do celibato apareceu pela primeira vez por volta do ano 300, mas que ainda hoje as igrejas orientais católicas permitem que padres se casem. Segundo o religioso, a multiplicação dos diáconos permanentes é um sinal de que o padre casado seria bem aceito em muitos lugares. Os diáconos são homens casados ou celibatários que podem pregar, mas não estão autorizados a consagrar a hóstia e o vinho.
Dom Isnard recorre ao olhar de pastor para se posicionar em defesa das mulheres. "Em minha longa vida conheci padres incapazes de ser párocos e conheci também religiosas e leigas consagradas com capacidade de dirigir comunidades", testemunhou. Para o monge beneditino, a dispensa do celibato não é uma mudança teológica, mas disciplinar. E sugere a necessidade de se analisar a Bíblia, quando São Paulo afirma que todos - judeu e grego, servo e livre, homem e mulher - são iguais perante Deus. "Esse me parece um poderoso argumento bíblico em favor da ordenação de mulheres", acredita.
As análises do autor se voltam também para a eleição dos bispos. "Em nossos dias o povo não é ouvido na eleição, mas pode se manifestar na hora do enterro", afirma, lembrando que a participação dos leigos nas eleições era comum no primeiro milênio de existência da instituição. Essa a prática foi caindo em desuso com a crescente interferência dos reis. Diante do que viveu e conhece, o bispo emérito defende que o ideal seria voltar ao regime do primeiro milênio, onde bispos, clero e povo participavam das escolhas.
O povo, exemplifica, seria homens e mulheres engajados na Igreja, idosos e jovens, em número que expressasse as duas categorias E conclui, de maneira incisiva que a "descentralização das nomeações episcopais traria um alívio notável para as finanças da Sé Apostólica, uma vez que o pessoa da nunciatura não precisaria ser tão numeroso". Coincidência ou não, dom Isnard contou que uma cópia do seu livro foi entregue ao núncio apostólico no Brasil antes da publicação. E esse teria pedido a Editora Paulus, com quem estava outra cópia do texto, para não publicar o livro.
Ainda sobre os bispos, dom Isnard se pergunta como recuperar um episcopado zeloso, culto e avançado. Ele mesmo responde que na situação atual seria necessário um novo concílio ecumênico para completar o Vaticano II, realizado entre 1962 e 1965 e responsável por mudanças na Igreja. Uma delas foi permitir a celebração das missas em diversas línguas, acabando com a ditadura do latim. Mesmo apontando o caminho, o bispo emérito acredita que dificilmente haveria mudanças hoje. Isso porque a Cúria Romana prepara e redige tudo.

 

 

Leia a Entrevista com D. Clemente Isnard:

'Não nos comportemos como fariseus'.

A dedicação de dom Clemente Isnard à Igreja Católica se aproxima de sete décadas. Nesse tempo, ele assumiu diversas funções. Foi o primeiro bispo de Nova Friburgo, vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM), além de ter participado como padre conciliar de todas as etapas do Vaticano II e integrado comissões junto à Santa Sé. O bispo emérito conhece bem os caminhos da Igreja, especialmente no campo litúrgico. Parte desse conhecimento está no livro Viver a liturgia também a ser lançado hoje, no qual reúne uma série de reflexões. Na obra, dom Isnar afirma que, à medida que a idade vai chegando, sente-se mais livre para escrever o que pensa. "Gozando de plena liberdade, posso elogiar ou criticar também autoridades eclesiásticas sem considerar cargos ou pessoas", salienta. Essa firmeza pode ser vista na entrevista abaixo:
Por que escrever sobre temas polêmicos como o celibato e a escolha dos bispos?
- Para dar meu testemunho como bispo para o povo.
E como surgiu a idéia da publicação?
- Depois da missa de meus 90 anos, na Igreja das Fronteiras, no ano passado. Na homilia, falei dos meus sonhos para a Igreja e depois da celebração. O padre José Comblin, da Paraíba, pediu para eu escrever. O livro é o resultado.
O senhor recebeu alguma pressão para não publicar o livro?
- Quando o texto estava pronto, uma cópia foi tirada do meu computador sem minha autorização indo parar nas mãos do núncio apostólico, dom Lourenzo Baldisseri, que pediu a Editora Paulus para não publicar o trabalho. O livro está saindo por outra editora, a Olho d'Água.
Alguma autoridade chegou a pedir diretamente para que o senhor desistisse?
- Todos os bispos do Regional Leste 1, que reúne as dioceses do Rio de Janeiro, fizeram uma carta me pedindo para não publicar o livro. Eles alegavam que os assuntos poderiam ser mal interpretados e isso seria ruim para a Igreja.
Não teme repercussões negativas?
- Meu Deus! Eu acho que a discussão sobre esses temas somente fará bem. A Igreja é santa e pecadora. E a história mostra que as mudanças na Igreja demoram séculos para acontecer. Talvez tenhamos que esperar um milênio, mas temos que ser insistentes. Com o livro, quero apenas conscientizar as pessoas.
E se o Vaticano chamar o senhor como fez com Leonardo Boff nos anos 80?
- Já estou velho, mas vou lá. Repito o que está no livro e outras coisas mais. Tudo farei sob a luz do Evangelho, que pediu para não nos comportarmos como fariseus.
O senhor pensa escrever outros livros desse tipo?
- Sim. E penso em incluir um capítulo que, a princípio, seria publicado nas reflexões atuais, mas retirei por sugestão de um padre que fez análise do livro.
E de que tratava?
-Nesse capítulo, eu abordava a questão dos bispos auxiliares, tendo como fundamento experiências vividas em dioceses brasileiras.
* Bispo Emérito de Nova Friburgo, Rio de Janeiro

 

 

Criado por: ANTONIO IERARDI NETO | E-Mail: ierardisp@ig.com.br

TÁVOLA REDONDA – DOM CLEMENTE INSNARD

Fratelli Diletti,  irmãos, Ierardi-condutor da Távola-fazes muti bem em relembrar o explêndido Dom Isnard: Santo e lúcido bispo, que mantém aos noventa e tantos anos a capacidade dialética de expor o que São Paulo já pensava e queria nos primórdios...
 tenho em mãos "meu exemplar" de Reflexões de um Bispo e gostaria de transcrever um pequeno texto do prefácio, do teólogo padre José Conblin:
"...passados os 90 anos Dom Clemente conserva toda sua lucidez e faz questão de participar ainda na medida dos seus meios  na procura da Igreja de Medellin e de Puebla..."nós redentoristas sabemos que Medellin e Puebla eram a Igreja sonhada e preconizada por Afonso quando fundou a Congregação, por Francisco de Assis, quinhentos anos antes quando fundou a ordem dos Frades Menores...por São Bento quando instituiu os monastérios beneditinos...pena que 
os tempos mudam...
                   
obrigado, Ierardi, por recordardes Dom Clemente,                                                      
abraços fraternais,
ajthozzi (10/11/10)

 

Fratello Thozzi e amigos da TÁVOLA!
 Remexendo alfarrábios cibernéticos encontrei a seguinte mensagem que lhe encaminhei em ocasião passada:
 "Meu bom colega e amigo Tozzi.
Li com bastante cuidado o anexo sobre  Dom Clemente Isnard.
Não li o seu livro, mas pelos fatos que ele mesmo relata concluo que começou pelo lado errado, ainda que militando na Igreja há mais de 70 anos e hoje com a experiência de 90 anos de vida.
Por que o lado errado?
Por dois motivos: o primeiro é que ele precisa reconhecer que existe dentro da Igreja a hierarquia que foi estabelecida por Jesus Cristo, a pedra do Vaticano, o papa. Teria de levar as suas idéias à cátedra católica e, mesmo tendo sido participante da CNBB e do CELAM e ainda do próprio Concílio Vaticano II, tentar uma autorização de publicação de seu livro em estância superior, considerando que o Bispo superior imediato não tenha concordado. O fato de encontrar uma editora que publicasse sua obra à revelia da autoridade maior tornou-se o erro de desobediência, tal como Adão fez com Deus que proibira comer o fruto de uma determinada árvore.
O segundo erro é que ele parte de um princípio falso e, embora fosse partícipe do Concílio Vaticano II, até tendencioso ao dizer: "O que o Concílio não fez!" Ele parte de um ponto negativo para tentar construir um positivo.
Se há necessidade de se fazer novo concílio para considerar temas muito mais de interesse de mídia do que convenientes para a Igreja, pelo menos diga que se faça um Concílio Vaticano III ou Nova Friburgo I, mas que nada tem a complementar o CVII. Afinal o CVII trouxe uma situação muito importante para nós católicos que foi a de ler e evangelizar mais com a Bíblia na mão. Lembre-se você dos nossos tempos de seminário quando assistíamos diariamente às missas mas pouco contato tínhamos com a Revelação na Sagrada Escritura. O CVII mudou isso e trouxe às mãos de cada católico o Livro Sagrado que já era folheado e lido há muito mais tempo pelos nossos irmãos evangélicos.
No que tange aos conceitos que possam ser debatidos em um novo concílio, quanto ao celibato do clero ainda questiono se essa é a vontade da maior parte de quase um milhão de religiosos solteiros que atualmente há no mundo. Por outro lado, no que se refere às mulheres terem os mesmos poderes conferidos apenas aos homens, como o da consagração, questiono, também, por que entre os discípulos de Cristo não houve alguma mulher indicada para a divulgação de seus ensinamentos? 
Mas é evidente que se esses assuntos realmente sejam de interesse global no bem da Igreja, que se realize um novo concílio e se abram os debates.
Um forte abraço!
Antônio"
Reassino embaixo .....
SALVE MARIA!
Ierárdi
(Tampinha II)(11/11/10)

 

Abraços meus amigos....Já estão convocando um NOVO CONCÍLIO ? Vaticano III ? E olhe que nem o Vat. II foi colocado em prática . Dizem aqueles entendidos, os vaticanistas ,que levar-se-á bem uns quatrocentos anos para se tornar realidade. Salve o Cardeal Roncalli e João Batista Montine. Devem estar se movendo em seus túmulos . Melhor seria que a cúpula romana ressuscitasse as constituições editadas no final de 1965, levando pra discussão, D. Aloisio e Dom Arns...Aí sim, a Igreja pensada por J. Cristo daria um salto. Pena que os freios estejam agarrados . Tanto as lonas quanto os discos. O grande problema dela foi e continua sendo o poder. Quantos são os homens que ficaram fora da Jerarquia e são cabeças ? Pq eles não os usam para pensar , reunir, louvar, e celebrar ? Imaginem esses homens na assembléia assistindo horrores que falam em nossas Igrejas, comentam e fazem reflexões. Como membro da hierarqui tenho visto cada uma: bispos , padres e por último os diáconos ( mal formados por sinal ), com exceçoes . Eles querem impor as mãos rapidamente e não pensam nas consequências . Volto a afirmar: pq não usar esses homens que um dia foram assinalados e se encontram à margem. Devem sofrer um bocado. Já falei muito. Fiquem com Deus

abraços. Cunha

 

 

Caro amigo, diácono Cunha!
Podemos posicionar-nos muito bem sobre o CONCÍLIO VATICANO II !
Os papas João XXIII e Paulo VI nos trouxeram a luz divina que os inspirou o Espírito Santo no que tange à maior participação dos fiéis na prática católica e apostólica.
A esses fiéis foi dada a Sagrada Escritura, que já há muito mais tempo estava nas mãos apenas de nossos irmãos separados.
Surgiram aos celebrações no idioma pátrio, os leigos ministros, os diáconos permanentes(não sacerdotes).
Lamentávelmente surgiram também os abusos e as manifestações de vaidade e vontade do poder....
Estamos hoje ainda nos aperfeiçoando no ajuste às medidas salutares do CVII.
Entretanto, a atual formação para os operários da messe parece ainda não ser a ideal...a anterior era mais dura e difícil, porém, a mais indicada!
O debate que hoje fazemos é justamente para tentarmos nos enquadrar um pouco mais aos ideais cristãos/católicos...
Falar contra é muito mais fácil do que obedecer...
O livro de DOM CLEMENTE ISNARD : "REFLEXÕES DE UM BISPO" teria como título incial: "O QUE O VATICANO II NÃO FEZ..."
Apenas foi mudado o título, mas nenhum dos conceitos que criticam o celibato do clero, a não ordenação de mulheres e a nomeação de prelados...
A falta do nihil obstat do Núncio Apostólico Dom Lourenço Baldisseri não permitiu que o livro fosse editado pela PAULUS e, Dom Clemente o fez assim mesmo, em desobediência, por outra editora(OLHO D'ÁGUA).
Como você pode ver, queremos aqui dissertar sobre os grandes benefícios do CVII e a obediência à autoridade eclesiástica, como católicos de fato.
Quando mencionamos sobre um CVIII ou mesmo um NOVA FRIBURGO I, nossa intenção é de que esses assuntos defendidos por Dom Clemente devem ser objeto constante de debates em seminários, sínodos e até concílos...antes de serem manifestados à população....no sentido maior da integração dos participantes da religião católica.
Assim, amigo, não pare não!
Continue neste debate....Dessa forma continuamos todos fraternos!
Um forte abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)

 

 

Fratelli,
Queridos ,como diria São João...
1.Todos devem ler esta preciosidade  "Reflexões de um Bispo", são apenas 40 páginas brilhantes...
2.já não se fazem bispos como Dom Isnard, Dom Luciano Mendes, Dom Arns, Dom Helder, Dom Aloísio, Dom Ivo ...eles jamais aceitariam esse epíteto de "príncipe da Igreja" one Nosso Senhor foi coroado de espinhos...pura palhaçada...
3. Meu caro,condutor da Távola(Ierardi)leia que você vai mudar seu conceito emitido aí...você parte de um pressuposto mais para Dom Quixote e menos para Lancelote,ou Arthur,da Távola!
Obs. A Obra intitula-se " Reflexões de um bispo sobre as instituições eclesiásticas atuais/Dom Clement Isnard  Editora  Olho Dágua-Rua Dr.Homem de Melo 1036 tel.3673-9633-www.olhodagua.com.br
obs.podíamos ler juntos e comentar no retiro da Pedrinha... sob orientação do padre pregador...
abraços,ajthozzi
Sempre será mais fácil ser pedra(ativa!) do que vidraça(passiva!)
Sempre será mais oportuno desfazer um bom conceito sobre alguém, do que construí-lo!

 

 

Caro amigo Thozzi...
"...Sobre a "Távola Redonda", que não é do rei Arthur e nem pretende ter um Lancelote, surgiu, como você próprio referiu, no momento das eleições um artigo de um jornalista do PT-Ricardo Kotscho- ATÉ TU, PAPA!- que alegou interferência de Bento XVI na eleição brasileira para presidente...." (Trecho da mensagem encaminhada no dia 5 deste mês ao Afonso Cavalcanti!)
Quanto a ler o livro, não o faço porque foi publicado "burlando" a autoridade da Igreja Católica Apostólica Romana....Sei já do que ele consiste!
Apoio todos os DOM's que você mencionou...mas não incluiu o Dom Clemente Isnard....(esquecimento?)
Gostaria sim de saber melhor sobre essa questão de "Príncipe da Igreja!"(Dom Damasceno( ? ) ....)Se você tem mais subsídios, informe por gentileza, senão vou procurar e tentar também fazer tocar o sino de meu lado....
Caro Thozzi, Dom Quixote também não foi um perdedor....foi um lutador perseverante....É também um modelo....
Um abraço!
Ierárdi

 

 

Fratelli Diletti,
Ierardi,amigo antigo-que velho estou eu...tão velho que não vi a referência que você "não fez "às mulheres e resolvi        redimir-me:  Engano seu que o Senhor não as tivesse como discípulas...você deve ter        faltado ás aulas de grego e esqueceu-se  que em grego não há neste caso diferença        para identificar o masculino/feminino...além de que no Evangelho de Lucas há pelo menos        3 refêrencias(se não me falha a memória ,reportei -me à idade)de mulheres discípulas e  este evangelho foi escrito em grego...no capítulo VIII"as mulheres o acompanhavam desde   a  Galiléia"(não iam fazê-lo à toa)...no cap.X"Maria(irmã de Lázaro)sentava-se ao pé de Jesus e Ele a ensinava "segundo  expressão grega sentar-se ao pé significa fazer-se discípulo...você se esquece ainda da liderança exercida por Maria Madalena, a quem Jesus  ressuscitado apareceu por primeiro e deu a "missão" de anunciá-lo aos demais antes de dá-los aos demais...Não se esqueça ,ainda, que nos primórdios da Igreja as mulheres eram diaconizas, apóstolas e chefes de comunidades (Romanos XVI)...Deixe de ser maxista...xista...xista...
abraços,ajthozzi

 

 

 Caro amigo Thozzi!
"Por outro lado, no que se refere às mulheres terem os mesmos poderes conferidos apenas aos homens, como o da consagração, questiono, também, por que entre os discípulos de Cristo não houve alguma mulher indicada para a divulgação de seus ensinamentos?"
 De acordo com sua informação quero corrigir a afirmação do meu techo supra-mencionado.
Vamos mudar o termo : discípulos para apóstolos ....
Claro que existem muitas razões porque nesses mais de 2000 anos de catolicismo ainda não haja a  permissão para a sagração das mulheres...Assim, obedecemos e pronto!
Quanto às opiniões e idéias sobre isso, o caminho de Dom Clemente não é o mais indicado, pois não atende a universalidade da Igreja e desobedece a autoridade eclesiástica...
No que se refere ao valor das mulheres, tenho a convicção de que elas foram até mais fortes do que os homens quando manifestaram sua fé em Cristo perante quem quiser que estivesse por perto....e ainda a maior de todas, a nossa mãe, entregue para nós pelo próprio Jesus: Maria, a Santíssima.
Portanto, não haja aqui a intenção de embaralharem-se as idéias...
Numa mensagem anterior, você me compara a Dom Quixote...agora torna-me "marxista"...
Olhe:
MEU PERFIL
Católico, apostólico, romano, praticante e evangelizador, formado na Congregação Redentorista, não tanto liberal por aceitar tudo, nem descrente, por não aceitar nada, muito menos puritano envolto em escrúpulos... Sou cristão e católico moderado!
IN MEDIO, VIRTUS!

