"Pronto-socorro espiritual" para explicar a fuga de católicos da Igreja no Brasil

19/11/2014 18:03
18/11/2014 | Assessoria de Imprensa
O Centro de pesquisas dos Estados Unidos Pew Research Center publicou, no último dia 13, um amplo levantamento intitulado "Religião na América Latina - Mudança generalizada em uma região historicamente católica". Com base em entrevistas pessoais realizadas em 18 países da América Latina e Caribe - incluído o território norte-americano de Porto Rico e excluída Cuba - entre outubro de 2013 e fevereiro de 2014.
O estudo afirma que 69% da população do continente latino-americano e do Caribe identifica-se como católica. A América Latina e o Caribe reúnem mais de 425 milhões de católicos, aproximadamente 40% do total da população católica mundial. No Brasil, o número de adultos que se declaram católicos, segundo o relatório, é de 61%. Já o de protestantes e evangélicos é de 26%. Neste ponto, o estudo revela que, atualmente, um em cada cinco brasileiros é ex-católico. O arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, atribui a dois fatores principais essa diminuição dos católicos no Brasil em relação aos 1970, quando 92% da população brasileira se declarava católica.
"Eu creio que, hoje, a propaganda da prosperidade e de resolução de problemas pessoais - como se fosse um pronto-socorro - tem sido muito grande. A isso, soma-se a influência da mídia americana que desde 1970, junto com o interesse político por parte de alguns países, faz de tudo para diminuir a presença católica no Brasil", afirmou a RV.
Milagres sob encomenda
Dentre os principais motivos apresentados pelos ex-católicos brasileiros para a saída da Igreja católica, para 81% a "busca por uma conexão pessoal com Deus" foi determinante, enquanto para 59% o importante foi "ter encontrado uma igreja que ajuda mais os membros". Dom Orani acredita que essas respostas refletem a sociedade atual, marcada pelo individualismo e pelo egoísmo.
"Cada um pensa em si e deseja resolver rapidamente os seus problemas. E num país que até bem pouco tempo atrás havia muita dificuldade - e ainda há - com relação à saúde, com relação a atendimento, ter um pronto-socorro espiritual para resolver os seus problemas é algo que tem levado muita gente à adesão dos ‘milagres sob encomenda", explica o arcebispo do Rio de Janeiro.
Papa Francisco
A pesquisa ouviu ainda a opinião dos católicos latino-americanos sobre a figura de Papa Francisco. Em todos os países, mais de 78% dos católicos são favoráveis ao magistério do Papa. No Brasil, a aprovação de Papa Francisco sobe para 92% enquanto na Argentina é de 98%.
Dom Orani, anfitrião do Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude do Rio de Janeiro, acredita que o novo impulso que Francisco trouxe à Igreja "suscita em cada um de nós uma oportunidade de descobrirmos - ainda mais e melhor - os caminhos de evangelização nos tempos atuais para que possamos ficar mais próximos do nosso povo", concluiu.
Fonte: Rádio Vaticano (Revista Missões)
Voltar