Dulcíssima esperança, nossa Perpétuo Socorro!

17/05/2014 21:25

Como encerramento do I Congresso Mariano sobre Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Campo Grande, reproduzimos hoje um artigo publicado no Informativo CERESP de autoria do Pe. Anísio:

 


 
A Congregação do Santíssimo Redentor nasceu sob o amparo materno de Maria. Santo Afonso foi um fiel devoto da Virgem e a ela sempre recorria em suas preces. Afonso a chamava de Dulcíssima Esperança. Maria Santíssima sempre esteve em seu coração e, consequentemente, em suas canções, escritos e pregações! De Afonso aprendemos: “O fiel devoto de Maria nunca se perde”! É nesse amor que nasce e se desenvolve nossa Congregação.
A missão de propagar o ícone bizantino de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, confi ada por Pio IX aos Redentoristas, foi acolhida com fervor por toda a Congregação. Disse o Papa, em Janeiro de 1866: “Fazei-a conhecida no mundo inteiro”! Em breve estaremos celebrando os 250 desse gesto de confi ança do papa.
Sendo enviados aos mais pobres e abandonados, os missionários Redentoristas apresentam Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como aquela que nunca desampara seus filhos e filhas. O ícone retrata o olhar sereno e acolhedor de Maria ao tomar seu Filho Jesus nos braços, mostrando que Nele está nossa Salvação.
Anunciar o Perpétuo Socorro de Maria é, para todos os redentoristas, um dom recebido da santa Igreja que se faz missão junto das pessoas que clamam pelo amparo de tão querida Mãe. A novena perpétua é uma eficaz ação missionária dos redentoristas que reúne o povo para louvar e agradecer o Perpétuo Socorro da Mãe de Deus.
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é, para a Congregação Redentorista, amparo e modelo de perseverança. Ela nos socorre e nos inspira na Missão!
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, nossa Dulcíssima Esperança, rogai por nós!

 

Pe. Anísio Tavares, C.Ss.R.
Seminário Santo Afonso - Aparecida, SP

Voltar