Ierárdi

(Tampinha II)

 

 

 Não queria entrar no papo, mas não me contive...
Ierardi, vc diz que não lê livro reprovado pela autoridade da Igreja. Que eu saiba, núncio apostólico é autoridade do estado do Vaticano, que não é a Igreja de Cristo, mas invenção humana. E ainda diplomata sem educação e ética, pois, sem licença do autor, apossou-se dos originais e sem conversar com o autor, proibiu a impressão, proibição essa engolida pelos c>*#?!!>>>ões da Paulus. A Igreja de Cristo existe há 2.000 anos, o estado do Vaticano há menos de 100 anos e, quando aparecer novo João XXIII, deverá acabar!
Tavez vc tenha ficado intrigado com a minha afirmação "príncipe da Igreja". Lamento que um jornal feito por redentoristas, filhos espirituais de um nobre napolitano que renunciou a tudo para trabalhar pela copiosa redenção, em especial, dos mais pobres e abandonados, venha deseducar a população ao dar à Igreja contornos de monarquia, de poder absoluto, quando Ela é Povo de Deus, comunidade de fé, casa de irmãos, que tem apenas um REI, que no próximo dia 21 celebraremos encerrando esse belo ano de 2010, e uma Rainha, Maria, assim de direito, pois Rei só pode ser filho de Rainha, a quem saudamos Salve, Rainha; Salve, Regina!
Respeito o colégio de cardeais, assessores do Papa, em sua maioria, competentes, possivelmente vários santos, mas esse negócio de "príncipe" desapareceu, no Concílio Vaticano, junto com a cauda de 8 metros de comprimento, cor de púrpura,com que eles adentravam a Basílica de São Pedro, em dias solenes, mais a "sede gestatória" e aqueles "abanadores", como "matadores de mosca" que os guardas suíços (eta folclore!) carregavam para abanar o Papa....kkkkkkkkkkk
Desculpe, onde vc viu tanta maldade no texto sobre o Papa na Espanha?
Paulinho

 

 

 Boa tarde caríssimo irmão, Paulinho!
Não se ausente de nosso forum.....Afinal é pelo fato de nós termos iniciado a conversa que ela está seguindo adiante e conseguindo adeptos....
Olhe, você formaliza muito a Igreja...o Vaticano....o Papa....o Núncio....etc.....
Quando se deseja publicar algo que tenha a ver com alterações na prática católica como :
O CELIBATO SACERDOTAL: Confirmado no CVII e ratificado em enciclica por Paulo VI.
ORDENAÇÃO DE MULHERES:Confirmado no CVII e ratificado por Paulo VI.
há que se discorrer pelos assuntos em uma assembléia de bispos, com o placet do papa.
No momento que alguém discorda e, por conta própria, emite e publica algo contra pode estar incorrendo em um cisma e o tamanho da falta será considerado pelo que esse alguem represente perante o rebanho de Cristo.
Um núncio apostólico, devidamente designado para representar o Papa em qualquer parte, tem a prerrogativa de negar ou aprovar, representando a figura o pontífice de Roma.
O estado do Vaticano existe há menos de 100 anos (lá vem você de novo com a formalidade!) mas o cristianismo iniciou-se em Roma e lá permanece até agora...CATÓLICOS, APOSTÓLICOS,ROMANOS!
Portanto, a Dom Lourenço e à Igreja de Roma todo o nosso respeito e obediência!
Quanto a Dom Raimundo Damasceno, procuro ficar com suas próprias palavras em que fielmente acredito e me orgulho de que haja alguém de tão alto nível no Colégio dos Cardeais:
“Uma notícia dessas sempre nos assusta. (...) Eu vejo que esse gesto do Papa [a nomeação] é motivado não por méritos pessoais, porque Deus não escolhe os capacitados para uma missão, mas Ele prepara e capacita quem chama. Recebo esssa nomeação com gratidão e humildade”
 Paulinho, deixe de sonhar com visões escalafobéticas....Deixe de lado também o formalismo material e político....
Entre um pouco mais no espírito cristão/católico.
Respeito ao papa, aos cardeais e aos bispos, inclusive Dom Clemente, e quando menciono que ele erra não será pela indignidade de censura, mas pelo equívoco em que ele está incorrendo!
Quanto ao texto que enviou sobre o papa na Espanha, podemos estar vendo por ângulos diferentes, assim sugiro que você também tome conhecimento da alegria de Bento XVI pelo sucesso nessa visita.
Um forte abraço e vamos em frente....
Ierárdi
(Tampinha II)

 

 


Caro Ierardi,fratelli tutti, quando escrevi pela primeira vez,disse que via "fomes" maiores no mundo para preocupar-me que as causadas pelos dogmas da Santa Madre Igreja.Creio,mas  não  não me calo! No entanto,amigo de tantos anos,Ierardi, permita-me mais duas observações:
            1.Quem proibiu o livro de Dom Clemente não foi a Igreja,foi um embaixador,um diplomata,que sequer tinha a capacidade de avaliar tal conteúdo e que foi secundado pela Paulus,reitero você devia lê-lo.
            2."Quem foi batizado em Cristo,revestiu-se de Cristo.Não é  judeu nem grego,não é servo,nem senhor;não é macho,nem fêmea.Todos vos sois um em Cristo "Gálatas3.27s
                   Não se esqueça ainda que Maria Madalena, em sua comunidade,nos legou um Evangelho  ,declarado apócrifo pela Santa Madre Igreja...caso você queira lê-lo a Paulus publicou(incoêrencia!ou comércio?
          
 ajthozzi,abraços
Obs. Desculpe-me pelas brincadeiras literárias entre Quixote e Arthur/Lancelote é que me considero um Sancho,observador  e sem pressa... 

 

 

Amigos eternos seremos, caro Thozzi!
Os dogmas da Santa Madre Igreja são lindos....veja os 4 que se referem à Maria, mãe de Deus e Nossa.
A fome no mundo é causada pela liberdade de vida que tem a humanidade, conforme concessão de Deus.
Portanto, a evangelização, o anúncio da palavra que nos deixou Cristo, o fermento, o sal e a luz que podemos nos tornar, pode ser solução e lenitivo de toda maldade inclusive daqueles que causam a fome. Por isso, não se cale perante os dogmas, propague-os com muita fé e convicção!
Como mencionei em outra mensagem ao Paulinho, Dom Lourenço é Cardeal representante do Papa. Não vamos formalizar ou mesmo politizar...
Raciocinemos com o pleno espírito cristão/católico.
Se dentro de nossa casa um de nossos filhos nega-se aos estudos e formação, vamos conceder?
Pode ser uma comparação difícil, mas o que ocorre com Dom Clemente é mais ou menos essa idéia.
Nosso filho pergunta: por quê?.....Dom Clemente também pergunta: por que não?
Damos a resposta aos nossos filhos, sem concessão. Dom Clemente também tem a sua resposta sem concessão!
O seu ítem 2 tem todo o meu acordo quanto à igualdade das pessoas.
No que se refere a livro apócrifo, se declarado pela Igreja, obedeço e abstenho-me da leitura, independente de qualquer editora.
Quanto às brincadeiras, como mencionei, gosto de ver tudo e todos pelo lado melhor, em Dom Quixote vejo a perseverança....
Quanto ao Sancho...todos temos nossa pança considerável.....
Um forte abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)

 

 

Desisto...você me venceu! Fechar-se-ão todas as  escolas:Proclamem-se as regras ,baixem as normas e proibam as discussões...em bom Português "o Papa falou tá falado" discutir mais o que... você tem razão,amigos para sempre,mas sem discutirmos os dogmas :Oremus ... só pra não me esquecer nas faculdades de teologia os hereges leem todos os evangelhos apócrifos(acho que são 15...todos publicados pela Paulus,e eu tenho todos é capaz do Libardi  me denunciar ao provincial,aí tô ferrado!)  brincadeiras à parte você está me saindo um talebã perfeito Ierardi(quem foi que disse isso mesmo?)foi alguém do seu curso...
 
abraços,ajthozzi

 

 

Caro Tozzi,
 Você tem razão, com dogmáticos não há como discutir, eles podem até entender os argumentos, mas não aceitam e ponto final.
 abraços
abner

 

 

VENCI MAS NÃO LEVEI( ? ).....
 Estimado amigo Thozzi!
Claro que não quero considerar-me vencedor, principalmente fazendo você perdedor...
O primeiro objetivo que temos nesta "pugna" foi bem demonstrado em mensagem do nosso colega Bicarato:
"Por isso, Paulinho, Ierardi e demais, continuem de espada desembainhada. Isso me faz lembrar as pugnas em latim do sétimo ano. Vestíamo-nos de pseudônimos e digladiávamos com respeito e dignidade. E saíamos todos vencedores, conhecendo melhor a língua de Cícero (Quousque tandem, Catilina, abuteris patientiae nostrae? - Que me perdoem os latinistas se cometi algum erro na citação!), para depois usá-la nos estudos de filosofia, cujos manuais eram em latim. Então, caros contendores, só não se firam mortalamente. Que das faíscas de suas espadas brote luz para aclarar o conhecimento de todos."
Evidentemente estamos discutindo sobre os caminhos corretos da doutrina....segundo nossos pensamentos...
Essa questão dos "apócrifos"...ainda não me inteirei bem dela....mas vou atrás e logo abro a todos minha impressão ou conclusão a respeito.
Agora você me rotula "taliban"...
Aceito quando possa considerar que o que defendo é a nossa doutrina católica romana e meu líder é BENTO XVI.
Entendo que em nossas confabulações precisamos partir daí: PAPA BENTO XVI....
Há cardeais e cardeais, bispos e bispos, padres e padres, leigos e leigos.....mas a doutrina é uma só...nosso CREDO que oramos todos os dias.
Vale ainda aqui meu recado ao nosso também não menos estimado colega Abner.
Todos devemos ser dogmáticos....ou seja, o dogma é a nossa fonte de fé....
O que complica um pouco nessa questão é a presença humana....E é sobre isso que agora trocamos nossas idéias....
Assim, bem explicando meu pensamento, cabe separar de um lado o objeto central e importante de nossa crença e de outro aquilo que nosso arbítreo pratica.
Mas vamos lá, amigo.
Ainda há muita coisa a ser escrita....e o velho chavão: "DA DISCUSSÃO NASCE A LUZ!"
e os abraços continuam...
Ierárdi
Tampinha II

 

 

 

Meus caros...essa discursao nossa vai longe !...De fato,precisamos voltar ás fontes limpidas do Cristianismo das origens..Mas,...a Igreja está enserida no mundo e na cultura,talvez como no Misterio da Encarnaçao do Verbo,com as suas devidas proporçoes ,é claro ..!!Formada por homens e mulheres que lhe vao acrescentando seus limites humanos ao longo dos tempos,na historia.e por isso,a igreja deve estar sempre aberta à CONVERSAO...!!!--- PENSO QUE DEVE SER SEMPRE A iGREJA  DAQUELE QUE SE FEZ pobre POR NÓS    
Padre Gilmar Pinheiro Marques    

 

 

Caros Paulinho, Ierardi "et caterva tota":
 Entrei nessa Tavola, conquanto saiba que não estou à altura dos que fazem parte dela. Tanto que disse preferir que fosse uma tavola comprida, com um lugarzinho ao fundo para mim. Mas fico de camarote assistindo ao debate de grandes (embora nem todos, no TAMANHO, evidentemente!), e quando possível dou meus apartes que, espero, sejam oportunos. Agora, por exemplo, entre um Paulinho formalista e um Ierardi, que me parece um tanto quanto clericalista, fico no meio termo, se assim posso definir minha posição. Há exageros tanto de uma quanto de outra parte. Enquanto as coisas não mudam e a ordem estabelecida é a que aí está, penso que podemos, e devemos, discutir sobre mudanças, mas obediência e respeito acho que são as melhores receitas para o momento. Aliás, penso mais. Penso que não só nós cavaleiros dessa tavola devamos discutir assuntos como hierarquia, celibato, admissão de padres casados, sacerdócio para mulheres e outros, mas que isso deve ser pauta de discussão da Igreja como um todo, quem sabe até de um novo concílio, como já vi teólogos opinarem. É sabido que esses assuntos faziam parte das declarações últimas do Vaticano II, mas que foram retirados, não pela unanimidade dos conciliares, mas por alguns que se acharam, mais os outros, inspirados pelo Espírito. Basta ler escritos de Dom Hélder para se inteirar disso. Da mesma forma, sabemos que o Documento de Aparecida que conhecemos não é a íntegra do que foi decidido em assembleia. Isso, todos hão de concordar, não é vontade Deus, não é coisa inspirada pelo Espírito Santo.
 Por isso, Paulinho, Ierardi e demais, continuem de espada desembainhada. Isso me faz lembrar as pugnas em latim do sétimo ano. Vestíamo-nos de pseudônimos e digladiávamos com respeito e dignidade. E saíamos todos vencedores, conhecendo melhor a língua de Cícero (Quousque tandem, Catilina, abuteris patientiae nostrae? - Que me perdoem os latinistas se cometi algum erro na citação!), para depois usá-la nos estudos de filosofia, cujos manuais eram em latim. Então, caros contendores, só não se firam mortalamente. Que das faíscas de suas espadas brote luz para aclarar o conhecimento de todos.
Um abraço.
Bicarato.

 

 

Prezados colegas,
Tenho acompanhado os comentários apresentados na "Távola Redonda" e de camarote, assimilado alguns conceitos e exposições embora não concorde com algumas das idéias...
É muito fácil ficarmos só na "espreita", sem tomar posição...mas, na verdade, quando não nos sentimos seguros, preferimos ouvir e pesquisar o assunto.
Abaixo, apresento um texto, fragmentos de um livro do Pe. Gambarini, sobre a hierarquia na Igreja que pode auxiliar ao citar as origens dessa estrutura desde os princípios do Cristianismo.
Convivi durante 25 anos com um padre, daqueles antigos, rígido e austero, mas que acima de tudo tinha a obediência como princípio. Muitas vezes teve motivo para se rebelar com certas atitudes e ordens de seus superiores que abusavam de suas prerrogativas em detrimento de seu trabalho, mas jamais deixou de acatá-las. E todas que o contrariaram acabaram sendo alteradas depois de muito diálogo e justificativas.
Nas mais diversas organizações vamos encontrar pessoas que detém o poder e autoridade, mas que são muito menos preparadas que seus subordinados...A mesma coisa acontece na Igreja...Bispos, Arcebispos, Cardeais que são nomeados mais pelo apoio político do que pela capacidade...mas jamais podemos contestar a necessidade de uma hierarquia formal, sob o risco de um colapso total...
 Segue o texto do Pe. Gambarini:
 A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA: A HIERARQUIA
Que é hierarquia?
Significa governo sagrado. Trata-se do conjunto de pessoas que foram encarregadas por Jesus Cristo para ensinar, santificar e pastorear o Seu rebanho.
 Qual a origem da hierarquia?
Veio da própria vontade de Jesus Cristo de garantir a continuidade segura de Sua obra.
 Existem provas bíblicas da intenção de Jesus em instituir a hierarquia?
Sim. Começando pela escolha dos doze apóstolos: "Ao amanhecer, chamou os seus discípulos e escolheu doze entre eles que chamou de Apóstolos..." (Lc 6,13); durante três anos, eles foram preparados para a missão de zelar pela integridade da pregação da Palavra. Os apóstolos receberam missão de ensinar e batizar (Mt 28,19), perdoar os pecados (Jo 20,23), celebrar a Eucaristia (Lc 22,14-20) e governar a Igreja (Mt 18,18).
 Também destaca-se a escolha daquele a quem foi dada uma autoridade diferente da dos outros apóstolos diante da Igreja : "...Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros" (Jo 21,15). Em outros textos fica confirmado o encargo especial confiado a Pedro: (Mt 16,18-19 e Lc 22,31-32 e Jo 21,15).
 Uma leitura atenta e fiel do livro dos Atos dos Apóstolos e das cartas do Novo Testamento constata a existência de uma hierarquia, isto é, de um governo dentro da Igreja. Assim foram desde cedo instituídos pelos apóstolos: os diáconos (At 6,2-6); os bispos e presbíteros (anciãos) (At 14,23; 20,17). Dignas de destaque são as palavras de saudação de Paulo aos filipenses: "Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Jesus Cristo, que se acham em Filipos, juntamente com os bispos e diáconos..." (Fl 1,1).
E, finalmente, é fundamental conhecer o pensamento de um dos dirigentes da igreja primitiva, São Clemente de Roma, que por volta do ano 96 escreveu uma carta dirigida aos coríntios afirmando que os apóstolos: "deram instruções no sentido de que1 após a morte deles, outros homens comprovados lhe sucedessem no ministério"(44). Aí já vislumbramos o embrião da organização da estrutura da Igreja.
No século II da era cristã, já encontramos três graus bem distintos da hierarquia: bispo, presbítero e diácono. Muito importantes são os escritos de Santo Inácio de Antioquia para entender como a Igreja vivia a fé naquele tempo. Em sua carta aos filadélfios escreve: "Sede solícitos em tomar parte numa só Eucaristia, porquanto uma só é a carne de nosso Senhor Jesus Cristo, um o cálice para a união com seu sangue; um o altar, assim como também um é o Bispo, junto com o seu presbitério e diáconos... "(4)
 Estes poucos testemunhos dão a prova do propósito de Jesus levado á frente pelos primeiros cristãos na organização da Igreja com uma hierarquia. Pertencem a ela aqueles que receberam o sacramento da ordem, isto é, o bispo, presbítero e diácono. E assim até em nossos dias a Igreja tem sido governada.
 Como entender a figura do papa sendo continuação do ministério de Pedro?
Por vontade exclusiva de Nosso Senhor Jesus Cristo, Pedro foi colocado na frente dos doze apóstolos com uma missão especial. Assim como no Antigo Testamento, Moisés, o Pastor de Israel, foi sucedido por Josué, também Pedro entregou o seu serviço de unidade a seus sucessores.
 Os atos de Jesus não visavam unicamente ao tempo dos apóstolos. Existia a preocupação de garantir a continuidade da Sua obra em todos os tempos. Portanto, as palavras dirigidas a Pedro não são exclusivamente ã sua pessoa física, mas dizem respeito a um ministério (serviço) dentro da Igreja.
 O texto fundamental para entender o primado de Pedro é o de Mt 16,18: "Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do reino dos céus: Tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus".
Nestas palavras encontramos dados importantes:
 - Jesus trocou o nome de Simão para Pedro. Para a Bíblia toda mudança de nome significa a entrega de uma missão. O nome escolhido foi incomum para a tradição dos judeus. A finalidade fica clara quando sabemos que Pedro e pedra são escritos do mesmo modo na língua em que Jesus falava (aramaico). Pedro recebeu este nome para significar que Jesus, a pedra angular, o estabeleceu para ser uma pedra visível, a fim de garantir a unidade da Sua Igreja em todos os tempos.
 - A Igreja guiada por Pedro recebe a garantia de que as forças do mal não poderão destruí-la: "as portas do mal não prevalecerão contra ela..."
- Pedro recebeu "as chaves do Reino". Na Bíblia elas são o símbolo de autoridade (Is 22,22; Ap 1,7; 3,7ss; 9,1; 20,1). A missão de Pedro passa a ser a de um poder exercido em nome de Cristo sobre toda a Igreja.
 - E por último a promessa "ligar ... e desligar" revela a função de garantir a integridade do depósito da fé.
 Desde cedo destaca-se entre todos os bispos a figura do bispo de Roma como uma liderança dentro da Igreja. Nessa cidade morreram Pedro e Paulo, e também ali aconteceram as mais duras perseguições dos imperadores romanos. O bispo de Roma nunca foi contestado quanto à pretensão de ser o legítimo sucessor de Pedro.
A história da Igreja confirma a posição do bispo de ROMA. No ano 96, São Clemente, bispo de Roma, escreve uma carta aos cristãos de Corinto corrigindo os erros desta igreja particular. No final do século II, Santo Irineu de Lião declara na sua carta contra as heresias: e necessário que todas as Igrejas concordem com esta Igreja". Alguns séculos mais tarde Felipe, um enviado do papa ao Concílio de Éfeso (431), dirige uma mensagem aos bispos ali reunidos: "ninguém duvida, e de fato é conhecido em todas as idades, que o bem-aventurado São Pedro, príncipe e cabeça dos apóstolos, pilar da fé e fundamento da Igreja católica, recebeu as chaves do reino de Nosso Senhor Jesus Cristo, Salvador e Redentor do gênero humano; e que, até os nossos dias e para sempre, é ele que, na pessoa dos seus sucessores...
Aprendemos com a Bíblia e com o testemunho da história da Igreja que o papa é bispo de Roma, e ao mesmo tempo aquele que tem a missão de zelar por toda a Igreja, pois assim foi desejado pelo próprio Jesus Cristo. 
Pe. Alberto Luiz Gambarini
trechos extraídos do livro Em que cremos?
Um abraço a todos!
José Roberto Staliano

