Bem-vindo, novo Reitor!

04/03/2015 14:33
 

 

novo_reitor_2015

Em janeiro de 2013, eu assumia a Reitoria do Santuário Nacional com esta confidência: “nunca me imaginei na reitoria”. Agora, passo esse fundamental encargo à responsabilidade de meu caro confrade Pe. João Batista de Almeida. E confirmo aquela minha confidência, sobretudo pensando no momento único que o Santuário vive: sua mobilização próxima, imediata para o Grande Jubileu de 2017.

Tranquilamente reconheço que um confrade mais jovem, com mais vigor, desempenhará melhor essa missão ímpar. Como eu há dois anos, ele encontra um Santuário, uma enorme estrutura de vida em movimento, por inércia, difícil de parar!

Nesse sentido, quanto sou grato a vocês – funcionários, voluntários, confrades, Família Campanha dos Devotos, romeiros! Em vocês, mais que tudo, pude apalpar, avaliar um imenso amor pela Mãe! Quantas confidências colhi, revelando um coração a gritar: isto aqui é meu, é minha casa! E daí, todo o zelo e carinho! Obrigado! Mas sou muito grato também a meus superiores: perceberam chegada a hora de eu passar as chaves a outro zelador!

Padre João Batista! Até pelo nome, precursor! E é a cor, a meu ver, com que a Reitoria precisa se embeber neste quatriênio que se inicia. Além do dia a dia, do ano a ano normais, o Grande Jubileu: sim, já em andamento, porém, quanto a planejar, a se antecipar ao tempo! Venha, Precursor e – conforme pensa e nos propõe a Bíblia – que seu nome seja e signifique sua missão no Santuário da Mãe Aparecida!

A missão de todos nós que, de um ou de outro modo, atuamos no Santuário é tentar somar forças com a Mãe Aparecida. Ela, a primeira agente de pastoral em Seu Santuário. E somar com Ela é assumir Sua atitude. Nesse sentido, quanto Seu Santuário nos ensina! A Casa é d’Ela, mas Ela está quase fora dela: num cantinho da parede. Mas, o centro, o coração de Sua casa é o Altar, é Seu Filho e nosso Irmão, Salvador d’Ela e de nós. “É necessário que Ele cresça e eu diminua” (Jo 3,30): missão do Batista, de todo discípulo do Pai. Assim, como de ninguém, missão da Mãe Aparecida!

Por loucuras do Amor, até Jesus – em favor de Quem o Batista assumiu aquele compromisso – toma para Si aquele diminuir-Se diante do Pai, do Seu e nosso Pai: “Se me amásseis, ficaríeis alegres porque eu vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu” (Jo 14,28b). Meta final e definitiva Sua, Jesus faz do mesmo Pai o fim de todos e cada um de nós: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” (14,6).

Missão conclusiva que a Mãe também imprime em Seu Santuário. Ela nos leva até Jesus, até o altar. Entrega-nos a Jesus ou entrega Jesus a nós. Contudo, o altar de Sua Casa está encimado por grande Crucifixo, pendente do centro, do ponto mais alto da cúpula, de sua abertura para o alto. É Jesus que, por amor, desce de junto do Pai até nós. E, ainda por amor, leva-nos com Ele até o Pai, até nossa Morada definitiva.

Que esse quatriênio jubilar, apenas desabrochando, contemple nosso Santuário sempre mais mobilizado para o Grande Jubileu, renovando seu ardor missionário! Aprenda sempre mais com Ela, a Mãe do Apóstolo e assim dos apóstolos, a viver e gastar os dias em prol dos remidos do Pai pelo Filho na força do Espírito, Amém!

Pe. Domingos Sávio da Silva, C.Ss.R.

 

Voltar