Missões Redentoristas animam comunidades e paróquias de Alfenas (MG)

15/04/2014 14:55

 

 

A Congregação do Santíssimo Redentor está entre as congregações religiosas mais conhecidas do Brasil, seja pelo trabalho desenvolvido no Santuário Nacional, pela atuação nos meios de comunicação como a Rádio e TV Aparecida ou o portal A12, bem como pelas suas muitas comunidades religiosas. Mas é o trabalho de evangelização já realizado há quase 120 anos que mais nos identifica: as Santas Missões Populares. Na maioria das vezes quando se fala em missões, logo se pensa nas Missões Redentoristas.

Depois de 13 anos, a cidade de Alfenas volta a receber a graça das Santas Missões Populares Redentoristas. No mês de agosto de 1988 as Missões aconteceram nas Paróquias de Nossa Senhora Aparecida e São José e Dores. Em setembro de 2001 a Paróquia Nossa Senhora Aparecida voltou a receber este “Tempo Forte de Evangelização”, pois o ideal é que uma paróquia seja missionada ao menos a cada dez anos.

Nesse ano, além da paróquia São José e Dores também as paróquias de Nossa Senhora de Fátima e paróquia de São Pedro Apóstolo vivem este tempo abençoado. 

Lideranças em formação durante a etapa missionária

Pela evangelização missionária, através da proclamação explícita da Palavra de Deus e através de sinais, se procura levar a todos a uma resposta de conversão para Deus e para a comunidade.

Fortalecer a fé dos cristãos

A partir do século XIX, as Missões que já vinham acontecendo no mesmo formato há vários séculos, começaram a adquirir um cunho bem mais social, levando os cristãos a uma presença mais ativa na sociedade. Isto era conseguido, incentivando a participação nos Círculos Operários Católicos, nas Associações, nas Irmandades e pela prática da chamada “Vida Devota”. Também neste tempo, como foi de se conseguir a perseverança nos frutos das Missões, em cada cidade missionada os redentoristas deixavam o Ícone e incentivavam o culto a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro na forma da Novena Perpétua.

No século XX, especialmente após a Segunda Guerra Mundial intensificaram-se os esforços de renovação e os anos de 1950 são considerados, por isso mesmo, como a “época de ouro das Missões Populares”. Com a melhoria dos meios de transporte os redentoristas passaram a percorrer os quatro cantos do Brasil e até mesmo as capitais estaduais praticando esta forma de apostolado.

O Concílio Vaticano II, por sua vez, levou a um sadio período de crise, com mudanças no método tradicional de pregação e busca de novos caminhos, com novo ardor e novos métodos que agora se concretizaram, a partir da Conferência de Aparecida nas propostas da Nova Evangelização e pela ação da Conferência dos Bispos em suas estratégias pastorais.

Igreja de Alfenas 
A cidade e as paróquias de Alfenas estão em missão, como Tempo Forte de Evangelização e como “momento da graça de Deus”. Não se negue, participe e venha reforçar esta nossa Ação Pastoral. 

Novos Rumos para as Missões Populares

Foi num contexto de mudanças de mundo e de Brasil que os Missionários Redentoristashaviam chegadoao nosso país em 1894. E já em 1897, apenas três anos após sua chegada, quando mal sabiam falar o português, os “Padres da Capela”, como eram conhecidos, por estarem ligados ao Santuário de Aparecida pregaram a primeira Santa Missão na cidade de Areias, no Vale do Paraíba, em São Paulo.

De lá para cá, nestes quase 120 anos, o trabalho de pregação das Missões nunca mais foi interrompido, mesmo com as novas características que foram se configurando no mundo e na sociedade, sobretudo em nosso tempo: Rápida industrialização, acelerado crescimento das cidades, influências dos MCS, acelerado crescimento demográfico, êxodo rural, avanço do materialismo e da secularização e diminuição da prática religiosa tradicional.

Todas estas características de mundo e de sociedade encontram-se em Alfenas, cidade sul-mineira que depois da fase da Missão da Visitação, vive agora o tempo das Missões nas famílias, num processo muito dinâmico em que família evangeliza família.

Diante das experiências que foram surgindo no período entre guerras e no Pós-Vaticano II, de acordo com as exigências da realidade do mundo moderno, a Missão Popular, com diferenças que variam conforme cada país ou região passou a se organizar de uma nova forma e hoje tornou-se um eficaz instrumento de animação das comunidades e paróquias que solicitam o nosso trabalho pastoral, agilizando a implantação do Novo Modo de Ser Igreja como “rede de comunidades”.

Respondendo aos apelos do clero da cidade de Alfenas, a Equipe Missionária Redentorista da Província de São Paulo, formada por 19 religiosos está, neste mês de abril, junto com as irmãs missionárias de várias congregações, evangelizando as paróquias e comunidades, ajudando o povo a caminhar rumo a uma vida de maior participação, engajamento e compromisso, pois não basta dizer-se cristão, é preciso “participar para transformar”.

É isso que nos interpela no lema das Santas Missões: “Unidos em Cristo, com Maria, viver e crescer em Comunidade”.

 

Padre Inácio Medeiros, C.Ss.R. 
Equipe de Comunicação das
Santas Missões Populares

Voltar