 

 

PRIMEIRAMENTE UM ABRAÇO A TODOS DA EQUIPE E AOS LEITORES.
DURANTE 3 ANOS TIVE A HONRA E O ORGULHO DE PERTENCER A ESSA FAMÍLIA. FOI UM PERÍODO MUITO LEGAL EM MINHA VIDA, ONDE CONQUISTEI MUITAS BOAS AMIZADES. MOREI 2 ANOS EM APARECIDA E 1 ANO EM SACRAMENTO/MG.
HOJE, CASADO E PAI DE UMA FILHA LINDA DE 12 ANOS, OLHO PARA TRÁS E VEJO O QUANTO AQUELE PERÍODO VALEU A PENA, AFINAL ME DEU UMA BASE SÓLIDA DE VIDA. APRENDÍ A TER MAIS RESPONSABILIDADE, A REAL IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO, O RESPEITO PELOS OUTROS E PRINCIPALMENTE, ENXERGAR NO PRÓXIMO A FIGURA DE JESUS CRISTO.
JÁ SAÍ DO SEMINÁRIO HÁ 15 ANOS, MAS CARREGO VIVA DENTRO DE MIM A ALEGRIA DAQUELES DIAS. DOS MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO, DE ORAÇÃO, AS AULAS E AS CONVERSAS NOS CORREDORESA TÉ TARDE DA NOITE. PARA NÃO SER INJUSTO PREFIRO NÃO CITAR NOMES, JÁ QUE TODOS QUE PASSARAM ESSES 3 ANOS COMIGO MARCARAM DE UMA FORMA OU OUTRA.
ENTÃO VOU DESTACAR AQUI APENAS MEUS FORMADORES, QUE SEM SOMBRA DE DÚVIDAS FORAM MUITO, MUITO ESPECIAIS:    PADRES DAL BÓ, PAIVA, MARCELO, EDIVALDO(ENGOV) E CLARO OS PADRES COUTINHO ( QUE BATIZOU A MINHA FILHA ) E HÉLCIO TESTA( QUE CELEBROU MEU CASAMENTO ).
ENCERRANDO DEIXO TAMBÉM MEU AGRADECIMENTO MAIS QUE ESPECIAL A CONGREGAÇÃO REDENTORISTA, QUE ME ACOLHEU, FORMOU E ENSINOU O AMOR INCONDICIONAL A SANTISSIMA TRINDADE E A SANTO AFONSO.
OBRIGADO PELO ESPAÇO E ABRAÇOS A TODOS DA UNESER
RICARDO HENRIQUE DA SILVA GUIMARÃES
1993-1995
 
Lista de Comentarios
Nome : ANTONIO IERARDI NETO
E-mail : ierardisp@ig.com.br
Comentario : Que bonito! Sempre gostei de manifestações semelhantes! É a família redentorista, UMA VEZ REDENTORISTA, SEMPRE REDENTORISTA, de todos os tempos que hoje, pela UNESER, forma a turma de um único tempo...o tempo de agora! 
Data : 16/11/2010-09:40:15

 

Caros colegas,
Concordo com as observações do Staliano sobre Hierarquia, que se faz necessária nos mais variados tipos de organização. Na Igreja também existe hierarquia, que na visão evangélica, significa organização para prestação de serviço. Os documentos da igreja também são claros: cargos destinam-se à prestação de serviços à comunidade, seja pastoreio, seja organizativo. Portanto, requer-se organização, seja na comunidade de base, nos grupos de comunidade ou numa cidade ou região e no mundo. Isto no entanto, não significa obediência cega, atitude servil nem, por outro lado, postura desagregadora e negação da autoridade.
 Por isso, sabiamente as reuniões colegiadas de pastores e leigos, têm se mostrado um formato mais adequado para definição de documentos e orientação às comunidades. A voz isolada de teólogos e eminências que parecem viver fora desse planeta não econtra eco no coração das pessoas de boa v ontade, ou  no máximo, faz-se de conta que a orientação será cumprida, ficando-se em silêncio, porém, o povo não cumpre nada. Isto tem acontecido. O papa fala, os bispos e padres repetem e o povo ouve, porém, faz do jeito que entende mais adequado. Parece discurso de louco. A hierarquia deveria valorizar-se mais, ser mais participativa, ouvindo mais gente, mais os leigos. TEria mais legitimidade, pois todos sabemos da necessidade de uma organização, com seus diversos papéis e responsabilidades.
Abs.

Luiz Silvério

 

 

Caros colegas,
Abro hoje (feriadão da república) o correio eletrônico da UOL, que não utilizo muito. Li as mais recentes mensagens da Távola Redonda e, considero a troca de idéias, mesmo que divergentes, um exercício salutar, democrático e positivo.
 Tenho certeza que um ponto comum une as pessoas que conversam e/ou lêem nesse grupo: a fé no Deus da Vida, com base nos valores cristãos. Ainda mais, a permanência na comunidade cristã católica. Pois bem. O que talvez fosse saúdável, seria distinguir o que é dogma e o que é disciplina. As práticas da disciplina podem ser alteradas e, normalmente assim acontece.
 O celibato para os sacerdores é uma questão disciplinar. Poderá ficar para sempre ou um dia se alterar. Ou, permitir-se a existência de sacerdotes celibatários e sacerdotes casados. Isto não altera dogma, não abala a fé, nem acaba com o catolicismo.
Embora pronunciamentos papais (em documentos) t enham dito formalmente exclusividade para o sacerdócio aos homens, não se trata de dogma de fé. Pode ser que um dia as mulheres sejam ordenadas. Também não é questão dogmática. Aliás, como bem nos lembra o Thozzi em suas mensagens, o grupo próximo a Jesus contava com muitas mulheres. Pontato, havia discípulos e discípulas, apóstolos e apóstolas. A época dos escritos, predominantemente sem espaço algum para a mulher, não permitiu o registro completo e real da presença feminina na vida dos primeiros cristãos.
Por isso, colegas, é importante sim a conversa e a discussão sobre assunto religiosos. "Roma locuta, causa finita" reflete uma era obscura que o Vaticano II não homologou. Ainda bem. Os fóruns episcopais nos diversos continentes são importantes espaços de reflexão e, onde o Espírito Santo se manifesta. Puebla e Medelin (não sei em que ordem) são vozes que ainda clamam por justiça e se tornaram amplificadores daqueles milhões de sofredores e marginalizados que não tinham voz nem vez. (talvez ainda não tenham).
 Todos nós nos lembramos perfeitamente que a enquanto a Igreja Católica defendia a justiça e democracia, toda a mídia e a elite nacionais aplaudiam e davam espaço para D. Helder Câmara, D. Paulo Evaristo etc.. Bastou D. Helder e D. Paulo defender o pobre e se colocar ao lado deles, que passou a ser chamado de comunista e não ter mais espaço na mídia, pelo contrário, ficou no ostracismo.
 Valeria a gente conversar sobre estes assuntos com o pé no chão e o olhar para nossa realidade.
Vou fazer uma pergunta simples: por que Bento XVI não deu recado aos bispos brasileiros sobre a importância da vida um dia após a eleições (2º turno)? Bastava esperar apenas quatro dias. Vou fazer a segunda pergunta: se este assunto é tão importante assim (também penso que seja), porque o papa não tocou no assunto mais vezes há mais tempo?  Vou fazer a terceira pergunta: Vamos ver quantas vezes o papa virá a público, dirigindo-se diretamente aos bispos do Brasil para dar esta chamada nos bispos?
 Para encerrar: se a defesa da vida é importante, e é mesmo, para nós cristãos é o valor primeiro, porque as TVS, rádios, jornais, revistas não voltam ao tema do aborto com todo esmero, tempo e detalhe como ocorreu recentemente?
 Por isso tudo, a gente não pode ser ingênuo. Há tratativas lá por cima e nós precisamos ficar atentos e não ser manipulados pela nossa boa fé, espírito eclesiástico de unidade e obediência servil. Cristo foi um exemplo de denúncia da injustiça e luta pela sua construção.
 Um abraço a todos.

Luiz Silvério

 

 

Bom dia caro amigo e "hospedeiro" Silvério!
Gostei das suas considerações!
 Há temas, como celibato, ordenação de mulheres, nomeação de cardeais, bispos, etc., que podemos dissertar em etapas, agora com a grande ajuda do Google.
Sem espadas desembainhadas, falamos, o que você sintetizou com muita propriedade, sobre a fé e a disciplina.
Dou, entretanto, respostas para suas perguntas....
 ...por que Bento XVI não deu recado aos bispos brasileiros sobre a importância da vida um dia após a eleições (2º turno)? Bastava esperar apenas quatro dias.
Em mensagens anteriores havia referido que os bispos brasileiros estavam "atarantados" com sua conduta para orientar o rebanho...Havia entre eles, como existe aqui, opiniões divergentes...
Em visita ad limina apostolorum (pratica normativa dos bispos!) dos bispos do Norte/Nordeste em 28 de outubro, evidente que em seu relatório sobre suas dioceses, surgiu o assunto do momento que era o processo eletivo no Brasil. Nesse encontro, o papa em suas atribuições de Pastor Maior e  levando aos fiéis suas orientações de conduta moral, fruto de inspiração divina, manifestou-se sobre a questão, mas, em momento algum indicou o candidato.
 ....se este assunto é tão importante assim (também penso que seja), porque o papa não tocou no assunto mais vezes há mais tempo?
 Como você pergunta por que não antes? Poderíamos nos estender bastante sobre o incontável número de vezes em que o papa manifestou-se sobre o assunto polêmico: aborto.
Imagino que todos devem ter visto e ouvido muito a respeito.
 Vamos ver quantas vezes o papa virá a público, dirigindo-se diretamente aos bispos do Brasil para dar esta chamada nos bispos?
 As mesmas orientações foram dirigidas aos bispos da região Centro/Oeste em visita realizada agora em 15 de novembro.
Se acompanharmos pela web( santa sé - zenit - aci digital - rádio vaticano ) os diversos pronunciamentos de BENTO XVI teremos noção melhor de quantas vezes ele já falou e ainda vai falar sobre esses assuntos!
Mas lembre-se de que essa visita ad limina não é um chamamento específico de uma determinada região...é prática normal do colegiado de cardeais e bispos!
Bento XVI encaminha seus pronunciamentos a todas às nações URBE ET ORBE, como aprendemos.
Imagine se os católicos de cada lugar considerassem gerência indevida...
Não haveria um pastor para o rebanho e ele estaria disperso!
 Para terminar, sinto-me sempre desconfortável quando ouço e vejo afirmações vagas como "tratativas lá por cima"
 Hoje aqui no Brasil foi eleita com 56% dos votos Dilma Rousseff...a ela os 44% que votaram no Serra devem respeito e confiança no destino do nosso país que vai indo muito bem!
Portanto, acima de tudo, vale a confiança e a esperança de que quem chegou por lá, como autoridade, tem a consciência de que deve fazer o melhor!
Um grande abraço!
Ierárdi
Tampinha  II

 

 

Senhor Ierardi, boa noite! Mandei esta conversinha para Staliano, ontem à noite. Veja e me fale. Afonso.
PREZADO STALIANO E PARTICIPANTES DA DISCUSSÃO SOBRE HIERARQUIA, BOA NOITE! Também eu, caros amigos, estava olhando os acontecimentos e cheguei a pensar que estava faltando encontrar uma idéia condutora que se aproxime mais da verdade buscada. Você, Staliano, esclarece muito o ocorrido com  este texto do padre Gambarini. Quero fazer parte deste bate papo, emborta não usarei texto de nenhum escritor. Apenas ficarei na minha reflexão, naquilo que a vida já me deu de ensinamento.
Veja o que tenho a dizer:
Estudando os pensadores e refletindo sobre aquilo que eles procuraram  esclarecer e até mesmo querer guiar os seus com ideologias, busco o sentido da hierarquia social que podemos ver na pirâmide social. Tal pirâmide tem um vértice bem agudo e neste vértice superior está a figura eminente do representante maior. Na base da pirâmide, sustentando toda ordem de serviço, estão os subalternos que se encarregam de cumprir ordens, não importa se por ideologias alienadoras ou não. Outro modo diferente de vermos e concebermos tal pirâmide social, é a de a virarmos de ponta cabeça e deixar os subalternos e oprimidos (o povinho) no topo da mesma e não pensarmos então que haja aí a divisão social como a que existe na pirâmide de vértice pontiagudo. Entendo que a manutenção da pirâmide do vértice pontiagudo, consiste em afirmar que os que são subordinados são incapazes e, portanto, necessitam de vigilância contínua.
Sei que existe a ação política na indicação de todos os membros de uma sociedade que estão no topo social. No caso da Igreja, creio que a Ação do Espírito Santo é a luz para que os indicados no topo da hierarquia, assim o conseguem por extrema capacitação e inspiração divina.  Isto ocorre com os padres, bispos e papa, com chances é claro de serem indicados indivíduos menos iluminados pelas Luzes do Santo Espírito. Aquele religioso que sobe os degraus da hierarquia o faz pelo Poder que lhe foi dado pelos membros do povo que ele conduz.  Duvidar da iluminação dos que estão à frente e de posse do poder eclesial. é por em  cheque a fé (em nosso caso, a fé cristã). O poder verdadeiro está nas pessoas que formam a Igreja, começando pelas mais simples e humildes. Este poder é extensivo aos membros da hierarquia que dirige este povo de Deus.
Deus sabe o que ele faz: se os escolhidos forem eleitos de forma legítima, atendendo às necessidades eclesiais, estes serão felizes e bem aventurados, caso contrário, sobre eles recairá a mão de Deus e eles não conseguirão prosseguir no Ministério Divino. Abraço a todos.
 
Afonso.
 
Bom dia, caro Afonso!
 Divergindo um pouco de seu comentário quando diz que não usa texto de nenhum escritor, permita-me fazer uso de suas palavras dadas neste momento azado:
  "Duvidar da iluminação dos que estão à frente e de posse do poder eclesial. é por em  cheque a fé (em nosso caso, a fé cristã). O poder verdadeiro está nas pessoas que formam a Igreja, começando pelas mais simples e humildes. Este poder é extensivo aos membros da hierarquia que dirige este povo de Deus.
Deus sabe o que ele faz: se os escolhidos forem eleitos de forma legítima, atendendo às necessidades eclesiais, estes serão felizes e bem aventurados, caso contrário, sobre eles recairá a mão de Deus e eles não conseguirão prosseguir no Ministério Divino."
 Esse é o dogma que estamos agora debatendo.....e, como não pode deixar de ser, considero muito apropriadas suas palavras a respeito.
 Um abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)
 
Fratelli tutti,
Enquanto não discutimos futebol, permitam-me dar um pitaco em tal discussão levantada pelo Afonso:fiz uma consulta ao Dicionário Católico de Teologia,de Vacant e Magnot, e achei lá coisas bem interessantes que poderiam muito bem voltar à prática...
No ano de 97,a eleição dos bispos era confiada aos sucessores dos apóstolos, dada a amplitude tomada a seguir pela Igreja o Papa São Clemente de Roma ,numa carta escrita à Igreja de Corinto determina que o Bispo seja escolhido pelo Colégio Episcopal e aprovado pela comunidade, prática esta que perdura por todo o primeiro milênio da Igreja...claro que aqui e  acolá haverá intervenção de reis e cônegos, nobres e abades mas sempre se manterá a prática até 1073,na" reforma Gregoriana"
Anotem as sábias palavras do Papa São Leão I(440-461)"não há motivo para se considerar alguém como bispo que não tenha sido pedido pelo povo e eleito pelo clero"...hoje em dia segundo Dom Casaldáliga o povo só pode se manifestar na hora do enterro: por ocasião do sepultamento de Dom Luciano a multidão aclamava" Santo já! Santo já"...testemunho de um bispo amado por todos...
abraços,
ajthozzi

 

 

Caríssimos colegas,
Oxalá continuemos a discutir assuntos tão bons como estes aqui em pauta. Futebol já possui palpiteiros demais, mídia, comentaristas etc.......
Oxalá, este espaço, continue a permitir o confronto de idéias, prática sadável e construtiva.
 Por falar em hierarquia, sonho também poder um dia palpitar sobre a escolha dos pastores (bispos). Quem sabe a gente possa adotar mecanismos que permitam uma maior participação dos leigos neste processo. Trabalho numa instiuição confessional, a Universidade Metodista, cuja igreja mantenedora faz a escolha e destituição de seus bispos e bispas nos concílios realizados a cada 5 anos, nos quais participam os bispos e bispas, pastores e pastoras e leigos e leigas. Não é um processo fácil, porém, mais democrático que o nosso, eu penso.
 O primeiro passo a ser dado, seria uma eleição pelo clero. Pelo menos o clero deveria ser chamado a eleger seu pastor. Os leigos po r enquanto, seriam ouvidos pelos padres. Quem sabe um dia, possamos também participar de uma forma mais efetiva. Acredito que a escolha dos bispos pelo clero já seria um grande avanço de participação e responsabilidade na organização hierárquica da igreja.
Abraços a todos.

Luiz Silvério Silva 
 
Fratelli  Tutti,  será que é um bom tema para a Távola?
 a seriedade e a generosidade desses irmãos do quase ex presidente...
 se não for, serve-ao menos- como um bom exemplo...
 abraços,
 
ajthozzi
--------------------------------------------------------------------------------
A Folha, jornal dos tucanos, foi xeretar a vida dos irmãos do Presidente Lula,diferente do tucano José Serra, ninguém ficou rico na política. Veja a matéria para os assinantes...
Vavá tinha 108 canários do reino, hoje não resta nenhum.
O motivo: os ratos de telhado que invadiam o viveiro do seu sobrado na periferia de São Bernardo do Campo, Grande São Paulo.
A casa simples onde mora Vavá, ou Genival Inácio da Silva, irmão do presidente Lula, é a mesma há 36 anos.
Às vésperas do segundo turno da eleição, ele conversou por uma hora com a Folha.
De início, gritou para a mulher, que atendeu o portão, que não queria papo.
Mas logo cedeu e convidou a reportagem a entrar.
Primeiro falou na apertada sala (5 m2), decorada com móveis tipo Casas Bahia, azulejo barato, uma TV grande e três quadros: uma foto oficial do presidente (com o autógrafo "Para o meu querido irmão Vavá, um abraço do Lula"); um retrato em preto e branco da mãe, dona Lindu, e um quadro bordado de uma mulher-anjo.
Depois, no terraço do primeiro andar nos fundos da casa, onde havia a criação, contou que os ratos arruinaram os canários e ele foi forçado a dar os que restaram.
Personagem do noticiário em 2007, quando foi indiciado pela Polícia Federal por tráfico de influência e exploração de prestígio na Operação Xeque-Mate (que investigou máfia de caça-níqueis), Vavá foi excluído da denúncia do Ministério Público.
"Os caras pensam que a gente é milionário. Quebraram a cara. Desmoralizam você, te jogam no lixo.Se não tiver cabeça, acabou."
Aposentado como supervisor de transporte da Prefeitura de São Bernardo, pouco sai de casa.
Ainda se ressente de seis cirurgias nos últimos anos (no fêmur e na coluna).
 
