I Congresso das Obras Sociais Redentoristas

07/11/2013 00:27



sul 
 
Nossa ação social tem que
ser memória viva do Redentor
no meio dos necessitados

Fr. Aragonês Parreira
Missionário Redentorista

A Casa de Retiros São José, em Belo Horizonte (MG), acolheu entre os dias 14 a 18 de outubro uns 110 representantes das Obras Sociais das (Vice) Províncias brasileiras no I Congresso Social Redentorista do Brasil. Foram dias de formação, espiritualidade e troca de experiências. A Província de Goiás foi representada pelo Ir. Sebastião, Fr. Aragonês, Irmã Margarida (Campinas) e Lucélia Bueno (Trindade). O Superior Geral da Congregação do Santíssimo Redentor, Pe. Michael Brehl, enviou carta aos congressistas, mencionando e elogiando o pioneirismo da iniciativa.

Motivar a cultura do cuidado em nossa sociedade, à luz do carisma redentorista, foi a tônica deste primeiro Congresso redentorista das obras sociais. A sociedade atual é marcada, de forma crescente, pelo egoísmo que divide e exclui. O Congresso demonstrou que o carisma redentorista não é apenas uma força na Igreja para combater o egoísmo. Mas tem conseguido resgatar muitas pessoas, vítimas da exclusão, em sua dignidade. Essa constatação se deu pela partilha e a exposição dos vários trabalhos das províncias redentoristas no Brasil.

Pe. Vicente de Paula Ferreira, Provincial da Unidade anfitriã do Congresso, presidindo a Eucaristia de abertura, refletiu sobre "o esvaziamento de Cristo" na carta de Paulo aos filipenses, e afirmou: "Nós redentoristas, em nosso agir pastoral e social, devemos nos esvaziar, descer e ir ao encontro do outro que necessita de nossa mensagem transformadora". Para isso, acrescentou Pe. Vicente, "precisamos conciliar sempre mais nas obras sociais o carisma com a técnica para não correr o risco de ficarmos mecânicos em nosso dia a dia. Nossa atividade social não é apenas uma ação humanitária de cunho estritamente político, mas tem que ser memória viva do Redentor no meio dos mais necessitados".obras_sociais
Lucélia Bueno, Fr. Aragonês, Ir. Margarida e Ir. Sebastião

Voltar