''Escutem a voz dos pobres!''

20/01/2015 11:41
 
Andrea Tornielli
Vatican Insider
16-01-2015
Papa Francisco encontra autoridades e o corpo diplomático das Filipinas
Rizal Ceremonial Hall do Palácio Presidencial de Malacañan, Manila, Filipinas 
Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2015
 
Francisco encontrou-se com as autoridades no palácio presidencial de Manila, nas Filipinas. Pediu "a reforma das estruturas sociais que perpetuam a pobreza" e a defesa da vida. E desejou soluções justas para Mindanao no respeito aos indígenas e às minorias religiosas.

 

A tradição bíblica "prescreve para todos os povos o dever de escutar a voz dos pobres e de quebrar as correntes da injustiça e da opressão". Foi o que disse Francisco no primeiro discurso em Manila, encontrando-se, nesta manhã, com as autoridades e o corpo diplomático no palácio presidencial. O papa invocou a "firme rejeição de todas as formas de corrupção, que desvia recursos dos pobres" e pediu "apoio" para a família e respeito pelo "inalienável direito à vida".

 

Uma multidão imensa – quase um milhão de pessoas – tinha se derramado pelas ruas na noite passada para acolher Francisco. E uma multidão imensa seguiu nesta manhã os percursos do papamóvel. No palácio presidencial Malancañan, construído em estilo colonial espanhol dentro de um grande parque na margem norte do rio Pasig, o papa encontrou o presidente das FilipinasBenigno Cojuangco Aquino III, filho da ex-presidente Corazón Aquino.

[. . .]
Depois, o papa tomou a palavra, falando em inglês. Ele lembrou que o país se prepara para celebrar o quinto aniversário da "primeira proclamação do Evangelho" e disse que a visita "quer expressar a minha proximidade aos nossos irmãos e irmãs que suportaram os sofrimentos, os danos e as devastações causadas pelo tufão Yolanda. Junto com os povos de todo o mundo, admirei a força, a fé e a resistência heroicas demonstradas por tantos filipinos diante desse desastre natural, e de tantos outros. Essas virtudes, enraizadas, não por último, na esperança e na solidariedade instiladas pela fé cristã, deram origem a uma profusão de bondade e generosidade, especialmente por muitos jovens. Naquele momento de crise nacional, inúmeras pessoas vieram em auxílio dos seus vizinhos em necessidade. Com grande sacrifício, ofereceram o seu tempo e os seus recursos, criando uma rede de apoio mútuo e de compromisso com o bem comum".
[. . .]
Traduzido do italiano por Moisés Sbardelotto.

Voltar