DUREZA
A poucos dias de Lula deixar a Presidência, após oito anos no cargo, os seus seis irmãos vivos moram em situação semelhante à de Vavá, alguns com maior dureza.
O primogênito, Jaime, 73, vive numa periferia pobre de São Bernardo, acorda diariamente às 4h30 e vai de ônibus para o trabalho, numa metalúrgica na Vila das Mercês, zona sul de São Paulo.
Marinete, 72, a mais velha das mulheres, que foi doméstica na juventude e hoje não trabalha, é vizinha de Vavá.
Quando a Folha o entrevistava, ela surgiu no terraço dos fundos do seu sobrado, colado ao dele, para checar um contratempo.
"Não tem água.Acabou a água da rua e estou sem água", queixou-se.
"Marinete do céu, nenhuma das duas [da rua ou da caixa]?", questionou Vavá.
O fotógrafo da Folha subiu no muro para checar o registro da caixa d'água.
"Ó o sujeito... Ah, você não vai subir, não.
Filhinho de papai, não sabe subir em muro", gracejou Marinete.
Vavá, 71, é o terceiro. É seguido por Frei Chico (José Ferreira da Silva), 68, o responsável por introduzir Lula no sindicalismo.
Metalúrgico aposentado, Frei Chico recebe ainda uma indenização mensal de R$ 4.000 por ter sido preso e torturado na ditadura. Presta assessoria sindical e mora em São Caetano.
Maria, a Baixinha, 67, e Tiana (cujo nome de batismo é Ruth), 60, a caçula -Lula, 65, está entre as duas-, completam a família.
A primeira vive no mesmo bairro que Vavá e Marinete e não trabalha; Tiana, merendeira numa escola pública, mora na zona leste de São Paulo.
Esses são os sobreviventes dos 11 filhos de dona Lindu com o pai de Lula, Aristides -que teve vários outros filhos com outras mulheres.
SAÚDE
Todos os irmãos do presidente Lula têm problemas de saúde.
Jaime e Maria enfrentaram cânceres.
Frei Chico é cardíaco.
Vavá tem complicações ósseas.
Marinete está com uma doença grave que os irmãos não revelam.
"Só tem o Lula bom ainda", afirma Frei Chico.
Os parentes dizem não receber auxílio financeiro do presidente e não se queixam disso.
"Ele não foi eleito presidente para ajudar a família.Seria ridículo se desse dinheiro", declara Vavá."Não tem o que dizer.O Lula tem a vida dele, temos a nossa.
Ainda posso trabalhar, trabalho", diz Jaime.
Frei Chico conta estar aliviado com o fim do mandato de Lula na Presidência.
Ele acredita que vai cessar o assédio aos irmãos em busca de atalhos até o Planalto.
"Para nós, só tem a melhorar.
Vamos ficar mais tranquilos em relação à paparicagem.
É muita gente enchendo o saco, gente que achava que a gente podia fazer alguma coisa", afirma.
Os irmãos não têm ilusão de que, ao deixar Brasília, Lula seja assíduo nas reuniões familiares.
"Estamos envelhecendo, a família vai chegando ao fim e assumem os filhos e sobrinhos, a família lateral", diz Vavá.
O consolo é pensar que o irmão famoso estará mais perto.
"Ele disse que não vê a hora de voltar [para São Bernardo] para descansar um pouco.
Ele está muito cansado.
O Lula tem trabalhado muito", afirma Marinete.
--
Postado por Blogger no COBRA NOTÍCIAS em 11/15/2010 03:13:00 PM
                     COBRA
www.cobranoticias.blogspot.com
9270-8789  Claro
8663-2204  Tim
Alair Molina
(11) 8145-3242
 

 

Caro Tozzi,
Para mim esse tema politico com visão direcionada, não pode dar em nada. Serão discussões vãs que não vão provar nunca que os irmãos do Presidente continuam na penúria como milhores de trabalhadores continuam, porque o Presidente foi corretissimo  e  honesto, o que, aliás, todo Governante deveria ser. Nem vamos provar que o patrimônio dos Tucanos ou de politicos de outros partidos, inclusive o do Presidente, foram legitimamente adquiridos ou não.
Serão "discussões bizantinas" (na verdade nem sei a origem dessa expressão), mas discussões boas não devem ser.
Vou pesquisar alguma coisa sobre "As Campanhas da Solidariedade" organizadas pela Igreja Católica  e sugerir algum tema nesse sentido.
Abraços,
Abner
 
Colegas,bom dia.
Sobre o assunto trazido pelo Thozzi tenho um comentário. Entendo que ele apenas quis reforçar o que é evidente para todos. O atual presidente Lula não fez uso do Estado para se locupletar nem roubou o tesouro da viúva para atender aos seus familiares. Somente isto. Todavia, trata-se de um feito respeitável, pois não é o vem ocorrendo na vida pública ao longo de tantos anos da História.
Eu conheço o Vavá, o irmão do Lula, e seus filhos, bem como as irmãs do Lula. São justamente o que sempre foram, antes do Lula ser presidente e agora: gente trabalhadora, que vive de seu salário ou aposentadoria do INSS. Moram nas mesmas casas no bairro da Paulicéia. Este fato engrandece ainda mais a figura do Lula, confirmando sua integridade e honestidade, muito diferente de tantos outras pessoas que passaram por cargos públicos neste país. 
Acho que foi isto que o Thozzi quir trazer para nossa reflexão.
Abs.

Luiz Silvério
 
O Serra só teve aqueles 44% dos votos porque grande parte dos eleitores votaram nele em duvida (..como votaram no TIRIRICA!...).
Não votaram por convicção!
O papel (..e que bolinha de papel!) que esse candidato fez foi demagógico...Sempre o considerei um dissimulado.
Só ataques...só negativismos...
Tenho acompanhado os discursos no Senado e o seu partido PSBD só é contra por ser do contra...nada tem de positivo.
Promessas de campanha como salário mínimo a 600 reais em 2011, aumento de 10% aos aposentados (...os tais "velhinhos sofredores!...)
E a triste história de seus familiares....por que isso? Por que colocar a família à frente de suas intenções negativas?
E assim, fechando os olhos para esse país, Nosso Brasil, que está muito bem, apenas falou mal de quem hoje o governa...
Não nos trouxe nenhuma condição para confiança em seus propósitos...aliás o governo de seu partido sempre foi dos piores....diga-me FHC...o que ocorreu com as URV's na composição das aposentadorias dos "pobres velhinhos"  em 1995?
Os nordestinos acordaram para esse pessoal e eles já ficaram fora no Ceará e Amazonas....(...figurões da política!...)
Pessoalmente falando, o que o governo FHC fez de errado para mim, foi devidamente corrigido neste governo Lula.
E agora procurar intrigas....por que não avaliar o crescimento deste país nestes últimos quase oito anos?
Por outro lado, se há preocupações com o aborto....o  povo sabe muito bem distinguir ( ...o Genoino-PT ficou fora....)...
A Igreja faz o seu papel em orientar seu rebanho...e os fiéis de verdade aceitam e cumprem...
A nossa nossa presidente nos traz muita esperança....mostrou que é uma lutadora e preferiu ficar presa no DOPS a fugir do país...
Ela tem muita personalidade e continuará no desenvolvimento por mais OITO ANOS....(SERÁ REELEITA!)
É assim que hoje sinto o futuro de nosso BRASIL!
Um abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)
 

ATÉ TU, PAPA! - OUTUBRO E NOVEMBRO/2010

Bento XVI pede pela liberdade da cristã condenada à morte no Paquistão
Ajudar o Haiti e rezar pelos nascituros, exortou o Papa Bento XVI
NOVO APELO DE BENTO XVI A FAVOR DO HAITI
PAPA PROPÕE DAR MAIS IMPORTÂNCIA À AGRICULTURA NA ECONOMIA
Papa pede a G20 medidas justas para sair da crise
Papa incentiva instituição de uma comissão bilateral entre Santa Sé e Irã
Papa envia carta ao presidente iraniano Ahmadinejad
Bento XVI mostra sua confiança no futuro da Europa
Bento XVI levou à Espanha harmonia entre laicidade e fé
Bento XVI à Europa: “Deus não é inimigo do homem”
Brasil: orientações do Papa pedem vigilância dos rumos do governo
Bento XVI: A vida em Cristo comporta uma “eleição de campo”
Ciência pode ser lugar de encontro com Deus, afirma Papa
Apelo do Papa pela Indonésia e Benim
Mensagem do Papa para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado
Santa Sé e Seychelles coincidem em defender dignidade humana
Santa Sé na ONU: nunca utilizar crianças-soldado
Rejeição à miséria: Bento XVI incentiva compromisso de ATD Quarto Mundo
Equador: Papa pede que se garanta ensino religioso nas escolas
Oriente Médio: Igreja deve dar à mulher o lugar que lhe corresponde
Santa Sé alerta sobre mortes por acidentes automobilísticos
Bento XVI: consolidar paz no bicentenário da República da Colômbia
Santa Sé: desenvolvimento sustentável, sem malária, no futuro da África
Papa destaca importância do entendimento mútuo na América Central
Bento XVI recebe presidente da Polônia
Santa Sé pede maior respeito pela mulher
Libertar a família humana da fome é prioridade, diz Papa
Papa advoga por nova geração de políticos católicos “sem complexos”
Bento XVI: denunciar as injustiças que provocam a emigração
Bento XVI reza pelos mineiros chilenos no dia do seu resgate
Audiência do Papa com o presidente da Croácia
Sarkozy visita Papa para confirmar relações construtivas
Santa Sé: distribuir recursos a serviço da vida e do desenvolvimento
Bento XVI convida a colaboração leal e respeitosa entre Igreja e Estado
Santa Sé assinala na ONU desafios referentes à segurança global
Papa se dirige aos que sofrem devido ao crime organizado
Após crise do Equador, Igreja pede serenidade e diálogo
Apelo do porta-voz da Santa Sé contra pena de morte
                 
Agora até o Papa dá palpite na eleição
Só faltava ele! Pois ao abrir a capa (alguns preferem chamar de home page) do portal Estadão.com, a 72 horas das eleições presidenciais, tomo um susto ao ler a manchete: “Papa condena aborto e pede a bispos que orientem politicamente fíéis”.
Diz a nota que “em reunião em Roma na manhã desta quinta-feira, 28, o papa Bento XVI conclamou um grupo de bispos brasileiros a orientar politicamente fiéis católicos. Sem citar especificamente as eleições de domingo, o Papa reforçou a posição da Igreja a respeito do aborto e recomendou a defesa de símbolos religiosos em ambientes públicos”.
Além de condenar o aborto, como se alguém pudesse ser a favor do aborto, embora muitos defendam a sua descriminilização, o papa também cobrou o ensino religoso nas escolas públicas e defendeu a luta pela manutenção dos símbolos religosos, citando o monumento do Cristo Redentor no Rio, como se eles estivessem ameaçados.
O Brasil é um Estado laico e mantem relações diplomáticas com o Estado do Vaticano. Com que direito Sua Santidade vem meter o bedelho em questões internas de um país às vésperas das eleições presidenciais? Já não basta o papel impróprio e deprimente  exercido por alguns dos seus bispos que, com esta falsa questão do aborto, transformaram seus altares em palanques contra uma candidatura e a favor de outra, distribuindo panfletos políticos em lugar de homilias?
Depois de ser explorado até a exaustão pelos bispos teefepeanos, telepastores dos dízimos e, principalmente, pela mídia, o assunto já tinha até saído de pauta, tão rapidamente quanto entrou, porque as últimas pesquisas mostraram que ele não estava mais rendendo nenhum resultado nas intenções de voto dos eleitores. 
Em artigo publicado terça-feira no Observatório da Imprensa, o analista de mídia Cristiano Aguiar Lopes prova com números de uma pesquisa que “houve um esforço coordenado e eficiente dos principais jornais e revistas do país para insuflar a polêmica sobre o tema com vistas a um fim eleitoral mais que óbvio: roubar votos de Dilma entre eleitores conservadores contrários à descriminalização do aborto”.
Os números são impressionantes: a três dias do primeiro turno, no dia 30 de setembro, as principais publicações do país pesquisadas registraram 149 menções sobre o aborto, chegando a 430 no dia 8 de outubro, na primeira semana do segundo turno que foi dominada pelo tema.
“A primeira escalada ocorre pouco antes do primeiro turno e tem como objetivo conquistar os votos de indecisos e de dilmistas não muito convictos. A segunda, bem mais intensa, busca transferir para Serra os votos de um grande contingente de eleitores conservadores _ sobretudo católicos e evangélicos _ contrários à descriminalização do aborto”, conclui Cristiano Aguiar Lopes.
A pesquisa prova também que não houve “onda verde” nenhuma que tenha provocado o segundo turno. Foi, na verdade, uma “onda religiosa” nas igrejas e nos subterrâneos da internet que beneficiaram a candidata evangélica Marina Silva e levaram a eleição ao segundo turno, usando a ameaça do aborto como instrumento eleitoral.
O Papa foi inconveniente, chegou atrasado na história e entrou de gaiato numa falsa polêmica que até a mídia já tinha esquecido. Deveria se preocupar mais com os casos de pedofilia envolvendo religosos que grassaram nos últimos anos em sua igreja, com a perda de fiéis para as seitas evangélicas e o esvaziamento dos seus templos. Não precisamos dos seus conselhos para saber como deveremos votar no domingo – Ricardo Kotscho –
Paulinho
Caro amigo Paulinho e demais da relação!
Como mencionei, meu voto está consolidado para a Dilma Rousseff.
Isso porque também o outro candidato, por quem não tenho simpatia e confiança, também estaria comprometido com a questão "aborto", visto que seguiu as mesmas idéias quando ministro, ao aplicá-las ao SUS e , assim, ambos estariam vetados.
Entretanto aqui vale também o maior respeito do católico de fato ao PAPA,  o sucessor de Cristo em Roma.
Li a mensagem aos bispos do nordeste e não vi em lugar nenhum "palpite" ou mesmo "sugestões" de votos!
Ele apenas, e entendo que até inspirado pelo Espírito Santo, dá um caminho sólido aos nossos bispos que hoje estão um pouco atarantados com a atual situação política!
Se perceber melhor, Bento XVI lembra a questão moral que está acima de qualquer outra e esse ponto que deve ser básico para os prelados....
Assim, nestas eleições os dois candidatos dizem que são contra o aborto...até prova em contrário, não há mal juízo desse fato.
Nisso os nossos bispos devem refletir e com o apoio de muita oração, orientarem o rebanho, não pendendo para nenhuma parte!
Quanto às notícias de "capa" de periódicos, cuidado! Há muito interesse em jogo!
Veja o site: http://www.acidigital.com/ onde estão dois artigos interessantes.
O primeiro sobre o que mencionei agora e outro sobre o pronunciamento de Dom Dimas, secretário geral da CNBB, que nega ameaças do governo Lula de revisar Acordo com o Vaticano, para proteger a candidata DILMA.
Desculpe, amigo e colega Paulinho, podemos ter mais respeito com o nosso papa, pastor maior!
Não cabem a ele ironias nem falsas interpretações! Vejam nele apenas o representante de Cristo!
Um forte abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)
Até o papa noster tem  que meter o bico em nossas questões, por que será? Quem ainda poderia meter o bico é tucano, mas depois dessa vai entrar em extinção. Por que o papa tem que chamar a atenção de nossos bispos, cuja precupação é apenas o bem estar dos fracos e oprimidos? E tem mais, por que envolver o Espirito Santo com sua infalibilidade? Não existe aquele ditado que diz"vox popli, vox Dei" se os opimidos e não se uniram em prol de Dilma, é porque sabemos o que queremos para nós. Embora esse ditado não tenha uma força de verdade, neste caso tem, e não um papa de uma Igreja abalada pela pedofilia de seus ministros e dos Bispos brasileiros, pastores de uma Igreja foclórica que vão abalar a convicção desse povo. Não temam, não há motivos para isso, e no dia 31 congratularemos com os vencedores.
Semper
Abner Ferraz Campos
Esse Papa só o Espírito Santo para dar um jeito. Ele é completamente despreparado para comandar a Instituição tão grande que é a Igreja Católica. Ele não está contextualizado com o mundo. Lembro-me de quando foi eleito ao papado e foi cumprimentado pelo Pelé. Ele não sabia quem era a pessoa que lhe beijava a mão. Não que Pelé representasse muito para a igreja, mas foi sintomático. Quem nunca ouviu falar de Pelé está fora do mundo. Uma pessoa que não conhece o mundo real no qual vive seu rebanho, como vai responder aos desafios pelos quais sua Igreja enfrenta.
             Esse cardeal Ratzinger mais vez fere gravemente seu rebanho brasileiro.
             Desarticulou completamente as igrejas bases, ou comunidades de base, aquela parcela mais viva e atuante da igreja. Porque a igreja de elite está doente. E olha que tem padre e bispo chegadinho nesso povo. Ou seja, quem realmente mais  saiu prejudicado foi o seu rebanho mais pobre e miserável.
             Espulsou da Igreja Frei Leonardo Boff, criador da teologia da libertação. E mal sabe ele que esse quando dá conferência enche auditório de padres e freiras, sem contar os leigos, para ouvi-lo.
             Agora vem opinar sobre eleição para cargo executivo. Se ele, e seu cardinalato atrasado, estivessem realmente preocupados com lei de aborto deveriam ter opinado recomendando voto aos candidatos ao Congresso Nacional. Pois esta é a casa das leis. Quem faz lei é deputado e senador, e não chefe do executivo.  Totalmente incompreensível a preocupação desse segmento da igreja emitir esse tipo de opinião para eleição de cargo executivo. Não está endereçado para as pessoas certas. Aliás esse segmento deve a nós cristãos e católicos envolvidos com a igreja uma resposta convincente. Quais são os seus reais interesses em defender a instalação da elite econômica no comando político da Nação brasileira. Será que está faltando suporte financeiro para manterem seus castelos?
             Prejudica mais vez o seu rebanho brasileiro quando defende um candidato do neoliberalismo. Idealogia neoliberalista e cristianismo são antagônicos. Não há discurso cristão que não seja defesa do mais fraco, solidariedade, cooperação, justiça, governo para servir o povo - Jesus foi crucificado por causa dessa luta. Neoliberalismo é liberdade de competição. Só que essa liberdade não existe, porque os competidores são desiguais. É uma liberdade somente formal. Para o neoliberalismo governo é apenas um garantidor das normas. E cada pra si e Deus pra ninguém. Por isso o neoliberalismo não investe no social, diminui o tamanho do Estado, não quer que o Estado invista na economia, exceto quando suas empresas estão falindo - lembrem do passado recente da crise que a economia mundial passou.
             Justiça é tratar os desiguais de forma desigual. Pois o mais fraco não vai nunca competir com o mais forte de forma igual. Não é assim que fazemos com os nossos filhos, estamos sempre defendendo o pequeno dos cascudos dos grandes?
             Grande parte desse erro recai sobre os cadeais e bispos brasileiros. Primeiro, os cardeais se amedrontaram e se acovardaram ao eleger um papa para substituir João Paulo II tendo por critério apenas a idade, para que fosse um papa transitório. Segundo, cardeais e bispos não são realmente representantes do povo católico, e se mijam quando vão falar com o sumochefe. Mudaram o documento de Aparecida no avião quando iam levar o documento ao papa. Não entregaram o documento aprovado no encontro. Ficaram com medo de desagradar o chefe. Hoje não tem fax, internete. Tinha que ir entregar em mãos. E aí abrandaram o documento escrito no encontro.
              Então essa interferência errada é consequência de mal assessoria.
              Uma pessoa deslocada do mundo real e mal assessorada nem o Espírito Santo dá conta. Por isso aquele teólogo alemão e redentorista, que nessa hora já nem me lembro do nome dele, defende papado de forma colegiada.
 Abraço
Tavares
Caro amigo Ierardi
 O Papa é infalível em questões de fé e moral; em diplomacia não. E nesta matéria ele vem sendo reprovado várias  vezes. O articulista diz "entrou de gaiato numa falsa polêmica..." Foram os bispos, segundo as más linguas por iniciativa do "cardeal" de Aparecida, que armaram a cama de gato em que ele caiu. Claro que tenho pena dele, afinal ele não merece isso. Mas aconteceu! Mais um gol contra da Igreja católica no Brasil. Precisamos orar muito.
 Abraço
Paulinho
Paulinho, bom dia!
 Suas palavras: "O Papa é infalível em questões de fé e moral; em diplomacia não."
 Palavras do nosso santo papa, Bento XVI: "O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76). 
Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente má e incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, conseqüência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38)."
Você percebe que é questão de moral....e fé em quem diz essas palavras!
Por outro lado, não considere a pessoa tão esclarecida e lúcida, Papa Bento XVI, como ingênua. E ainda não coloque outras pessoas como o cardeal nomeado Dom Raimundo Damasceno entre falsos conceitos!
Quem é esse articulista? Por que você não mostra sua procedência?
Como mencionei, cuidado com as "capas" de periódicos....são pitonisas no Oráculo de Delfos!
Amigo Paulinho, uma vez mais convoco o seu respeito à instituição da Igreja Católica se católico de fato você se julga!
Um abraço!
Ierárdi
Ierardi,
 Bom dia. O texto é de Ricardo Kotscho, do ig...
Não questiono o que o Papa diz, ele está certo. O momento é que foi inoportuno, por isso falho em diplomacia. E, ingênuo? não! Zelozo, de boa fé, Ele caiu na esparrela de bispos carreiristas, ansiosos por galgar poder e honraria.
Onde está no evangelho ou em toda a Bíblia que Jesus criou o arcebispado, o cardinalato, o título de cônego, de monsenhor...
Pálio, anel, cruz peitoral, báculo, barrete vermelho...Haja fábrica e loja para disponibilizar tanta bugiganga!
Por que os bispos não pediram a palavra d'Ele antes, até quando a CNBB, a qual respeito muito, divulgou em tempo hábil e com ponderação sua própria orientação, depois desrespeitada por muitos de seus associados, de forma inconfessável, como fez sr. Bergonzini, de Guarulhos?
 Vc me diz: "uma vez mais convoco o seu respeito à instituição da Igreja Católica se católico de fato você se julga!"  Que isso, companheiro, não me julgo, SOU, primeiro cristão, depois católico e ainda por cima redentorista. Mas não sou idiota. Respeito a Igreja como Cristo a fundou...não como os homens a maquiaram. Só isso. E estou na companhia de gente do bem, como Afonso Maria de Ligório que recusou terminantemente ser arcebispo de Palermo e só aceitou ser bispo, por obediência, por causa da insistência do papa. E olha que o grau sacerdotal episcopal foi Jesus que criou e São Paulo disse que desejar o episcopado é coisa boa. Dom Bosco delicadamente e com humor, como era de seu feitio, recusou o título de monsenhor que o Papa queria lhe dar, maravilhado que ficou com o trabalho do Santo com os jovens.
Raramente vc vai ver nosso Dom Carlinhos de solidéu; Dom Casaldáliga nunca comprou báculo, anel...nem foi na visita ad limina, uma vez que seus fiéis eram paupérrimos. (em compensação o recém cardeal não passa um mês sem voar mas raramente o vemos em nossas paróquias, em capela, então, nunca! e a arquidiocese de Aparecida tem um dos piores cleros da região, estão aparecendo um ou outro melhorzinho, depois de modificações introduzidas por Dom Aluízio). D. Casaldáliga fez uma única visita, no final de seu governo, por insistência do Papa atual e o Vaticano lhe pagou a viagem! Cansei de ver aqui em Aparecida Dom Aloísio, só de batina branca surrada...sem nenhum sinal de que era cardeal, inclusive, que foi votado para ser papa, como todo mundo sabe e o voto foi de João Paulo ou essas pessoas estão desrespeitando a Instituição???
 No mais, tudo bem? Abraço
Paulinho 
Interessante afirmação de outro jornalista a esse jornalista tão laureado!
 ...."POR EULER DE FRANÇA BELÉM EM 08/12/2008 ÀS 06:31 PM
Poder devorou o repórter Ricardo Kotscho
Ele sustenta que, quando estava ao lado do rei, não sabia nada de mensalão e Marcos Valério. Era da cozinha de Lulla, como Delúbio Soares e José Dirceu, mas, como o presidente, não sabia de nada. É provável que, no poder, Kotscho tenha deixado de ser repórter. O poder costuma devorar a alma dos grandes repórteres...."
Desculpe iniciar dessa forma, mas confirma mesmo o que eu estava supondo sobre o tal articulista: ATREVIDO!
 Considero, meu amigo Paulinho que estamos misturando um pouco os assuntos.
Aqui não se trata de investir contra os "maus" prelados....
Aqui não se trata de indiciar os "maus" prelados, segundo nossas opiniões e informações não tão seguras.
Quando você busca verdades apenas no EVANGELHO me assusta ao confundi-lo com um protestante que ignora a TRADIÇÃO e o MAGISTÉRIO, tão importantes na Igreja Católica como a SAGRADA ESCRITURA.
Como mencionei, a nossa situação política deixou os bispos atarantados e, nessa hora, necessária foi a intervenção do nosso santo papa Bento XVI.
Amigo, hoje no mundo há muitas dissidências de cristãos, lamentavelmente.
Mas a Igreja Católica (Universal), Apostólica e Romana é apenas uma comandada pelos bispos que têm como lider o papa Bento XVI.
É o código da Religião Católica!
Fora dele , até se pode ser cristão, mas não se é católico!
Há tantos bons exemplos de vida não só dos que você menciona como também de toda a plêiade de santos que nos são o grande modelo de vida!
Assim, em contraposição ao que me fala, entendo que é melhor procurar e seguir os bons e orar e tentar trazer para o redil aqueles que estão fora dele.
Mas isso com muita serenidade, sem revolta!
E quando você se refere a Santo Afonso Maria de Ligório, lembre-se que, como redentorista, definiu na sagração o voto da OBEDIÊNCIA...ninguém será idiota por ser obediente, Cristo o foi e assim deu a sua própria vida pela nossa redenção!
Definamos melhor nossos conceitos, antes de nossas ações!
Um abraço!
Ierárdi
Ierardi
Seja quem for que fale...o papa não foi diplomático, como não é o forte dele ser diplomático e isso não é demérito...Ninguém é perfeito, nem o papa o é! Eu tenho é pena dele, embora em parte ele seja responsável, por estar cercado por bispos atarantados, eu diria incompetentes. Claro que me guio pela tradição e magistério, mas em coisas essenciais, e não me consta que essa tralha toda - báculos, mitras, barretes...- seja essencial.
Kotscho eu conheço ha muito tempo, claro, não é nenhuma sumidade...agora quem é Euler de França Belém?
 Inté, abraço
Paulinho
JORNALISTA EULER DE FRANÇA BELÉM é diretor-editor chefe do Jornal Opção. Semanalmente, o JC (Jornal Cidade)transcreve conteúdos da coluna IMPRENSA, editada pelo mesmo e veiculada no periódico da capital Goiânia.
 Contatos: ffeubel@uol.com.br - http://www.jornalopcao.com.br
 Paulinho, você viu o último e-mail do Thozzi....sobre ajuntar tudo isso e fazer "dossiê" para um seminário? Bela sugestão do nosso "fratello"!
Olhe, aqui não se trata de diplomacia porque o papa falou em nome da Igreja e não do Estado do Vaticano! Nesses assuntos o papa não erra...é inspirado conforme acreditamos, quando orienta para fins de conduta moral. A tradição de mais de 2.000 anos estabelece hoje a todos os católicos a atual hierarquia eclesiástica...
Isso não é essencial? Claro que sim, portanto, amigo, reformule um pouco as idéias e conceitos dentro da prática católica!
Vamos lá....
Ierárdi
Amigos da comunidade Redentorista, antigos seminaristas!
Para aqueles que dispõem de um tempinho e queiram "curtir" alguns momentos de reflexão positiva, estamos criando um grupo selecionado de "jogar conversa fora" , cognominado TÁVOLA REDONDA.(...parece que esse nome é novo ( ? ).....)
Evidentemente os que podem, como eu, gastar mais tempo, escrevem e os demais acompanham, torcem por,ou retrucam quando não aguentam deixar passar.
Como este grupo pretende ser "fechado", os endereços de e-mail devem aparecer no distribuidor para as devidas respostas e acompanhamento....
Vamos tentar?
Já estamos desencadeando um tema interessante:
"O RESPEITO À HIERARQUIA CATÓLICA - URBE ET ORBE - ou ainda : ROMA LOCUTA!"
Assim, entrem todos à roda!!!
Um forte abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)
Obrigado Antonio Ierardi...Tô dentro !! Abraços
Pe Gilmar
o  Amor acima de tudo...'(sto Afonso de Ligório)
Caro amigo Ierardi:
Obrigado pelo envio dos textos. Já os havia lido no mesmo dia que você mandou, mas só hoje volto ao assunto de propósito. Como o que vou dizer não é apenas para você, mas também para os amigos Paulinho, Abner, Thozi e os demais da relação, quis esperar passar o calor da eleição para responder.
Como você, Ierardi, também eu nada vi de indireta ou direta do papa em relação à eleição, e muito menos que ele quisesse apontar este ou aquele candidato. O assunto é de suma importância e merece, sim, ser lembrado por nosso pastor maior, e Bento XVI não chegou atrasado à história, como diz Ricardo Kotscho, pois descriminalização do aborto faz parte da politica mundial dos governos ateus e ateizantes das grandes potências mundiais. Melhor, políticas essas que nem são ditadas pelos gorvernos, pois quem mais manda no mundo hoje são os grandes conglomerados que dominam o mercado global, e que impõem suas leis visando não o bem da humanidade, mas unicamente lucros cada vez maiores (veja o filme Rede de intrigas, a que assisti há uns 30/40 anos e que, no entanto, é atualíssimo!). Por outro lado, escandaliza-me a maneira como o Abner se refere ao papa. E também não entendo como o Paulinho invoca as escrevinhações de certos jornalistas (Em assunto de religião o que mais sabem fazer são meras escrevinhações.) e de nossa imprensa -- onde, como vc diz, se escondem grandes interesses -- para defender seu ponto de vista. E outra coisa: meu grande amigo Paulinho, por quem tenho grande respeito, também parece ser pouco sensato ao afirmar, em relação ao bispo de Chapecó e em referência à nomeação de D. Damasceno para o colégio cardinalício, que esse, sim, o bispo de Chapecó, merece ser cardeal. Além disso, Paulinho, vc não acha que, como foi condenável a atitude de bispos conclamando seus rebanhos a não votarem na Dilma porque ela -- diziam -- é a favor do aborto, da mesmo forma não se deve também condenar o bispo de Chapecó conclamando, abertamente, seus diocesanos a votarem nela? Não estará, ele também, fazendo do altar palanque político, como diz o Kotscho? (Desculpem-me, mas me deu um branco e não consigo lembrar o nome do bispo de Chapecó, e sou tão burraldo em questão de mexer com esse bicho chamado computador, que não sei sair deste texto e procurar a mensagem do Paulinho, na qual está o nome do bispo.)
O que mais penso disso tudo é que, se devíamos refletir muito antes de dar nosso voto neste ou naquele candidato, mais ainda devemos refletir agora que a coisa está consumada. Ou melhor, mais que refletir, acompanhar pari passu o caminho dos que foram eleitos, não só para presidente da nação, mas também os que elegemos para se assentarem na Câmara e no Senado. É bom nos convencermos de uma vez por todas -- e isso eu digo em primeiro lugar para mim -- de que devemos viver, respirar política (gerência do bem público) do começo ao fim de cada dia nosso, e não só às vésperas das eleições. O "amai-vos uns aos outros" de Jesus é pura política e deve ser nosso norte, o norte de toda e qualquer política. Deve ser vivido mais fora do que dentro das quatro paredes de uma igreja. Religião se vive, sim, sr. Ricardo Kotscho, fora da sacristia, e o papa tem, sim, direito de alertar, alto e bom som, seus fiéis para os perigos que os rodeiam, e de conclamá-los, por meio dos pastores das Igrejas locais, a defender os grandes valores da vida.
Quer mais preocupação do que não só ele mas também seu querido antecessor, Jão Paulo II, têm tido com os escândalos dentro da Igreja? De mais a mais, seria bom dizer ao sr. Ricardo Kotscho que, como bem fala meu pároco, pe. Rogério, graças a Deus nossa Igreja é lugar de pecadores, caso contrário não existira ali lugar para mim. E que Cristo veio não para os sãos, mas para os doentes, não para os justos, mas para os pecadores.
Um grande abraço, Ierardi.
A. Bicarato.
Boa noite, meu amigo!
Essa questão da autoridade máxima falando sempre o que quer e não querendo ouvir seus ouvintes  já me deixou chateado muitas vezes. É a sensação de que os iluminados não precisam nunca valorizar os simples mortais.  E que podem falar o que quiserem e sempre serem aplaudidos. Como Deus não e posse de ninguém e não se submete, acredito, a nenhum totalitarismo, não me sinto com dor na consciência quando não aceito algum discurso, ou sinto que o Espírito me fala outra coisa. Pode ser que eu esteja enganado. Mas gosto de continuar acreditando que tenho capacidade de pensar e de não precisar engolir tudo que venha de qualquer pessoa.
Um abraço!
João Loch
Bom dia, caro amigo Loch!
Como havia comentado anteriormente com o Paulinho, nossos bispos, parece que estavam "atarantados" em situação de orientar os fiéis perante as nossas eleiçoes!
Em cada região há uma tendência e fica sempre muito complicado inserir o caminho para uma decisão correta.
Entretanto, quando entendo que a hierarquia do clero deve continuar sempre a partir de Roma e a ela devo obediência, partindo dos fundamentos cristãos, o evangelho e católicos, a tradição e o magistério.
Você, entretanto, traz uma situação atual muito triste....há muitos aplausos nas igrejas católicas....muito barulho e quase nenhum fervor. É o erro de se fazer o mesmo que se faz nas seitas de cura e de prosperidade e, às vezes, também ocorre nos templos católicos e nos púlputos.
Vejo com muita preocupação certo descaso na formação de seminaristas que há muito deixou de ser tão irrepreensível como deveria ser.
E as "atualizações" litúrgicas e de comportamento após 1965, foram mal entendidas e surgiram muitos abusos e...o fundamento religioso e consciente passou a ser neglicenciado.
Tudo o que venha de Deus é sempre saudável de deglutir...mas temos de identificar bem os seus profetas e a eles agradecer por nos conduzirem às bem aventuranças...
Encerrando, sugiro que leia um pouco mais sobre a vida dos nossos santos e santas e perceba o modelo de vida perfeita que eles nos deixam!
Um forte abraço e, olhe, o pessoal da Távola pode entrar nesse fórum....haverá para nós todos muita luz!
Ierárdi
(Tampinha II)
Amigo Ierardi:
Já disse e repito que para mim é uma honra fazer parte da Távola. Espero que os demais entrem na roda. O assunto escolhido como "pedra fundamental" é oportuno está na ordem do dia. Na realidade é continuação do que temos discutido nos últimos dias.
Um abraço.
Bicarato.
Amigo Bicarato!
Estamos já e atividade, lembrando os debates que mantínhamos no seminário, por exemplo aquele: " o louco tem ou não tem inteligência...."
Sabe que até hoje,  mais de 50  anos já transcorridos, ainda não tenho certeza da melhor resposta...
Vamos em frente e essa Távola vai crescer  muito.....
Um forte abraço!
Ierárdi
Bom dia Antonio, tudo bem?
Não sei se vou conseguir contribuir muito face aos compromissos do dia a dia,mas me comprometo que sempre que puder emitirei minha opinião sobre  o material discutido, e gostaria de acompanhar . Tenho certeza que se trata de mais uma iniciativa que irá promover não só a discussão em si mas a aproximação de muitos colegas;
Obrigado por se lembrar de mim,
um forte abraço
Clarindo
Meu amigo e colega Clarindo!
Senti falta da sua "viola" e da imagem daquele senador no nosso último encontro de Mairinque.
Mas, sei muito bem  que os compromissos maiores sempre devam ter nossa opção...
Participe desta mesa....Vamos comer um pão gostoso e saudável...e, olhe, sempre quando responder, ponha todo mundo na roda!
Um forte abraço!
Ierárdi
Essa questão da autoridade máxima falando sempre o que quer e não querendo ouvir seus ouvintes..."
 Boa, Loch! Jesus passou 30 anos de sua vida ouvindo; ouvindo o Pai, ouvindo Maria, sua mãe e também José, seu pai terreno e depois falou por três anos, tendo se retirado ainda muitas vezes para a montanha, em silêncio. Essa obediência cega de que fálavamos antigamente hoje não se conta mais...afinal nós, os de baixo, também evoluímos.
Um abraço
Paulinho
Paulinho, você é meu adversário nessa "pugna"....
Não se esqueça de colocar todo mundo na roda, quando responde.....
Um abração!
Ierárdi
"grandes conglomerados que dominam o mercado global, e que impõem suas leis visando não o bem da humanidade, mas unicamente lucros cada vez maiores."
O Bicarato tem esse trecho em sua resposta ao que lhe escrevemos. Pois neste trecho está o cerne do neoliberalismo, base ideológica da candidatura recém derrotada ao governo brasileiro.
Por outro lado o subsídio que nos forneceu sobre a questão da "fala ex cathedra", foi interessante. De fato, citar a Escritura e pronunciamentos papais sem contextualizá-los, é fundamentalismo, praga atual que ameaça a paz entre os povos.
Paulinho
...Estou em dúvida se vou participar ou não da Tavaola Redonda, pois sinto-me fora do contexto.
abraços
Abner
Caríssimo amigo, Abner....
Sei que você não gosta disso, mas ESTÁ INTIMADO A PARTICIPAR DA TÁVOLA REDONDA!!!
Desculpe-me pela brincadeira, mas a sua participação é oportuna, afinal precisamos cada vez mais de quem não tenha papas na língua e tenha a mente e coração sempre abertos!
Espero você por lá.....
Ierárdi
 
Caro Antonio, boa noite! Depois de um dia que passei a observar a indicação de Távola Redonda e declinei sobre o e-mail de Adilson Cunha, ainda não consegui entender o princípio, o meio e o fim da discussão. Cunha me perguntou se eu estava interessado em declinar idéias para a discussão. Por favor, me coloque no entendimento da questão. Será que os senhores passaram a discutir o princípio de autoridade do chefe da Igreja, justamente porque a coisa pegou com as indicações das eleições para Presidente da República? Tenho a dizer que a gente tem às mãos uma ferramenta muito precisa e verdadeira que é a Bíblia. A gente tem na Igreja e por isso, nas centenas de paróquias e dioceses brasileiras, encontramos líderes religiosos que foram formados em diversos lugares e sob orientação de formadores e formadores. Não podemos iniciar uma discussão sem antes olharmos firmes para o Princípio de Identidade do Ser, aquele que afirma que "O ser é, enquanto ele é e o ser não é, enquanto ele não é".
No tempo das eleições escutei muitas e muitas críticas. Observei-as a partir de quem as dirigia e tirei minhas conclusões.
Por favor me dê um retorno. Por acaso, estas discussões que os senhores estão fazendo por e-mail, estas estão indo para a página da Uneser?
Abraço, Afonso.
Bom dia, caro amigo Afonso!
Você "embrulha" meu raciocínio de leigo quando fala sobre  " o ser"  ou "ser"!
Espero que, como sói acontecer em todos os momentos da nossa vida, terei oportunidade de saber mais um pouco!
Sobre a "Távola Redonda", que não é do rei Arthur e nem pretende ter um Lancelote, surgiu, como você próprio referiu, no momento das eleições um artigo de um jornalista do PT-Ricardo Kotscho- ATÉ TU, PAPA!- que alegou interferência de Bento XVI na eleição brasileira para presidente.
No intuito de concordar com o articulista, o Paulinho Oliveira, escreveu alguma coisa um pouco mais extensa:
 "Paulinho: "O Papa é infalível em questões de fé e moral; em diplomacia não"."Foram os bispos, segundo as más linguas por iniciativa do "cardeal" de Aparecida, que armaram a cama de gato em que ele caiu. Claro que tenho pena dele, afinal ele não merece isso. Mas aconteceu! Mais um gol contra da Igreja católica no Brasil. Precisamos orar muito."(Ricardo Kotscho)
 Evidentemente não concordei com isso e declarei que devemos obediência e respeito ao Vaticano e hierarquia católica, ainda que isso nos incomode....
Surgiram, assim, os  de acordos e desacordos, o que inspirou-me, no sentido de ter um tema para nos congraçar constantemente, lançar essa idéia da Távola.
Estou colecionando as correspondentes mensagens para, em algum momento, melhor alinhá-las e continuar o debate.....
Como tenho maior abertura e possibilidade no BLOG, tenho também a intenção de levar tudo o que surgir para lá.
Quanto ao site, o Nelsinho apenas nos sugere e abre a possibilidade de usar a "área restrita"...mas assim entendo que não será tão pública! Entretanto, já estou negociando com ele uma mudança de idéia.
Assim, caro amigo Afonso, espero que participe ativamente dessa Távola e, quando encaminhei anteriormente o assunto, foi uma extensa relação de endereços no distribuidor. Sempre que quiser falar sobre isso, e evidentemente sobre qualquer outro assunto que queira melhor difundir, use a referida relação.
Um forte abraço!
Ierárdi
AMIGO iERARDI,BOA NOITE!  O PAPA É INFALÍVEL SIM PARA A IGREJA CATÓLICA. NÃO ACREDITO QUE UMA DISCUSSÃO COMO ESTA, ENVOLVENDO, INCLUSIVE NOSSO AMIGO PAULINHO, QUE ISTO VENHA NOS TRAZER ALEGRIA. DE MINHA PARTE, PENSO QUE ISTO DEVE ENCERRAR POR AQUI. A DILMA JÁ FOI ELEITA E ACREDITO QUE DA PARTE DELA NÃO VIRÁ INICIATIVADE ABORTO OUCOISAS DOGÊNERO. CREIO QUE CESSAR ISTO É A MLHOR FORMA QUE VOCÊS PODEM FAZER. o QUE SERIA INTERESSANTE SERIA ENTÃO DISCORRER SOBRE CELIBATO, SOBRE INOVAÇÕES DA VIDA DAIGREJA.
UM ABRAÇO.
AFONSO.
Afonso, bom dia!
O que se discute aqui não é a infalibilidade do  papa, mas o respeito e obediência aos nossos superiores da Igreja.
Neste caso, o papa exerceu suas atribuições de Pastor Maior, e, tenho toda certeza, inspirado pelo Espírito Santo para manter a idoneidade moral entre nós.
Quando há certa ironia e, às vezes até algum escárnio, para com os procedimentos do papa e de seus bispos, entendo que é a hora de chamar todos à verdade: Se somos católicos de fato, respeitamos e obedecemos....
Parece que essas duas palavras hoje são próprias apenas de submissos e ignorantes.
Mas, na fé católica, aprendi que não é assim....Todos devemos respeito a todos e obediência a quem está no comando....
Esta discussão é um motivo a mais para nos congregarmos em mensagens pelo espaço cibernético, trocando nossas impressões naturais ou mesmo acadêmicas e nos mantendo cada vez mais unidos em nossa fraternidade de antigos seminaristas.
Quanto ao nosso amigo Paulinho, já discutimos esse mesmo assunto em outra ocasião quando, aí em posições inversas ele defendia a publicação de um livro contestador do Bispo Emérito de Nova  Friburgo, Dom Clemente Isnard: "Reflexões de um bispo sobre as instituições eclesiásticas atuais" ("O que o Concílio não fez"). Nessa vez, defendi a posição de Roma na conduta de seu núncio apostólico Dom Lourenzo Baldisseri que não aprovou a edição do livro e o bispo, em desobediência, insitiu e publicou assim mesmo.
Caro amigo Afonso, amigos para sempre vamos trocando nossas idéias no sentido da busca de mostrarmos a todos nosso espírito religioso e ainda mantermos nossa fraternidade perene.
Vamos ter outros temas....e aproveitar a possibilidade deste espaço gratuito cibernético para nos relacionarmos cada vez mais...
(O celibato era uma das idéias defendidas por D.Clemente!)
Um grande abraço!
Ierárdi
Boa noite, meu amigo!
Eu não sou contra a hierarquia. Tenho consciência de que é necessário para o bom funcionamento e crescimento da comunidade cristã. Considero que a hierarquia deve estar sempre atenta para que o poder seja sempre serviço, conforme a proposta de Jesus.
Meu abraço!
João Loch
 
Caros Amigos, Bom dia a todos!!!
A hierarquia é necessária em qualquer situação onde várias pessoas tem o comando, e no caso da igreja é super necessária. Pena que o povo, aquele chamado de "fiel", que nem sempre o é, não parteicipe de nada nas escolhas, tampouco do próprio pároco, onde os fiéis é que deveriam opinar.  No judaísmo funciona assim, e o distinto líder tem que trabalhar de fato, o que nem sempre acontece em nossas paróquias. Padres "engordando" o corpo e o bolso, ostentando uma riqueza que nem sempre a paróquia tem. Pároco fugindo do trabalho, fugindo da ação espiritual que é seu principal objetivo, mas qual o que, sómente delegam e depois perguntam porque nem sempre as coisas estão no caminho correto.
Outro ponto é sobre política, a igreja deve esclarecer, mas jamais fazer campanha. O esclarecimento é muito mais forte que qualquer campanha, seja ela qual for.
Abraços,
Antonio Claudio - foguinho/ 1965.
 Caro amigo Foguinho!
"...a igreja deve esclarecer, mas jamais fazer campanha. O esclarecimento é muito mais forte que qualquer campanha, seja ela qual for."
Esse é o grande objetivo...conscientizar a todos sobre o melhor caminho a ser seguido na prática cristã...
Dos Dez Mandamentos surgiram as demais leis....e eles ainda foram concentrados por Cristo em apenas dois!
Em recente mensagem ao diácono Cunha escrevi: "...a atual formação para os operários da messe parece ainda não ser a ideal...a anterior era mais dura e difícil, porém, a mais indicada!..."
Lamentavelmente deparamos muita coisa errada nos templos católicos nos nossos dias....
Mas precizamos orar muito e continuar nossa luta para o melhor conhecimento e divulgação do Evangelho, da Tradição Católica e , enfim, da melhor doutrina....
O que tenho combatido é a tendência negativista tão normal dos nossos dias que prefere sempre o "contra" em detrimento do "a favor".
Por outro lado, obedecer nunca é desejável, mas talvez seja o caminho, pois Deus, quando indicou o fruto proibido, não impediu de ser colhido, mas mostrou que não era de seu desejo.
Firmes e constantes...todos à Távola!
Um forte abraço!
Ierárdi
(Tampinha II)
IV ERESER – SP
RELATÓRIO
Dia 16 de outubro de 2010 na Chácara RECANTO SÃO SEBASTIÃO em Mairinque, de propriedade do Ex-Seminarista Redentorista Luis Silvério, realizamos o IV Encontro de Ex-Seminaristas Redentoristas (IV ERESER – SP).
Alguns colegas chegaram na sexta-feira, dia 15, procedentes do Vale do Paraíba (Manuel Hildegardo de Almeida (Mané), Paulo de Oliveira e Sebastião Cortez) e pousaram na chácara.
A partir das 9 hs da manhã começaram a chegar os demais participantes.
O dia amanheceu com muito sol, prometendo se estender por toda duração do encontro.
Aos poucos o número de colegas foi aumentando, enquanto os preparativos para o churrasco iam sendo executados.
Às 11 hs iniciamos a celebração da Eucaristia, pois tivemos o privilégio de contar com a presença do Pe. José Geraldo Rodrigues (Majela), turma de 1954, que se prontificou a celebrá-la e abençoar-nos. Paulinho se encarregou de organizar a parte litúrgica.
Durante a celebração foram executados diversos cânticos, brilhantemente acompanhados pelo Tião e seu violão e com a participação das esposas.
Ao final da Missa o “Coral dos Ex” cantou o Salve Regina, o que já é uma tradição em nossos encontros.
Após a cerimônia iniciamos o churrasco acompanhado de brindes e arribas.
Muitas lembranças, risos e alegria foram a tônica nas conversas enquanto alguns passeavam pela chácara e outros se dedicavam a degustar os aperitivos e iniciar o almoço.
Também não faltaram as brincadeiras, a pesca e o futebol das crianças...
As horas foram passando e ao final da tarde, cortamos o tradicional bolo gelado que simboliza a partilha dos doces momentos de nossa confraternização.
Chegou a hora da tradicional “Foto oficial” e o grito de “4º ERESER” coordenado e filmado pelo Tião Cortez.
A partir daí os participantes retornaram para suas casas com o compromisso de voltar no próximo ano.
Participaram neste ano 42 pessoas, entre Ex-Seminaristas e familiares:
Luis Silvério
Padre Geraldo Rodrigues
Adilson Cunha
Alexandre Antônio Cato, Maria Aparecida e Thiago
Antônio Afonso Carvalho
Antônio Cláudio, Vanda e um casal amigo
Antônio de Lima
Antônio Ierardi (Tampinha)
Antônio João Thozzi e Marisa
Ari Antônio Cestarioli
Carlos Felício
Claudio Soares Silveira
Clovis Augusto Manfio
Flavio Paranhos Flygare, Maria Dirce e Rodrigo
Geraldo Aparecido Gonçalves
José Antônio Perdigão
José Luis Ferreira
José Roberto Staliano e Sonia Maria
José Vicente Naves (Vicentão)
Laerte Pasquotto e Maurício
Luiz Torati e Célia
Manuel Hildegardo de Almeida (Mané)
Marcus Vinicius e Jovina Reis
Paulo de Oliveira
Romualdo José Ferreira
Sebastião Cortez
Vitor Bustamante
José Roberto e Sonia (amigos do Pe. Geraldo)
Mauro Alves dos Santos (Tabela) e Nilza
Nossos agradecimentos especiais ao Luis Silvério, seu caseiro Walmir e esposa Sueli
ATÉ O PRÓXIMO: DIA 22 DE OUTUBRO DE 2011!
Lista de Comentarios

Comentario : Relatório de autoria de José Roberto Staliano
Data : 31/10/2010-08:59:52
 
Sobre o dia do professor...

Hoje, 15 de outubro, o dia do PROFESSOR!
De repente, como se diz comumente, caiu a ficha e comecei a recordar os meus tempos de seminário...
Os meus professores....
Começando na Pedrinha, em 1957, o Pe.Brandão, o diretor, nos dava aulas de português.....
PADRE BRANDÃO
O Padre Borges lecionava-me aulas de religião....
PADRE BORGES

O Pe.Fernandes , com o sabor gostoso de Joaquim Bentinho de Cornélio Pires, ensinava-me matemática...
PADRE FERNANDES

E o Pe.Furlani ensinava-me a encarar o trabalho de mangas arregaçadas, com muita persistência.
PADRE FURLANI

Vim para o SRSA de Aparecida....Lá fiquei entre 1958 e 1962...
Encontrei uma senhora equipe de mestres....

 
A começar pelas aulas de latim ministradas pelo falecido Pe.Azevedo...
PADRE AZEVEDO

O português ficava por conta do Pe.José Rodrigues de Souza,hoje o Dom Rodrigues, que "simplesmente" ajudou ao Professor Napoleão Mendes de Almeida a editar a GRAMÁTICA METÓDICA DA LÍNGUA PORTUGUESA, nossa ferramenta de estudos...
(PADRE JOSÉ RODRIGUES DE SOUZA)
 
Já a matemática e geografia eram assumidas pelo Pe.Muniz
PADRE MUNIZ
Pe.Cherubini, também falecido, cuidava das aulas de física e química...
PADRE CHERUBINI
As aulas de história geral estavam por responsabilidade do Pe.Carlos Silva, bom ademarista e especialista em Napoleão Bonaparte.
                                           
PADRE CARLOS SILVA
O Pe.Vitor Hugo até na aparência era o professor da língua francesa
PADRE VITOR HUGO
Pe.Izidro, com base no Yazigi Method me ajudava a aprender a língua inglesa.
PADRE IZIDRO

Ah!As aulas de grego!Era-me mais complicado do que a própria matemática... Mas o Pe.Vieira, hoje falecido, com sua tranquilidade mineira de Jacutinga deixava-me calmo para assimilar as declinações...
PADRE VIEIRA
Pe.Peixoto, o prefeitão (assim eu o via!), com muito discernimento me passava as coisas da botânica...
PADRE PEIXOTO
Mas o meu sentido musical foi trabalhado nas aulas de Música, na participação no coral e na bandinha com o Pe.Delcio Viesse, que era rigoroso mas conseguiu desenvolver em mim a gosto por essa arte...
PADRE DÉLCIO VIESSE
Havia ainda um padre novinho,lamentavelmente partiu muito cedo daqui, chegou dar algumas matérias, como substituto, mas era um atleta bom de bola, o Pe.Zômpero.
PADRE ZÔMPERO
Outro padre novinho, hoje no santuário de Aparecida, o Pe.Magalhães ensinou-me o caminho da religião.
PADRE MAGALHÃES

Por outro lado ganhei a nota 10 de um professor que não dava essa nota para ninguém...Ele disse que minha redação era da Escola Realista, refiro-me ao Pe.Damião, professor de literatura...
PADRE DAMIÃO
Lembro-me ainda do Pe.Nery, que foi para Passo Fundo-RS após meu primeiro ano de Aparecida...
PADRE JOSÉ NERY
O padre Máttie, bastante discreto estava sempre presente em nossos recreios e jogos...
                                                      
PADRE AFONSO MÁTTIE
Lembro também de um de meus diretores, baixinho e sisudo, mas que me fez muito bem, o Pe.Sônego
PADRE SÔNEGO

Foram os meus mestres e orientadores nesses seis anos em que estive no seminário....Nunca vou me esquecer deles, pois ajudaram-me tanto na formação espiritual, como na sólida base que recebi para conquistar tanto sucesso na minha vida profissional e composição de meu futuro lar....
Obrigado, mestres e professores, padres redentoristas!
Antônio Ierárdi Neto
Tampinha II
 
ATA DA APURAÇÃO DO 2º ESCRUTÍNIO PARA A ELEIÇÃO
 
DO SUPERIOR PROVINCIAL - 2010
PROVÍNCIA DE SÃO PAULO
Às 14h00 do dia 16 de setembro de 2010, na Casa Provincial, situada à Rua Honório Líbero, 90 – Jardim Paulistano – São Paulo SP, sob a presidência e orações iniciais do Superior Provincial,  Pe. Luís Rodrigues Batista e leitura dos Estatutos Provinciais relativos às Eleições, realizou-se a apuração do SEGUNDO ESCRUTÍNIO para a Eleição do Superior Provincial para o quatriênio 2011 - 2014.
Estavam presentes: do Governo Provincial = Pe. Luís Rodrigues Batista, Pe. Elias Guimarães e Pe. Luiz Gonzaga Scudeler. Presentes os estafetas das Comunidades = Pe. Bertanha (Jardim Paulistano), Fr. Luís Queimado (Alfonsianum),  Pe. Pereira (Diadema), Pe. Cláudio Anselmo (Sapopemba), Pe. Pelaquin (Santuário), Ir. Antônio (Araraquara), Pe. Vicente André (Tietê). Várias Comunidades enviaram seus votos pelo correio ou os entregaram antes. Ainda presentes = Pe. Geraldo de Paula, Pe. Luciano, Fr. Denis, Fr. Edicarlos e Ir. Machado.
Após a conferência e contagem dos votos, deu-se início à apuração. Votaram = 152 confrades.
Apurados os votos, foi obtido o seguinte resultado:
            Pe. Luís Rodrigues: 99 – Pe. Darci: 45 – Pe. Catalfo: 02, Pe. Vinícius: 01.
            Em branco: 03 votos – nulo: 02 votos. Os votos válidos foram: 147.
COMO ERAM NECESSÁRIOS DOIS TERÇOS DOS VOTOS VÁLIDOS (98), O PE. LUÍS RODRIGUES BATISTA FOI ELEITO SUPERIOR PROVINCIAL DA PROVÍNCIA DE SÃO PAULO
Estamos aguardando a confirmação do Governo  Geral.
Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a sessão da qual foi lavrada a presente ata, que vai por mim assinada e pelos presentes.
São Paulo, 16 de setembro de 2010
____________________                              __________________________
Pe. José Bertanha, C.Ss.R.                            Pe. Luís Rodrigues Batista, C.Ss.R.
                Secretário Provincial                                     Superior Provincial
Criado por: José Roberto Staliano
E-Mail: jrstal@hotmail.com
 
 
NOVENA DE NOSSA SENHORA 
Às vezes, fico conjecturando se vale a pena continuar escrevendo minhas reminiscências, já dizia o ditado latino "Verba volant, Scripta manent". A gente pode falar um monte de bobagens, as palavras voam. Mas, escrever exige um cuidado especial, pois a escrita permanece. Não posso, no entanto, deixar de expressar meu descontentamento pela pouca divulgação que se dá à nossa participação na Novena de Nossa Senhora. Entre os eventos divulgados com antecedência e até com insistência pelos nossos sites e blogs, não se dá a devida importância a essa homenagem que se presta àquela da qual nos dizíamos escolhidos. Essa convocação se faz às vésperas do evento, não se empenhando na motivação que nos levaria a participar de um testemunho de nossa devoção, expressando em grupo a importância da existência da Uneser. Chega o dia, a Basílica nos reserva um lugar especial, o microfone anuncia a nossa presença, procura-se os ex-seminaristas e ali estão poucos representantes de um movimento que se diz de abrangência nacional. É vinculado a esse assunto que passo a narrar um fato importante acontecido em minha vida, antes da entrada para o seminário
 A PEDRA FUNDAMENTAL
          Estávamos no mês de setembro de 1946, eu tinha 8 anos e há dez meses atuava como coroinha da Basílica Nacional. Decorara o latinório, ajudava missas, rezas, procissões, enterros e todas e quaisquer cerimônias que exigissem a presença do padre e junto dele o coroinha. Trabalhavam na Basílica três padres novos dos quais me lembro muito bem:- Roriz, Amaral e França, todos os três encarregados de nos cobrar as escalas de serviços, nunca remunerados.  O vigário era o Pe Antonio Andrade e por lá apareciam sempre o Pe Pires, provincial na época, Pe Macedo, Pe Pelágio, Pe Paulo, Pe Pedro, Miné, Siqueira e outros mais.
            Naquele mês de setembro, já transcorridas a novena e a festa de Nossa Senhora, precisamente em 10/09/1946, sábado, estava marcada para a tarde a cerimônia do lançamento da Pedra Fundamental da Nova Basílica. Porque isto não acontecera no dia oito, festa de Nossa Senhora? É que o Cardeal Cerejeira, patriarca de Lisboa, que fora designado como representante do Papa para a cerimônia, não podia estar presente naquela data e somente por esse motivo o evento foi adiado. Compareceram, igualmente, os cardeais Dom Carmelo, Dom Jaime Câmara, bispos em profusão, governador do estado, representante do presidente da república.  inúmeras autoridades civis e eclesiásticas, guarda civil de São Paulo, banda da força pública, etc., etc., etc. Naquele dia, Pe Roriz me incumbiu de fazer parte do séquito do cardeal  Cerejeira.
                           Aonde ia Sua Eminência, ali estava o coroinha, sempre pronto a carregar algum paramento ou pertence. Seguimos em procissão para o Morro das Pitas, os padres, seminaristas, coroinhas, a banda militar e o povão fomos todos em procissão. As autoridades maiores, bispos e cardeais seguiram em seus carrões ladeira abaixo e morro acima. A banda tocava, entoávamos hinos e carregávamos o andor de Nossa Senhora, naquela época, a imagem verdadeira  acompanhava as procissões mais importantes.          
 Feitos os discursos, cantadas músicas religiosas, entoado o hino nacional e, logicamente, o “Virgem Mãe Aparecida”, enterrou-se a pedra e batemos em retirada, agora morro abaixo e ladeira acima. Acontece que, naquela época, não se rezava missa às tardes, nem de sábado, domingo ou qualquer outro dia. Então, a cerimônia da Primeira Missa ficou para domingo, dia 11/09/46. Padre Roriz nos convocou e deu a cada um uma tarefa, a minha foi de carregar uma almofada para servir ao celebrante, Cardeal Mota. Toda vez que ele se ajoelhasse, ali estava eu com a almofada. Em razão disso, postei-me à direita do altar, bem próximo do cardeal.                  
 O  CURIOSO DISSO TUDO É QUE A POSIÇAO EM QUE FIQUEI, EM RELAÇAO AO ALTAR, COINCIDE COM O LUGAR QUE HOJE   É DESTINADO AOS EX- SEMINARISTAS NA CERIMÔNIA DA NOVENA. Eis aí a razão porque eu curto a novena e torço para que nossa presença se perpetue e seja prestigiada, se não pelos ex-seminaristas de longe, pelo menos por aqueles que residem em Aparecida e adjacências.
As fotografias anexas, se aumentadas, mostram-me ao lado do Cardeal Cerejeira à porta da Basílica Velha, na outra, eu apareço segurando a almofada junto ao cardeal Mota, e na terceira, estou com a turma de coroinhas perto do Pe Pires, que lia o texto da ata de lançamento da pedra, que seria juntada aos demais documentos depositados na urna.   
Minha irmã Margarida presenteou-me com um álbum onde  colecionou as fotografias e recortes de jornais relativos ao acontecimento. Na dedicatória, ela escreveu: - "Dumas, desde a infância, tivemos momentos de Maria, presenciamos, ouvimos e sentimos em nossos corações preces e hinos de súplicas e louvores, glórias e vivas. Fatos como  registrado nestas páginas marcaram as nossas vidas e Nossa Senhora permitiu que a sua presença fosse registrada e fizesse parte da história de seu Santuário."
  PS - Levei este álbum a um de nossos eventos e mostrei-o a um grupo mais próximo, entre eles jovem padre, ironicamente me perguntou se eu era da turma do Pe. Vitor Coelho. Quisera, mas entre tantas graças recebidas,  Deus não me presenteou com mais essa, pois, além de ter vivido bem perto de Nossa Senhora, teria também convivido com um Santo...
COMPAREÇAM À  NOVENA
Vamos ocupar todos os lugares a nós reservados, vale a pena!!! Ao vivo e juntos, façamos nossas vozes ecoarem!!!
SALVE REGINA !
 
Criado por: alexandre dumas pasin de menezes
E-Mail: alexandredpasin@ig.com.br
 
 
PADRE LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA CSsR
Nosso BLOG hoje tem uma oportunidade feliz....
Feliz por poder parabenizar um de seu grandes colaboradores em sua missão redentorista!
Hoje ele aniversaria. Segundo o Staliano em sua postagem diária, completa 63 anos de idade...
Muita evangelização na vida desse autor do nosso REFLETINDO A PALAVRA E HOMILIAS DE TODOS OS DOMINGOS.
Em sua vida totalmente religiosa, tem sempre escrito os artigos das coisas do Alto e, em 2001, a pedido especial do Jornal Comarca de Garça, começou a encaminhá-los ao prelo...
Até este momento já alcançou mais de 957 publicações por aqui, fora outros 560 artigos que deixou na Rádio Vaticano. Pela internet, usa rede extensa, inclusive a de nosso blog, e ainda :
(http://psicologiaacupuntura.spaces.live.com/ ) João Loch
Um Padre da Bahia
Site da Família
Ceresp
Ir.Manoel(Redentorista)
Editora Santuário
Redemptor.
Santuário Nacional
Radio TV
Jornal Comarca
http://uneserinterativa.blogspot.com/
No site do Santuário Nacional de Aparecida chegou a 40.000 acessos/mês...
“A leviandade é não se importar com o profundo da vida espiritual”
Escrevia ele logo na primeira homilia....E ele tem levado isso a sério....
“Em nossa vida podemos passar dificuldades. A resposta cristã é dar valor a si mesmo, colocando-se na segurança da fé, na alegria da solidariedade e na prontidão de sempre abrir ao Senhor, assim que ele dá o sinal de sua presença.”
Foi a mensagem da segunda homilia....Ele conhece muito bem o caminho!
Assim quero agora muito agradecer às mensagens de caminho e verdade da vida do Padre Luiz Carlos e desejar-lhe além de muita saúde e paz, a perseverança nesse santo objetivo.
Parabéns, pois, Padre Luiz Carlos e muito obrigado!
“Deus chama os religiosos para amar os que Jesus amava” Pe.Luiz Carlos CSsR.
Nome : ANTONIO IERARDI NETO
E-mail : ierardisp@ig.com.br

Lista de Comentarios

Comentario : Do aniversariante: Agradeço a generosa manifestação de apreço. Deus os abençoe e leve adiante a obra muito meritória de recuperar em todos os que foram seminaristas as maravilhas que Deus operou no coração de cada um. Creio que Santo Afonso deve dar uns suspiros de alívio ao ver que todo empenho foi muito bem aproveitado. Um abraço agradecido Pe.LuizCarlos
Data : 22/08/2010-06:55:50
 
REMEMORANDO REDENTORISTAS - CARLOS BARBOSA DE CARVALHO, o CARIOCA
HOMENAGEM PÓSTUMA
CARLOS BARBOSA DE CARVALHO(+12/08/2010), o Barbosa, o Carioca...
Pela NOTÍCIA ESPECIAL - PEDIDO DE ORAÇÕES, no site daUNESER, soubemos no dia 10 de agosto passado que nosso colega estava mal de saúde conforme nos dava conhecimento o Edélcio.
VIVENCIAS DE PERTO @ DE LONGE, de 11 de agosto, do Pe.Geraldo Rodrigues, conforme publicação no BLOG,http://uneserinterativa.blogspot.com/,nesse mesmo dia, trouxe o seguinte testemunho:
"Estando eu ao lado da cama do ex-padre Carlos Barbosa de Carvalho, que serenamente enfrenta os últimos momentos, tentei aliviá-lo falando do padre Nodari a ele, que também gosta de música. E falei da história do absoluto! Meu filho escutou também, procurou os parentes dele na internet e recontou a história. Assim termina o relato do meu filho Paulo à irmã do Nodari: "...eles comentaram que o Nodari ponderava seu dom musical para que isso não subisse à sua cabeça e para que ele pudesse servir aos homens!" Nesse momento, me vi rodeado de grandes homens: o Nodari, o Carlos Barbosa, o meu filho Paulo. O trigo! Abraços. Carlos Felício da Silveira, São Paulo (SP"
No dia 16 de agosto, o mesmo VIVENCIAS DE PERTO @ DE LONGE, que foi publicado no nosso BLOG na data, informou:
Nota de falecimento - Por estes dias noticiamos que Carlos Barbosa de Carvalho, ex-missionário redentorista, estava nas últimas. Recebemos a notícia de seu falecimento no dia 12 de agosto/10. Relata-nos Carlos Felício da Silveira que, uma hora antes de perder totalmente a consciência, sua esposa disse-lhe: "Você está bem, não é?". Ele respondeu, já um tanto enrolado: "Graças a Deus, graças a Deus!" Foram uma de suas últimas palavras. Treze horas depois, ele se apresentou ao Pai e pessoalmente cantou seu 'Deo gratias'. Foi sepultado em sua cidade natal, Volta Redonda (RJ).
Assim tivemos conhecimento da passagem do Carioca para a vida eterna!
Do Padre Maurício Brandolize CSsR, do informativo O RAPIDINHO, Goiânia-GO, recebemos o seguinte e-mail:
Recebi hoje também a notícia do falecimento do Carlos Barbosa (carioca)... ele trabalhou aqui em Goiás na década de 70... eu ainda não tinha chegado por aqui... A lembrança forte dele: cantor, maestro, bom de futebol!!
abraços,
mbrandolize
E hoje, que coisa bonita, recebemos outra mensagem do Padre Maurício Brandolize, trazendo-nos a linda voz do Carioca(a voz masculina) em uma das mais belas canções de Santo Afonso à Nossa Senhora:DULCISSIMA ESPERANÇA
Ouçam todos a voz (adulto masculina) do Carioca e vejam as belas imagens de Maria:
Antônio Ierárdi Neto
(Tampinha)
Se os cristãos, apesar das suas divisões, souberem unir-se cada vez mais em oração comum ao redor de Cristo, crescerá a sua consciência de como é reduzido o que os divide em comparação com aquilo que os une.PAPA JOÃO PAULO II
http://ierardibr.blogspot.com/
http://uneserinterativa.blogspot.com/
Lista de Comentarios

Nome : alexandre dumas pasin de menezes
E-mail : alexandredpasin@ig.com.br
Comentario : Repito aqui o comentário mandado para seu e-mail: Ouvi, gostei, me emocionei. Que o Carioca descance em paz. Lá encima, com certeza, encontrará o autor da música, "Santo Afonso", com quem fará dueto e cantará diretamente junto à Homenageada, que transformará a Esperança em Doce Realidade.
Data : 17/08/2010-17:23:43

Comentario : ...E ELE JÁ ESTÁ MAIS JUNTO DE DEUS.... Três comentários que recebemos: Do PADRE LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA CSsR: Que bom que teve o apoio redentorista na hora de sua passagem para o Pai. Eu gostava dele. Encontrei-o há uns bons anos atrás, no Jd. Paulistano. Era o mesmo de sempre; Vibrante! Sua voz encantava. O Pe. Brandolize foi um herói de ter esta música Dulcíssima com a voz dele. Tem a cara dele. Sempre guardei uma boa memória do tempo em que estivemos juntos na formação. Ele é 4 anos acima do meu. A pastoral dos ex é também dar suporte humano e espiritual aos que partem. Bonito. Obrigado Pe.LuizCarlos Da SUA FILHA CARLA BRAGA DE CARVALHO: Olá, sou filha do Carlos e estava procurando na internet registros antigos da trajetória de meu pai. Fiquei muito contente de achar esta homenagem a ele e muito emocionada de poder ouvir sua voz, mais uma vez. Muito obrigada pela homenagem e pelas orações. Carla 
Data : 18/08/2010-08:47:17

Comentario : COMENTÁRIO EMOCIONANTE E AGRADECIDO DA SUA ESPOSA: Olá , Sou Léia esposa do Carlos, e queria agradecer a todos , as manifestações de solidariedade, carinho, e lembranças que temos recebido neste momento tão especial de nossas vidas. Na vida dele, porque fez do seu período de fragilidade humana um período de preparação para sua passagem , para o que acreditamos ser,uma vida de esplendor, sem no entanto deixar de lutar pela vida com com muita aceitação, resignação e alegria, sempre achando forças para amenizar a dor de quem estava no mesmo caminho . Na nossa vida, minha e de minha filha, pelo exemplo de força, fé,bondade e paz interior, de quem parte, deixando rastros de ter vivido com muito amor e muita humildade. Agradeço à "família" Redentorista pela belíssima celebração, o carinho dos amigos "ex",e de todos que puderam desfrutar um pouquinho do convívio de tão grande pessoa, afinal, todos voces contribuíram um pouco para isso. Muita paz para todos. Obrigada. Léia 
Data : 20/08/2010-13:37:44
----------------------------------------------------------

Comentario : Dois comentários sobre o Carioca! De um colega do tempo, Antônio Bicarato: Longe do computador desde o início de julho por ter passado por uma cirurgia de descolamento da retina que, entre muitas outras coisas, me impediu de ler esse tempo todo, abri hoje meu e-mail e deparei com a notícia do falecimento do Carlos Barbosa, o Carioca. Pela bondade e misericórdia o Pai, com toda certeza a estas alturas jé é mais um que está entre Afonso, Geraldo, Clemente e inúmeros outros que Deus já chamou para a VIDA. Aguardo ansiosamente que seja restabelecido o som no meu computador para ouvir, na sua voz e interpretação, o Dulcíssima esperança. Até porque não conhecia esse dom do colega. Já imaginou, ter uma bela voz, como vocês disseram que ele tinha, e estar LÁ, agora, frente a frente com ELA, a Mãe, engrossando o coro dos redentoristas e cantando aquela que considero uma melodia que Afonso "roubou" do céu! Obrigado, mais uma vez, por suas oportunas notícias. Grande abraço. Bicarato. Do professor de português, Padre Clóvis de Jesus Bovo CSsR: - Devido à falta de tempo, pois sou vigário paroquial na paróquia mais movimentada de Goiania, quase nao tenho tempo de ver seus sites e blogs, aliás muito ricos em informações redetoristas. Soube por eles, da morte do Barbosa, meu aluno de Português no Seminário Santo Afonso, por volta de 1956. Ainda tenho na imaginação seu jeitinho de aluno esforçado. Só a caligrafia dele, enquanto me lembro, não era das melhores. Rezemos pelo seu descanso eterno. Abraço bem redentorista - Pe. Clóvis CSsR 
Data : 24/08/2010-07:43:48
----------------------------------------------------------

 
ENESER XV
Ainda não sabemos exatamente quantos participaram. Até o início havia cerca de 60 inscritos. Nos dias do evento, porém, foram vistos diversos colegas das redondezas...De mais longe, havia gente  de Rondônia, Goiás, Paraná, Minas - BH, Coronel Fabriciano, Uberlândia; do sul de Minas, como era de se esperar.
 
Surpresa: 1) vários que vieram pela primeira vez, como também alguns que já haviam participado uma ou duas vezes, mas há tempos!
2) muitos jovens,  adolescentes e crianças. Vários entraram em procissão levando a imagem de Nossa Sra. Aparecida, ao final da missa de domingo.
 
Idade: alguns/algumas na casa dos 80 e muitos/as entre 35 a 50! 
 
Novidade: 1) em vez de palestra, a mensagem do encontro - Como ser cristão no século XXI - foi construída a partir de conversa em grupo - nove ao todo - e realização de plenário.  O conteúdo, as proposições foram consideradas muito ricas! 
2) queima de fogos colorindo a noite de sábado, dia 31, celebrando os 15 anos da UNESER e os seus encontros sem interrupção.
 
Interessante: presença de cinco colegas - diáconos permanentes, sendo que 3 foram ordenados recentemente; um padre diocesano.
 
Acontecimentos: na missa de domingo, o batizado de dois bebês - gêmeos - netos de um ex dos anos 60. 1ª comunhão de um jovem, da mão de seu avô, um dos diáconos presentes. 
Noite de sábado, sarau, música (anos 60, 70): destaque para as mulheres (mães e até avós...) e jovens dançando. Muita alegria e descontração. Com a presença do Pe.José de Anchieta: autor do hino oficial da Uneser
 (FOTO: Pe. ANCHIETA E WILLIAN)                                                                                                      
 
Domingo, coincidentemente dia de Sto. Afonso - 1º de agosto - nosso fundador foi lembrado e comemorado!
 
Agradecimento: Bom acolhimento por parte da comunidade, sob a liderança, do Pe. Sebastião Marques, com os seminaristas, funcionários, em especial, os da cozinha. Grande 'Deus lhes pague!'
(Texto Paulo de Oliveira)

Dois personagens que nos acompanham e nos fazem bem....

UNESER - UNIÃO DOS EX-SEMINARISTAS REDENTORISTAS
Nestes dias estamos nos preparando para a viagem a Aparecida para nosso regular encontro de todos os anos neste mês de julho, o XV ENESER.
Assim, já estamos pensando no transporte, na bagagem para 2 ou 3 dias, na visita que iremos fazer às Basílicas, velha e nova, ao Memorial Redentorista indicado diariamente pelos nossos "Rememorandos", ao Colegião de tantas lembranças, alguns que ainda vão à Pedrinha, pré-seminário e também esticam um pouquinho para a Fazenda Esperança do Frei Hans...
Mas comecei dizendo duas coisas: Parabéns e Personagens...
Por este último, considero uma dos personagens que nos beneficiam, a UNESER, que nos tem possibilitado constante convivência, no transcorrer de tantos anos, abrindo-nos, pelo trabalho dos seus diretores, as portas dos seminários onde um dia estivemos internos e ali vivemos felizes momentos que, em nossa memória indeléveis, fazem parte de nossas vidas. Ainda a alegria de revermos, após tantos anos e hoje a maior parte em respeitosas cãs, os colegas daqueles tempos e aqueles que se tornaram os companheiros de agora...
Mas e os parabéns?
Sim estes, neste dia 28 de Julho são dirigidos, em conjunto com nossas intenções nas orações ao MANUEL HILDEGARDO DE ALMEIDA (o Mané) que, desde 1º de setembro de 1994, como um dos fundadores da nossa entidade UNESER e seu Presidente atuante, que, tal como em todos esses anos desde a criação dessa sociedade, vem se desdobrando na preparação e realização de mais um evento que nos deixa sempre radiantes.
São os dois personagens que nos acompanham...UNESER e MANÉ...
E os parabéns hoje têm um sentido muito amplo, porque se no decorrer de todos os anos reconhecemos o desempenho eficiente da atividade do Mané, lembramos ainda que é o dia que comemora mais um ciclo de sua vida, é o dia de seu aniversário....
Portanto, no dia 28 de Julho, MANÉ e UNESER estão em festa!
OBRIGADO MANÉ E UNESER!
MANÉ, PARABÉNS E CONTINUE FIRME!
Antônio Ierárdi Neto
(Tampinha)
O BLOG DA UNESER
Em 10 de fevereiro de 2009, conforme entendimento entre o Mané e Staliano, foi criado o BLOG da UNESER:
http://uneserinterativa.blogspot.com/
A intenção e missão desse BLOG é de trazer a todos os envolvidos, companheiros de seminário e redentoristas, fatos e lembranças dos tempos de convivência na casa de Santo Afonso, momentos da vida atual dos colegas de hoje, artigos sobre a participação católica, como vida dos santos, ascética, notícias da Santa Sé e CNBB, a atuação missionária da congregação redentorista e as notificações das datas comemorativas de aniversário, tempo de vida consagrada, ordenações e também rememorando aqueles que já partiram, após vida exemplar conosco...
BLOG é periódico diário, com média de 10 artigos por dia, e traz artigos de colaboradores de forma direta ou por transcrição de outros sites ou blogs.
Segue padrão coerente, considerando a possibilidade de participação direta de todos os interessados ou pelos comentários no rodapé dos artigos ou mesmo pelo envio de e-mail’s para o endereço: uneserblog@gmail.com .
Os artigos recebidos são publicados na mesma data de sua remessa e os articulistas são também, no ato, informados pelo seu endereço de e-mail.
Hoje sabemos, com mais de 36.000 acessos e 3.650 postagens, que este veículo de comunicação pela web conta com leitores assíduos que já o configuraram em sua rotina de informações religiosas e redentoristas.
É justamente para essas pessoas interessadas que dirigimos o nosso trabalho e garantimos todo nosso empenho na continuidade e perseverança evangélica.
Portanto, no momento em que dedicamos nosso tempo para saber das matérias que envolvem o espírito e o corpo pelo computador pessoal (PC), com certeza encontramos no link acima mencionado, considerável repertório envolvendo assuntos do mais alto nível.
E encerramos dizendo aos colegas da UNESER, afiliados e diretoria, e a todos os membros da Congregação Redentorista, daqui e do exterior, que continuamos sempre à total disposição para o serviço de todos, por conta da PROVIDÊNCIA...
Com Santo Afonso, Salve Maria!
ANTÔNIO IERÁRDI NETO
Tampinha II
 
PADRE JOSÉ OSCAR BRANDÃO CSsR
Neste dia 23 de julho quero lembrar alguém muito importante na minha vida, que norteou os caminhos da juventude e mostrando-me, com muito discernimento, atenção e desvelo, para onde melhor seguir...
Foi meu diretor por mais de 3 anos e até os dias de hoje tem me dado a atenção de pai dileto...
Precisamente há 60 anos atrás, se fosse casado estaria fazendo suas bodas de diamante, ele, prostrado no solo sagrado do presbitério, fez seus votos definitivos de POBREZA, CASTIDADE E OBEDIÊNCIA e tornou-se sacerdote em 1950.
Não muito tempo depois, 7 anos, lá estava ele nos esperando de braços abertos na bucólica casa da Pedrinha e, em meio a tantas dificuldades, que apenas conheci há muito pouco tempo, ele comandou discretamente a equipe de formadores e os alunos, que me ocorre eram mais de 60.
Sou hoje imensamente grato ao Padre Brandão e , não só neste dia, mas ad aeternum, pretendo que tenha a proteção divina e continue sempre perseverante, pelo voto que há 270 anos Santo Afonso conferia a seus confrades do tempo e futuros...
Portanto, caros colegas e especialmente aqueles que conviveram na época em que o Padre Brandão nos dirigia, estamos todos jubilosos e fervorosos pedimos muita saúde, felicidade e tranqüilidade ao jubilar deste dia.
PARABÉNS E OBRIGADO POR TUDO, PADRE BRANDÃO CSsR!
Antônio Ierárdi Neto
(Tampinha II)
 
Lista de Comentarios

Nome : Joao de Deus Rezende Costa
E-mail : joao-de-deus-costa@hotmail.com
Comentario : Eu também fui aluno do Padre Brandão e estou sempre me lembrando de suas inesquecíveis aulas de latim. Ainda guardo os cadernos, com correções feitas por ele, e o atestado de conclusão do ano letivo, com assinatura dele. Ainda sei repetir, com absoluta precisão, os inúmeros provérbios e versos latinos, que ele gostava tanto de nos repassar. Dele e da grande maioria dos meus professores de seminário eu só consigo ter boas e gratíssimas lembranças. Verdadeiros educadores, inseridos na pedagogia de Santo Afonso. Quem ama educa, diz aquele famoso escritor, na capa do livro, que até hoje insiste em manter ali uma vírgula que não deveria existir. Aliás, a frase da capa nada tem de original, pois a Santa Bíblia já ensinou esta mesma verdade e já praticou esta mesma pedagogia milênios atrás. Não é mesmo? 
Data : 12/08/2011-18:57:37

 

Redação Santuário Nacional
quarta-feira, 21 de julho de 2010
A celebração das 9h no Santuário Nacional lembrou o 23º aniversário de morte de padre Vítor Coelho de Almeida.
Durante o ofertório, orquídeas foram levadas ao Altar para serem colocadas junto ao quadro do Missionário Redentorista, padre Vítor.
Segundo o padre Júlio Brustoloni, responsável pela causa de padre Vítor Coelho, o sacerdote apreciava muitos as orquídeas, mantendo em vida, um belo jardim aberto à visitação no Memorial Redentorista.
A Imagem de Nossa Senhora Aparecida foi levada ao Altar por um casal que alcançou graças através da intercessão do padre Vítor Coelho de Almeida.
Padre Mauro Matiazzi quem presidiu a celebração, mencionou durante a homilia, a vida missionária do padre Vítor.
Após a celebração os devotos foram convidados a participar da procissão até o Memorial Redentorista, em memória aos 23 anos do falecimento do padre Vítor Coelho.
História - Padre Vítor Coelho nasceu na cidade de Sacramento (MG), em 22 de setembro de 1899, onde também foi batizado.
Seus pais eram: Leão Coelho de Almeida e Maria Sebastiana Alves Moreira.
Após os estudos, recebeu o hábito redentorista a primeiro de agosto de 1917 e fez os votos religiosos na Congregação dos Missionários Redentoristas, após o ano de Noviciado, a 2 de agosto de 1918, na cidade de Perdões (SP).
Iniciou os estudos superiores em Aparecida, continuando-os na Alemanha, para onde viajou em 1920. Foi ordenado padre em Gars am Inn, a 5 de agosto de 1923, voltando para o Brasil em setembro de 1924.
Padre Vítor trabalhou com muito zelo nas Santas Missões, na Rádio Aparecida e no Santuário de Aparecida. Foi bom catequista, dedicando-se com amor às crianças.
Não queria que elas sofressem o que ele sofreu por falta de formação religiosa.
Fonte: http://www.a12.com/santuario/
ENESER XIV.....O EPÍLOGO FELIZ....
DOMINGO, 19 DE JULHO DE 2009
SANTO AFONSO
Ele nos vê chegar e acompanha nossa despedida....Ali está...sempre esteve.....
De repente, no interior da capela de sua casa, surge o brado promissor:
AGORA VAI....
Ele nos lembra o ideal dos nossos tempos de seminário:
Ser: PADRE - MISSIONÁRIO - REDENTORISTA - SANTO
Considerando o outro caminho de nossas vidas, ele muda apenas uma palavra:
Ser: LEIGO - MISSIONÁRIO - REDENTORISTA - SANTO
Obrigado, Santo Afonso, por iluminar nosso caminho!
O encontro termina de forma muito feliz....Já há pessoas imaginando o ENESER XV que será na última semana do mês de julho em 2.010....
É a necessidade de reunião desta família redentorista....
A diretoria esforça-se....corre....solta rojões....e mostra o sorriso do pleno sucesso....Sigam em frente, amigos.....Não podemos prescindir destes encontros....não podemos prescindir desta casa....
É o epílogo feliz deste XIV ENESER que já abre espaço para o XV ENESER....
E assim será sempre....
No encerramento....como ainda não tenho a foto oficial, contento-me com...
...a foto do fotógrafo.....
ANTÔNIO IERÁRDI NETO

EIA TODOS A CAMINHO!

Uma vez mais está chegando o novo encontro dos antigos alunos do seminário redentorista de Santo Afonso, o SRSA!
Como acontece em todos os momentos que antecedem nosso encontro na Pedrinha, nosso encontro em Aparecida, o ENESER e nosso encontro em Mairinque, o ERESER, surge aquela ansiedade que nos lembra ainda mais os momentos que vivemos naquela casa e a vontade de nos, uma vez mais, estarmos juntos com nossos colegas de sempre e nossas famílias. Então vivemos o Salmo 133(132): VEDE COMO É BOM, COMO É AGRADÁVEL HABITAR TODOS JUNTOS, COMO IRMÃOS!
Recebi ontem um CD singelo contendo o Hino a UNESER, o hino oficial dos antigos seminaristas, com a letra e música compostos pelo redentorista, Padre José de Anchieta Tavares:
UMA VEZ REDENTORISTAS,
SEMPRE REDENTORISTAS
DEUS NOS DEU A VOCAÇÃO
DA FAMÍLIA UMA MISSÃO
COM JEITO REDENTORISTA(BIS)
 
Deus nos fez outro chamado
Continuou nosso aliado,
Nos propôs outra missão
Nos escolheu com carinho
Nos mostrou outro caminho
Mas na mesma direção
 
No passar de tantos anos
Deus mudou os nossos planos,
Mas manteve a nossa fé
Daquele sim que dissemos
Nunca mais nos esquecemos
É assim que Ele quer
 
Com Jesus e com Maria
Sendo nossa companhia,
Nós sabemos caminhar
O amor que nos conduz.
Sendo força, vida e luz
Nos ajuda a continuar
 
UMA VEZ REDENTORISTAS,
SEMPRE REDENTORISTAS
DEUS NOS DEU A VOCAÇÃO
DA FAMÍLIA UMA MISSÃO
COM JEITO REDENTORISTA
COM JEITO REDENTORISTA
PRÁ SEMPRE REDENTORISTAS
 
No franco sentido da colaboração entre as pessoas, a direção da Uneser, os redentoristas, enfim, todos aqueles que participam desta mesa, o bloghttp://unserinterativa.blogspot.com está colocando em evidência esse canto honesto e um pequeno vídeo com as lembranças de lindos momentos!
Se quiserem ver diretamente, acessem o YouTube pelo link a seguir:
http://www.youtube.com/watch?v=fyFKudf3-08
Antônio Ierárdi Neto
Se os cristãos, apesar das suas divisões, souberem unir-se cada vez mais em oração comum ao redor de Cristo, crescerá a sua consciência de como é reduzido o que os divide em comparação com aquilo que os une.PAPA JOÃO PAULO II
http://ierardibr.blogspot.com/
http://uneserinterativa.blogspot.com/
 
 
FELIZ COINCIDÊNCIA...
Ontem recebi pelo correio o número 271 da CARTINHA do SRSA.
Na capa, 15 jovens, no mesmo local onde costumamos fazer nossas fotos, desde os mais remotos tempos, desde a construção desse prédio branco, com a capela ao centro e a imagem do estimado Santo Afonso, o patrono.
As publicações referem-se ao período de Fevereiro a Abril de 2010 e são consideradas sempre atuais, principalmente quando atingem nossa memória.
O Padre Reinaldo CSsR, formador SRSA, faz um editorial lembrando Santo Afonso e São João Crisóstomo, mas inclui com certeza a força que vamos receber pela intercessão de María Santíssima.
O seminarista do 2ºE.M., Clécio Germano-SP, escreve sobre São Clemente Maria Hoffbauer e, na mesma página, Márcio José-MG discorre sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2010.
Artigos outros vão se sucedendo e fica na última pagina o pedido muito importante:
JOVEM, SE VOCÊ SENTE O CHAMADO DE DEUS E DESEJA RESPONDER A ESTE CHAMADO, VENHA CONTINUAR O TRABALHO DE SANTO AFONSO, LEVANDO A COPIOSA REDENÇÃO A TODOS OS NECESSITADOS!
SEJA UM MISSIONÁRIO REDENTORISTA!
Escreva para:
Secretariado Vocacional Redentorista
Caixa Postal 51
Rua Pe.Claro Monteiro, nº152
12570-970 – Aparecida – SP
Ligue para:
(0xx12) 3105-2245
A feliz coincidência é que hoje estamos nos preparando para nos encontrar no final deste mês sob o teto abençoado do seminário de Santo Afonso, onde vivemos um dia e aprendemos, como esses 15 jovens, o verdadeiro sentido do CAMINHO, VERDADE E VIDA, indicado no evangelho por Cristo.
Assim, CARTINHA e ENESER(XV) coincidem em nossas vidas , quando aqueles jovens vivem hoje sua vocação sacerdotal e nós, antigos seminaristas, seguimos o caminho com nossas famílias... 
UMA VEZ REDENTORISTAS, SEMPRE REDENTORISTAS!
 Antônio Ierárdi Neto (1957)
(Tampinha II)
SEMINÁRIO, UNESER E STALIANO
Um dia quis Deus que eu conhecesse um caminho muito importante na juventude e para a vida.
Doze anos completos, segui para Aparecida, em São Paulo, aquela mesmo que as pessoas dizem “ do Norte” e daí para uma vila da cidade de Guaratinguetá de nome singelo, Pedrinha.
Ali e então iniciei os estudos da fase ginasial, com mestres de primeira grandeza, os padres redentoristas...
Por cinco anos seguintes, passei pelo prédio do Seminário de Santo Afonso, agora em Aparecida, aquele mesmo prédio tão bonito, onde hoje nos reunimos pelo menos uma vez ao ano, que tem a arquitetura, vista do alto de “E” e “M”, definição adrede para os ESCOLHIDOS DE MARIA.
Em um desses encontros, tenho como certo o primeiro que fiz com o grupo da UNESER, conheci uma pessoa que participou das mesmas emoções que tive, em um período posterior.
A princípio, com essa pessoa, relembrei os mestres que foram quase os mesmos, a disciplina que sempre tinha se mantido e outros fatos, como passeios e até o trabalho pesado na busca de madeira para o novo santuário que estava surgindo e ainda das pedras, colhidas no ribeirão, para os complementos da construção do bucólico prédio da Pedrinha, ainda lembrando-me do possante caminhão basculante e branco do “seu” Geraldo que conduzia pedras, areia e a nós próprios.
Passei a ter um contato mais constante com essa pessoa e dia a dia fui percebendo que tínhamos grande afinidade nas coisas redentoristas....
Assim, em 2009, mês de fevereiro, dia 10, ele teve a feliz idéia de organizar um meio prático para as comunicações entre os antigos seminaristas do Santo Afonso e de outros seminários, sacerdotes, irmãos, diáconos e leigos...
O modo salutar de comunicação a que me refiro é o BLOG DA UNESER: http://uneserinterativa.blogspot.com e essa maravilhosa pessoa é o Staliano, José Roberto Staliano.
Nesses últimos anos, que tiveram início em 2007, pude acompanhar o desempenho de alguém que se entrega in totum para os assuntos ligados aos redentoristas e à união dos colegas que hoje participam da UNESER, ainda promovendo encontro anual e regional em Mairinque-SP, o ERESER que já chegou ao número três e , no próximo 16 de outubro, será o quatro.
E, neste dia 10 de julho, ele completa mais um ano de vida, penso que entrou nos sessenta e vejo nele, cada vez mais, aumentar o interesse pela comunidade que um dia se formou nas hostes de Santo Afonso, sob o manto sagrado de Nossa Senhora Aparecida.
É justamente para esses dois atuais habitantes do paraíso que agora peço a intercessão junto ao Pai, que dê ao nosso brilhante e esforçado colega Staliano, muita saúde, sucesso e os melhores momentos da vida.
 
PARABÉNS, POIS, AO NOSSO GRANDE AMIGO E COLEGA, JOSÉ ROBERTO STALIANO, NESTA MEMORÁVEL A DATA!
 
Antônio Ierárdi Neto
(Tampinha II)
 

Lista de Comentarios

Nome : José Roberto Staliano
E-mail : jrstal@hotmail.com
Comentario : Registro neste espaço meus agradecimentos ao Ierardi e toda família UNESER. Muito obrigado pelo apoio e confiança depositada na minha pessoa. Um forte abraço a todos colegas!
Data : 11/07/2010-23:23:11
COMPARTILHEM RIQUEZAS
Os colegas estão recebendo o cd com o hino da UNESER, composto – letra e música – pelo confrade e missionário  redentorista Pe. Anchieta. A coordenação aproveita a oportunidade para atualizar o cadastro da associação, inclusive buscando conhecer melhor o potencial de cada um. Ao redigir o Informativo “extra” que acompanha o cd, afirmei no final “Somos, sem dúvida, um grupo com uma riqueza (cultural, artística, técnica, ética), da qual a sociedade usufrui para constituir-se um povo cidadão, livre, forte, progressista. Sem falsa modéstia, nós nos conhecemos, que outros nos conheçam também.”
Quando fui solicitado a abrir este espaço em nosso site para a troca de idéias, que pretende oferecer oportunidade para que muitos possam exercer seus talentos na escrita e na divulgação e debate dessas idéias, me lembrei do que havia dito e pensei: “Este espaço virtual que ora inauguramos vem providencialmente dar-nos a conhecer a nós e a outros públicos a riqueza cultural, artística, técnica, ética, filosófica...com que somos aquinhoados.” Então para mim se tornou fácil inaugurar este serviço: transcrevendo o que redigira no Informativo “extra”, como acima o fiz. E, sem mais delongas...
Sejam bem-vindos a este espaço: troquem, espalhem, compartilhem seus dons, talentos, idéias, emoções, enfim, suas riquezas.  
 
Paulo de Oliveira (Paulinho)
 
Lista de Comentarios
Nome : Paulo de Oliveira
E-mail : paulopoliv@hotmail.com
Comentario : 
Data : 07/07/2010-12:45:08
----------------------------------------------------------
Nome : ANTONIO IERARDI NETO
E-mail : ierardisp@ig.com.br
Comentario : Caro colega Paulinho e demais colegas de sempre da UNESER, tenho muita riqueza a compartilhar..."DE GRAÇA DOU AQUILO QUE DE GRAÇA RECEBI". Que todos motivem-se para esse objetivo ainda que aqueles que devam receber estejam um pouquinho distraídos ou até irredutíveis...É fazer o bem de coração aberto e sincero, com o olhar constante no CAMINHO DO PAI!
Data : 10/07/2010-06:50:25